Candidato è reeleição, deputado federal Cássio Andrade concede entrevista ao blog

O blogueiro fez uma longa entrevista com o deputado federal Cássio Andrade (PSB) abordando diversos temas.

A questão do acirramento político nacional com o presidente Jair Bolsonaro ameaçando o país com um golpe, caso perca a eleição; o clima nos bastidores da política em Brasília e a organização do PSB no  Estado do Pará, mereceram destaque.

O depoimento de Andrade será publicado na próxima segunda-feira, 15.

Somente depois de Marabá perder 10 mil doses de vacinas, MP exige atitude da prefeitura

Blogueiro toma conhecimento de que o Ministério Público fez recomendação à Prefeitura de Marabá no sentido de que sejam adotadas medidas de ampliação da campanha de vacinação contra covid-19.

A nota do MPE destaca a necessidade da ação “após divulgação da notícia de que cerca de 10 mil doses de vacina da fabricante Pfizer perderam a eficácia na data de 29 de julho de 2022, e ainda o aumento exponencial de casos da doença nos últimos 30 dias”.

Pois é, a recomendação assinada pela  promotora de Justiça Mayanna Queiroz surge somente depois que toda a cidade já sabia que havia um lote de dez mil doses de vacina com os dias contados.

A decisão do MP deveria ter sido encaminhada à Secretaria de Saúde do município antes do fato ter sido consumado.

Na recomendação, a promotora  requer que “formulem plano estratégico referente à divulgação e incentivo à campanha de vacinação contra a covid-19, adotando medidas que incentivem a procura pela vacina por parte da população, priorizando a imunização dos idosos (principal grupo de risco para a covid-19) e dos profissionais da saúde”.

Meu-Deus-do-Céu, isto deveria ter sido exigido quando surgiu a primeira informação de que o lote de imunizante estava em vias der ser descartado!

E não faltou advertência!

O próprio blog fez a divulgação do risco que Marabá corria de perder as vacinas mais de mês antes do fato consumado.

Quer saber se o blog divulgou ou não?

Então CLICA AQUI, e checa a informação!

 

Pois é, a área de saúde do município  tem um secretário cantado e divulgado como um grande gestor, que sabe “consertar” o que está errado e, ao que os fatos comprovam, não é bem assim.

Luciano Dias deveria ser responsabilizado por ato de irresponsabilidade, já que ele lavou as mãos diante do risco que o município corria, e que ele sabia!,  de perder dez mil doses de vacinas.

Como realmente perdeu: 10 mil doses de vaconas foram jogadas no lixo.

No lixo!

Quem faz gestão de boa qualidade sabe que a imobilização da sociedade poderia ter sido despertada com uma campanha eficiente de divulgação, e isto Luciano não fez.

Mais cômodo, claro, seria fazer como ele fez: responsabilizar a comunidade por não ter ido se vacinar.

A questão da vacina contra a covid-19 sempre foi acompanhada de muita polêmica, diante da campanha negacionista promovida pelo próprio presidente da República, instaurando medo entre aqueles menos informados.

O antídoto para enfrentamento dessas questões é a conscientização, ir aos veículos dar entrevista, esclarecer que a vacina salva, que é o único medicamento capaz de impedir a morte pela doença.

Agora, depois do fato consumado, aparece o MP exigindo atitude da prefeitura.

É muito complicado tentar entender essas situações.

Casa da Cultura celebra Dia dos Povos Indígenas com mostra de arte

Neste mês, o projeto Cinema na Casa, desenvolvido pela Casa da Cultura de Canaã dos Carajás, marca as comemorações pelo Dia Internacional dos Povos Indígenas, celebrado em agosto.

A atividade será realizada a partir da apresentação da série Arte Indígena Contemporânea, produzida pelo canal Arte1 e patrocinada pelo Instituto Cultural Vale.

Dividido em oito episódios, o documentário é dedicado à história e ao processo criativo de artistas indígenas, com a intenção de colaborar para a reparação histórica e o reconhecimento de expressões artísticas que foram negligenciadas e silenciadas ao longo de séculos.

A série documental será exibida de 16 a 19/08, sempre às 19h, no auditório da Casa da Cultura. Com classificação livre, qualquer pessoa com interesse no tema pode participar, mas, como o número de vagas é limitado, é preciso fazer inscrição prévia, ligando ou enviando mensagem para o telefone (94) 99220-3451.

Candidato a deputado estadual paraense tem fortuna de R$ 448 milhões

O empresário Ailson Souto da Trindade (foto), que busca uma cadeira como deputado estadual pelo PP do Pará, declarou ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) possuir patrimônio de R$ R$ 448.447.364,52, sendo que desse valor constam R$ 39 milhões em dinheiro vivo. A fortuna representa um crescimento exponencial na riqueza de Souto, já que em 2012, quando disputou um cargo público pela primeira vez, o empresário informou à Justiça Eleitoral que seus bens somavam R$ 15 mil.

A assessoria de imprensa de Ailson disse que a atual situação financeira do empresário se deve ao fato de ele ter mudado “completamente o ramo de atuação” da área de eletrônicos para o setor imobiliário. O candidato diz que na última década se dedicou a trabalhar com a compra e venda de lotes de terras, além da construção de imóveis e aluguel de aeronaves, o que resultou na sua fortuna de quase meio bilhão de reais.

“Após a eleição de 2012, o candidato mudou completamente o seu ramo de atuação. Antes empresário do ramo de eletrônicos, hoje ele atua como empresário do setor imobiliário, especialmente na compra e venda de lotes de terra e construção de casas. Obteve sucesso a partir da exploração de atividades, o que propiciou a atuação de outro ramo empresarial como o ligado a aluguel de aeronaves”, disse a assessoria.

Quando disputou um cargo público pela primeira vez em 2012, à época como candidato a vereador pelo município de Porto de Moz, distante 416 quilômetros de Belém, Ailson Souto declarou ao TSE que seu patrimônio somava R$ 15 mil: um terreno avaliado em R$ 10 mil e R$ 5 mil em outros bens.

Naquele ano, ele obteve apenas 135 votos e não conseguiu se eleger para a Câmara de Vereadores da cidade.

Agora, 10 anos depois, o patrimônio do empresário teve um salto exponencial, cresceu cerca de 29 mil vezes, e soma R$ 448.447.364,52.

Desse total, R$ 39 milhões são em espécie, ou seja, em dinheiro vivo, declarado em “moeda estrangeira”, sem especificar qual. Questionada pelo UOL sobre qual a “moeda estrangeira” do montante de R$ 39 milhões em dinheiro vivo, a assessoria do candidato informou que esse valor foi declarado como criptoativos, mas a Receita Federal “entende como recursos em espécie, por ser um ativo corrente” e também “reconhece” como moeda diferente do real.

Por fim, Souto declarou ser dono de um terreno avaliado em R$ 390.000.000,00, e disse possuir R$ 9,1 milhões em joias, quadro, objeto de arte, de coleção, antiguidade, entre outros. O candidato do PP também informou à Justiça Eleitoral ser dono de uma casa avaliada em R$ 350.000,00, aplicação de renda fixa no valor de R$ 7.549.000,00, poupança para construção ou aquisição de bem imóvel de R$ 64,49, e outros bens móveis que somam R$ 1.800.000,00.

A importância de se eleger um deputado comprometido com a comunidade

O blogueiro estava aqui analisando a relação de candidatos a deputados Federal e Estadual que se dizem representantes de Marabá e região,  e não deixei de imaginar o quanto a população se transforma passivamente em algo manipulável,  nas campanhas eleitorais.

Afirmo isto com a experiência adquirida ao longo dos anos na prática do Jornalismo e  avaliando a extensão da capacidade que alguns dos sujeitos já registrados na Justiça Eleitoral, se eles realmente serão representantes dignos ou parlamentares de um só mandato, caso consigam a eleição.

De cara, garanto que pelo menos 70% dos candidatos da relação  poderão ser agentes da decepção coletiva, porque fazer política não é apenas obter o mandato.

A política em sua essência vocativa do bem comum.

E temos exemplos disto recentes.

Na ultima eleição, Marabá elegeu gente que está concluindo o mandato sem ter comprovado ter sido  algo propositivo na Assembleia Legislativa.

Ao contrário, passou quatro anos com muito blábláblá, deputado de “uma nota só”, sem ter acrescentado conquistas relevantes para a sociedade.

Há as exceções.

E eu já escrevi aqui sobre a atuação do deputado Dirceu ten Caten, um jovem parlamentar que pode ser considerado um dos mais atuantes e qualificados deputados estaduais, conquistando esse status através de ações práticas no parlamento.

Para relembrar o que foi contado no blog, AQUI,   AQUI,   AQUI,   AQUI.

Na avaliação da lista de candidatos a deputado estadual por Marabá vejo o nome de João Salame, ex-prefeito de Marabá.

E aí vem a lembrança de seus dois períodos no Parlamento.

Quem não sabe, fique agora por dentro: O Centro de Convenções existe hoje em Marabá graças ao trabalho de Salame.

Ana Júlia Carepa era governadora do Pará e encaminhou à Assembleia Legislativa pedido de aprovação de um empréstimo para realização de obras no Estado.

Como coordenador do então chamado G-8, grupo que reunia oito deputados estaduais em torno de  articulações  fechadas entre eles, sempre atuando politicamente para obtenção de benefícios às ruas regiões, João Salame lutou bravamente e conseguiu colocar no orçamento do empréstimo a construção do Centro de Convenções.

Ou seja, o centro de convenções para Marabá só foi entrar na dotação orçamentária do Estado graças ao Salame, que com sua facilidade para articular politicamente, convenceu seus pares da necessidade de só aprovar o empréstimo caso o centro de convenções fosse incluído no orçamento.

Um deputado com ideias de jerico (e é o que mais tem por ai) jamais teria essa visão de atuar politicamente na aprovação de um empréstimo.

Quem não se lembra da luta que Salame travou junto ao governo do Estado para a aprovação do curso de Medicina  da UEPA (Universidade Estadual do Pará) em Marabá?

Dezenas de discursos no plenário, reuniões com técnicos da universidade e conversas frequentes com o governo para que o pleito fosse atendido, até finalmente ser aprovado.

Hoje o curso de Medicina da UEPA é uma realidade graças a luta de Salame.

Conquistas menores foram conseguidas também, mas de muita importância para a população.

Estava pesquisando aqui no blog, foram cinco ambulâncias que Salame conseguiu para as vilas da zona rural de Marabá.

Vila Sororó, União, Brejo do Meio, Santa Fé e Capistrano de Abreu, foram contempladas com as ambulâncias.

Quadra de Esportes para uma escola localizada na Folha 8.

Um dos problemas mais graves da cidade, a chamada drenagem da “Vala da Avenida São Paulo”, na Cidade Nova, foi resolvido graças a recursos que Salame conseguiu do governo do Estado, além de verbas para pavimentação de ruas, entre elas ruas Sororó e Afro Sampaio.

Obteve recursos, como deputado, para aquisição de instrumentos musicais para a Casa da Cultura.

Articulando junto a então Celpa, João Salame aproveitou a existência do programa “Luz Para Todos” e obteve recursos para iluminação de áreas das zonas urbana e rural do município.

Enquanto a maioria das lideranças políticas com mandato se escondia, com receio de reação do governador do Estado, Salame liderou na região a luta pela criação do Estado de Carajás, chegando a ser o principal porta-voz da campanha pela emancipação.

Ou seja, a importância da população eleger representantes de seus municípios é indiscutível.

Agora, eleger de forma consciente pessoas que estejam preparadas para percorrer os corredores do poder, e não paus mandados que se escondem atrás de um mandato popular para obterem ganhos pessoais em detrimento das prioridades coletivas.

A partir de hoje, o blog estará tratando dessa questão, porque a eleição de outubro próximo é muito importante para o momento difícil vivido pelo país, principalmente para as comunidades mais carentes.

Vamos eleger nossos deputados estaduais e federais, identificados com nossas comunidades, mas somente aqueles que podem realmente fazer algo inteligente e qualificado no parlamento.