Vale estaria criando dificuldades para comprar terras de pequenos agricultores a preço de banana

Publicado em 30 de abril de 2012

 

 

Leitor Paulo Francis envia comentário levantando suspeitas de que a Vale estaria dificultando a vida de pequenos proprietários residentes próximos ao Projeto Onça-Puma objetivando desvalorizar seus imóveis,  para, em futuro próximo, comprá-los, a preço de banana.

 

O que diz o leitor:

 

A Vale vem fazendo horrores na Regiao do Projeto Onça Puma (Ourilandia do Norte), precisamente na comunidade Minerasul e areas proximas ao Projeto Onça Puma e a mina de niquel. Pelo que eu já descobrir existiu por parte da Vale na implantação da planta do niquel no Onça Puma o interesse em retirar as pessoas que estavam nas propriedades proximas a mina de niquel e na redondezas. Acontence que na epoca as familias foram retiradas e indenizadas por se tratarem de assentados do INCRA. Pois teriam arrumado outras areas para essas familias e elas foram retiradas da propriedades a toque de caixa. Acontece que agora existe as familias que ficaram nas propriedades que nao tem o niquel mas que ficam nas proximidades da area do projeto Onça Puma e estão sofrendo com os impactos, sem escola, sem posto de saude e sem linha de onibus. Praticamente estão isolados, querem vender as propriedades ´para a empresa Vale que não tem interesse em compra-las. Nao tenho certeza mas houve duas etapas de compras de propriedades que estavam praticamente em cima da mina de niquel e de propriedades que estavam nas proximidades, sendo que nesse processo na primeira etapa muitas familias teriam tido prejuizos, os quais estão sendo revindicados agora. Ainda estou apurando e pegando depoimentos além de realizar caminhadas pelos locais apontados como possiveis pontos de danos abmbientais praticados pela Vale no Projeto Onça Puma. A comunidade da Vila Minerasul proxima a Mina de Niquel está isolada e revoltada com a Vale.

Nota do Blog: até hoje o pôster aguarda manifestação da Vale e da Sema (Secretaria de Estado do Meio Ambiente) a respeito de denúncias feitas pelo blog e da notificação de multa de R$ 2 milhões imposta a mineradora. Por ocasião do encaminhamento do pedido de posicionamento da Vale, a assessora de imprensa da empresa reclamou da forma como a notícia foi postada, sem que houvesse, simultaneamente, a versão da companhia.

Passados mais de quinze dias de publicação do post, mesmo assim, a Vale não se manifestou.

E nem a Sema, cujo secretário-Adjunto, Rubens Sampaio, através de emeio enviado ao pôster, prometia o encaminhamento de nota tratando das denúncias.

Pelo visto, a denúncia é indefensável.

Denúncia, aliás, que não saiu  em nenhum jornal de Belém e Marabá.

A catrevagem motosserrista

Publicado em 30 de abril de 2012

 

 

Dez dias praticamente ausente da base, como ainda permanece – o poster acompanhou de longe os fatos políticos.

Com um olho no peixe e outro no gato, não desgrudou, no entanto, de se ligar na votação do tal “novo” Código Florestal, que de novo só tem mesmo o desflorestamento que irá estimular, depois da aprovação da anistia a desmatadores e da não obrigatoriedade de cobrir com novas mudas a supressão de florestas em áreas predeterminadas.

O pelotão dos desmatadores, financiados por pecuaristas e até os próprios, conseguiu derrotar a proposta do governo, numa votação coberta de cenas deprimentes, risos amarelos e o enfadonho momento pós-aprovação, saudado pelos motosserristas como se o país tivesse vencido uma guerra.

Mais desalentador foi presenciar a participação de doze membros da bancada paraense entre os efusivos risos de alegria tão logo saiu o resultado da votação.

Uma catrevagem de políticos mal intencionados, desassociados  das questões ecológicas -,  hoje tão importantes  quanto a atenção que se deve dar à   educação, saúde, segurança individual e disseminação do conhecimento.

Os deputados federais paraenses motosserristas, em verdade, pouco estão ligando à pobreza, desigualdade, qualidade de vida. Para eles, assim como para outras centenas de  deputados de outros estados, compromissos maiores são com os financistas de suas campanhas.

E eles sabem que o desmatamento gera pobreza e minguam os já exauridos recursos naturais.

Para desgraça deles, e plena irritação de seus pulmões, temos Dilma no comando da nação, que vetará os artigos criminosos aprovados pela catrevagem.

 

A catrevagem expondo cinismo no plenário da Câmara dos Deputados
Não está na hora de reformulação total no Águia?

Publicado em 30 de abril de 2012

 

 

Passado mais um Campeonato Paraense com o Águia morrendo antes de chegar à praia, perguntinha sincera: – não é hora de Sebastião Ferreira e João Galvão fazerem reflexão da necessidade de se reformular tudo?

A começar pelo próprio Galvão, dedicado treinador e apaixonado pelo time.

Como a Série C do Brasileiro não exigirá de cada clube o ônus de todas as despesas da competição considerando que a CBF arcará com transporte, hospedagem e até custos de arbitragem, o Águia poderia partir para a contratação de um novo treinador para tonificar de novos ares a equipe.

Essa decisão poderia partir do próprio Galvão, pelo amor que sempre nutriu pelo time – seguindo exemplo de desprendimento do treinador do Barcelona, Pep Guardiola, ao anunciar seu desligamento da comissão técnica vencedora por quatro anos seguidos.

Guardiola poderia permanecer no bem-bom de seu milionário salário com garantia de mais dois anos oferecida pela presidência do time catalão, mas sentiu a hora exata de afastar-se do desgaste inevitável.

João Galvão poderia assumir a Gerência de Futebol, emprestando sua experiência e devoção  à  uma campanha positiva no campeonato nacional, que este ano terá nova fórmula de disputa, bem mais dificil e com mais probabilidade do clube cair de divisão, caso não tenha boa performance na competição.

Mística e tradição ainda valem muito no futebol

Publicado em 30 de abril de 2012

 

 

A diferença dos dois grandes clubes  do Pará àqueles times emergentes, entre os quais destaca-se o Águia de Marabá, está na tradição e no amor que os torcedores devotam por Remo e Paysandu.

Domingo, no Mangueirão, a fé da massa azulina pode ser medida em cada palmo que se percorria nas arquibancadas e cadeiras do estádio.

A tradição e a mística pesaram no resultado final.

Merecidamente, o Remo venceu o segundo turno.

E sua torcida deu aula de como se faz um grande clube de massa.

A foto do Mangueirão com mais de 40 mil torcedores foi enviada ao blog por torcedor remista zoando do poster.

 

Coordenador de Hospitais Regionais fala sobre atendimento a cardíacos

Publicado em 30 de abril de 2012

 

 

Arthur Lobo, Coordenador dos Hospitais Regionais o Estado do Pará, envia texto fazendo considerações ao comentário do médico Manoel Cláudio Furtado Veloso sobre a falta de estrutura, em Marabá, aos pacientes acometidos de problemas cardíacos.

 

Li atentamente o comentário oportuno do Dr. Manoel Veloso, o qual ainda não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente em Marabá durante as minhas visitas a este município como coordenador dos hospitais regionais do estado. Tive excelente recomendações por terceiros de sua qualidade profissional.

Concordo 100% de que precisamos treinar o maior numero possível de socorristas em todas as esferas da sociedade e coloco o HR Geraldo Veloso a disposição afim de que seja um polo irradiador de conhecimento e capacitação neste sentido

A disponibilidade de desfribiladores nos locais públicos não e realidade brasileira e salvo raros exemplos, além do que tem de ser prescindido do treinamento citado anteriormente

No entanto, há um ponto em questão que não foi tocado que e mais importante que e a dieta balanceada, exercício físico e hábitos de vida de uma maneira geral de educação em Saúde como o combate ao tabagismo que devem ser intensificados no município de Marabá e que custam bem menos e salvam mais vidas, cabendo ao município a assistência básica em sua grande parte.

Quanto ao HR gostaria de informar que em julho entregamos a região do Sudeste a UTI ampliada com mais 10 leitos e toda equipada, obra esta que já esta bastante avançada. Agora daqui a 10 dias começam as obras do novo prédio da HEMODIALISE e administração que nos vão permitir transferir o espaço hoje ocupado pela direção para instalação do setor de hemodinâmica completo, que devera estar pronto nos próximos 7 meses. a ampliação da UTI e fator imprescindível neste processo.

Agora, a hemodinâmica vai salvar muitas vidas sim, no entanto, a maioria dos procedimentos vão ser eletivos como em todos os serviços deste porte. O que precisamos e diagnosticar a nível ambulatorial os pacientes que necessitam de cateterismo afim de corrigir os processos obstrutivos das coronárias ou doenças das válvulas cardíacas, doenças sentais, etc..

Espero ainda poder contar com os colegas da terra habilitados como o Dr. Arilson nesta empreitada.

Tenham certeza que um novo tempo esta chegando para Saúde de Marabá e regiões vizinhas

Dr. Arthur Lobo
Coord. HR do Estado do Pará