Juiz César Lins esclarece sobre seu afastamento termporário

Ausente de Marabá, somente agora tomei conhecimento da decisão do Tribunal de Justiça do Estado em afastar de sua função, o juiz de Direito César Lins, da Comarca de Marabá – enquanto responde a processo administrativo.

Nesta tarde, pedi ao conceituado e respeitado juiz, esclarecimento sobre o episódio.

Afável sempre com a imprensa, e um dos defensores ferrenhos da liberdade de expressão, César Lins acaba de enviar nota sobre a decisão do TJE.

Eis a nota:

 

 

Foi com muito pesar mas com a devida serenidade que recebi a notícia do afastamento de minhas funções judicantes . Não concordo, contudo respeito a decisão da maioria dos desembargadores do TJPA, onde também vários deles foram contrários ao meu afastamento.

 Lembrem-se  que o Direito é dialético e admite posições em contrário.

Responder a processo administrativo é inerente à função com tanta responsabilidade e que desagrada diariamente interesses.

E é neste espaço que você poderá se defender, mostrar sua versão a um magistrado independente, além  de recorrer às instâncias superiores se não ficar satisfeito.

Não obstante atualmente milhares de juízes respondem a procedimentos administrativos no Brasil, tanto  nos Tribunais ou no CNJ, pois há obrigação de apuração pelas autoridades disciplinares sob pena de prevaricação. Processo administrativo não induz a presunção de culpa do magistrado.

Em caso de culpa, o juiz pode ser punido com advertência e nos casos mais graves com aposentadoria compulsória, normalmente para casos que envolvem corrupção, desmandos, falta de trabalho, crimes graves …

Não vislumbro no caso da soltura do PM, onde me acusam de ter errado no procedimento, que tenha falhado nas minhas funções judicantes (irei provar no PAD) e nem tampouco que isto seja motivo suficiente para afastar um magistrado – já que esta medida extrema é tomada em casos graves – normalmente envolvendo corrupção, falta de produtividade…O que não o caso deste magistrado. Fato é que Agi para evitar uma prisão ilegal.

A regra é ficar no cargo respondendo ao Processo disciplinar e apenas afastado em casos excepcionais. Por isso vamos tentar reverter esta situação.

Quantos as ofensas dos dirigentes da OAB- PA e da Seccional de Marabá, na verdade são por demais corriqueiras tanto que são alvos de processo em trâmite na Justiça Federal proposto por este magistrado já aguardando sentença, tudo por não saberem segurar suas línguas, inclusive por noticiarem falsas denúncias.

O TJPA sempre apurou reclamações contra este juiz e nunca houve qualquer processo dormitando, tanto que tenho a grande maioria arquivado por ser improcedente, onde todos os corregedores são merecedores de honra e glória na suas atuações.

Por fim , entristeço-me,  Sr. Jarbas Vasconcelos, por sua alegria ao meu afastamento, pois quando o senhor  foi afastado da presidencia da OAB-PA pela OAB Federal, sob “graves acusações”, na verdade não aproveitei a situação para escarnecer sua pessoa, pois diferente do senhor, entendo que todos são inocentes até que se prove em contrário, e acusações sem prova são o mesmo que homem sem alma e sem Justiça no coração!

O homem que não tem juízo ridiculariza seu próximo mas o que tem entendimento refreia a sua  língua (Provérbios 11.12)

César Dias de França Lins

Juiz de Direito

 

 

 

 

 

 

Vereadores garantem ter provas de atos de corrupção do prefeito de Xinguara

 Vereadores Cícero, Cláudio e Luizinho acompanhado do Mario Hesketh: desvendando o novelo da corrupção em Xinguara


Vereadores Cícero, Cláudio e Luizinho acompanhado do Mario Hesketh: desvendando o novelo da corrupção em Xinguara

Cansados de exigir na tribuna da Câmara que o prefeito Osvaldo Assunção, o Osvaldinho, encaminhe a prestação de contas do Município dos anos de 2013 e 2014, e até ouvirem deboche de que as contas não poderiam ser encaminhadas por falta de máquina xerox no setor de Controle Interno, os vereadores Cícero Oliveira (PSB)  Luizinho (PCdoB) e Cláudio Elias (PT), ,começaram a desvendar ao que eles chamam de “a ponta do novelo da corrupção na Prefeitura de Xinguara”.

Acompanhados do advogado  Mario Hesketh,  os vereadores obtiveram, na última terça-feira, 25,  cópias dos relatórios técnicos da 2º Controladoria do Tribunal de Contas dos Municípios referente aos anos de 2013 e 2014, que apontam graves irregularidades, capazes de resultar na abertura de inquérito por crime de corrupção ativa, lavagem de dinheiro, prevaricação, e crime contra a lei de licitações.

A principal descoberta foi a comprovação de que a empresa Araguaia Construtora Xinguara Ltda, que tem como sócia  Edilma Botelho, esposa de Hosimário Pimentel, o Macarrão, principal financiador da campanha eleitoral de Osvaldinho em 2012, é a firma que mais abocanhou obras e serviços em Xinguara, recebendo dos cofres públicos no ano de 2013 a quantia de R$ 3.550.773,11; em 2014 R$ 6.369.705,50; e em 2015, até 21 de agosto, já havia faturado R$ 3.541.619,87 totalizando em pouco mais de dois anos de gestão, o recebimento de R$ 13.463.098,48.

Esse montante de valores corresponde a quase 20%  de todo o orçamento do Município, descontado os gastos de pessoal que pela Lei de Responsabilidade Fiscal é de 55% da receita.

Pelos cálculos dos denunciantes,  de cada R$ 10,00  da receita de custeio e investimento a Construtora Araguaia abocanha R$ 2,00 .

De acordo com o Balanço Geral divulgado pelo TCM, no ano de 2014, a Construtora Araguaia recebeu mais que a folha salarial da educação municipal, e quase o mesmo valor pago ao INSS dos servidores.

Denúncia Xinguara 2

O próprio Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), constatou por meio do Relatório Técnico nº 111/2015, referente a prestação de constas do FUNDEB irregularidades específicas no processo licitatório para locação de veículos da empresa Araguaia Construtora Xinguara Ltda – pregão nº 16/2013 SEMED.

Denúncia Xinguara  3

Ao ser cobrado pelos vereadores, o prefeito Osvaldinho, alegou que a prestação de contas já havia sido aprovada pelo Tribunal de Contas dos Municípios. No entanto o TCM por meio da 2º Controladoria, ao apreciar as Contas Anuais de Gestão referente ao ano de 2013 (relatório Técnico Final nº 345/2015) constatou que não foram apresentados setenta (70) processos licitatórios, entre cartas convites, dispensas, inexigibilidade e pregões, o que em para bom entendedor significa que as despesas foram realizadas, e até o envio da prestação de contas, os processos licitatórios não haviam sido “montados”, de forma a justificar os gastos de dinheiro público.

Denúncia 4

De acordo com o advogado da bancada de oposição na Câmara de Vereadores,  Mario Hesketh, a situação é grave, e conforme os documentos forem sendo analisadas, mais irregularidades poderão vir à tona.

Pela nossa experiência isso aqui é só o começo, vamos continuar esmiuçando os relatórios do TCM e subsidiando os vereadores para que estes cumpram o seu papel de fiscalizar o executivo”, explica o advogado.

 

“Feirão do Imposto” deve gerar bons negócios

Recebemos da assessoria do Conjove (Conselho de Jovens Empresários de Marabá), com pedido de publicação:

 

A Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje), em parceria com os movimentos de jovens empreendedores e empresários nos estados e outras instituições, realizará no dia 12 de setembro de 2015, em mais de 100 cidades brasileiras, a 13ª edição do Feirão do Imposto. Em Marabá, será a 5ª Edição.

A proposta é conscientizar a população sobre a carga tributária que incide em produtos e serviços no Brasil, alertar para os impostos que são cobrados no dia a dia e solicitar a correta, efetiva e transparente aplicação dos tributos em benefícios para a sociedade.

Desde 2010, realizamos esse evento de conscientização na cidade de Marabá, com apoio da Conaje (Confederação Nacional dos Jovens Empresários) do Brasil, da Acim (Associação Comercial e Industrial de Marabá), do Sindicom  (Sindicato do Comércio de Marabá) e de empresas locais que são mantenedoras desse evento.

Desde 2013, o Feirão do Imposto em Marabá se destacou como o maior em volume de negócios fechados, quantidade de empresas envolvidas e itens comercializados e em 2015 projetamos um maior crescimento desse conjunto de ações.

Estão previstas diversas ações de conscientização em Marabá, como venda de combustíveis, carros, motos, máquinas pesadas, máquinas agrícolas, piscina, Chopp e lojas do Shopping Pátio Marabá comercializando produtos e serviços, todas sem incidência de impostos, como também exposição de produtos com e sem valor de impostos, educação tributária na faculdade Carajás entre outras ações, segundo informações do Presidente do Conjove (Conselho de Jovens Empresários de Marabá), Caetano Candido dos Reis Neto.

O propósito do Feirão é “impactar a população Marabaense, mostrando como funciona o sistema tributário brasileiro e o quanto cada um paga de impostos na esfera municipal, estadual e federal. O objetivo é formar cidadãos mais conscientes e que possam realmente lutar para que o País tenha uma carga tributária justa e que os impostos sejam recolhidos e retornem em benefícios para a população”, enfatiza Caetano Reis.

Renato Cortez, coordenador nacional do Feirão do Imposto, acrescenta que em 12 anos de realização do projeto, a Conaje, os movimentos estaduais e os parceiros já conseguiram alcançar importantes resultados para reduzir a carga tributária brasileira, além de conscientizar, a cada ano, uma grande parcela da população. Entre os resultados estão a Lei 12.741 (Lei da Transparência), que instituiu a discriminação dos impostos nas notas e cupons fiscais, e a Lei 12.839, que estabeleceu a retirada de impostos federais que incidem em produtos da cesta básica.

Em agosto de 2014, também foi sancionada a Lei Complementar 147/1, que universaliza o acesso ao Simples Nacional ou Supersimples. A lei prevê a unificação do pagamento de oito tributos cobrados pela União, estados e municípios das micro e pequenas empresas. Conhecida também como Lei da Micro e Pequena Empresa, a medida foi apoiada desde o início pela Conaje, que participou das articulações desde o lançamento do projeto até a sanção da lei complementar.

O projeto Feirão do Imposto foi criado em 2003, na cidade de Joinville (SC) pelo Núcleo de Jovens Empresários da Associação Empresarial de Joinville (ACIJ), que mobilizou a sociedade civil joinvilense para informar e, sobretudo, educar a população a respeito do quanto se paga em impostos. A partir dessa mobilização, o Feirão se tornou uma ação nacional, desenvolvida anualmente pela Conaje para conscientizar se quanto se paga em impostos e acompanhar a destinação dos tributos.

Integrantes do Conjove divulgando nova edição do "Feirão do Imposto"

Integrantes do Conjove divulgando nova edição do “Feirão do Imposto”

Jair Farias: -“Sonho em ver o ´Bico do Papagaio´ a região mais promissora do Brasil”

Jair Farias, ao lado da esposa Theresa (E), recebendo das representes da Superintendência do Patrimônio da União (D),  Termo da Regularização Fundiária do município de Sítio Novo.

Jair Farias, ao lado da esposa Theresa (E), recebendo das representes da Superintendência do Patrimônio da União (D), Termo da Regularização Fundiária do município de Sítio Novo.

 

 

Sem demonstrar nenhum sentimento de vaidade diante das pesquisas realizadas em Sítio Novo do Tocantins, apontando-o como o prefeito mais bem avaliado do país, neste ano de 2015, Jair Farias conversou com o blogueiro por mais de uma hora, falando de sua gestão, das dificuldades que enfrenta para gerir um município de pequeno porte e com o mínimo de arrecadação própria.

O resultado da pesquisa do Instituto Skala, de Palmas, que indica a sua popularidade encaixada em 88%,  não lhe subiu a cabeça.

“Essa avaliação positiva é fruto de trabalho, muito trabalho, respeito aos moradores de nossa cidade e, principalmente, ao nosso perfil de extrema humildade. Os cargos passam, mas a vida permanece. Temos que ter humildade para celebrar bons momentos, como este apontado pela pesquisa, sabendo que qualquer decisão tomada de forma equivocada, coloca todas as conquistas a perder”, comenta, ao falar da pesquisa.

Quem anda meia hora pelas ruas de Sítio Novo acompanhando o prefeito, constata  a popularidade dele, por onde passa.

Não é exagero afirmar: ele trata praticamente todos os moradores pelo nome.

Para o carro, desce, abraça populares, pergunta por seus parentes, promete fazer uma visita à família, e toca prosa e prosas, sempre bem humorado.

As crianças, quando o veem no meio da rua, vão correndo abraça-lo.

“É o convívio diário com minha gente. Minha família veio pra cá na década de 1970, crescemos vendo todo mundo crescer ao mesmo tempo. Raramente esqueço o nome das pessoas, e quando isso ocorre,  me sinto mal, porque o hábito de chamar cada um pelo nome mostra o tanto que eu sou gente igual a eles”, explica.

Do bate-papo com o prefeito, o blog gravou a entrevista que segue:

 

Como você recebeu a notícia de pesquisa  lhe apontando como o prefeito mais bem avaliado do Brasil.

Jair-Muita tranquilidade. Não tufei o peito e nem perdi o equilíbrio de minha humildade. Essa avaliação positiva é fruto de trabalho, muito trabalho, respeito aos moradores de nossa cidade e, principalmente, e de nossa humildade. Os cargos passam, mas a vida permanece. Temos que ter humildade para celebrar bons momentos, como este apontado pela pesquisa, mas sabendo que qualquer decisão tomada de forma equivocada, coloca a perder todas as conquistas.

Em segundo mandato, a legislação impede nova candidatura sua à prefeitura. A pesquisa do Skala aponta também a intenção da comunidade desejar um candidato que dê prosseguimento a tudo o que você fez, cerca de 79% da população assim deseja. É uma forte tendência de que o nome endossado pelo atual prefeito deve ganhar a eleição com certa facilidade. O senhor entende assim?

Jair- Com toda a sinceridade, ainda não pensei nessa questão de minha sucessão, Tenho até maio do ano que vem para começar a tratar disso. Hoje, a minha atenção está voltada para terminar obras programadas e em execução. Agora, a pesquisa realmente mostra uma tendência segundo a qual  sou um forte cabo eleitoral para decidir a eleição de 2016, só que em política as coisas não funcionam assim. Tudo que está às mil maravilhas hoje, pode não ser o mesmo amanhã. Vamos com calma, fazer as coisas acontecerem na hora que devem acontecer.

Qual o segredo para um prefeito acumular tanta popularidade, chegando próximo a unanimidade?

Jair- Muito trabalho,  e colocar o chapéu somente aonde a mão alcança. Tenho consciência de que administro uma prefeitura de pequeno porte, e que tudo tem de ser regrado. Se eu não tivesse essa percepção, não teríamos chegado até aqui avaliados positivamente. A gente trabalha gastando apenas o que tem. Seria muito irresponsável se seu fizesse frentes de trabalho  com um caixa aquém das ações demandadas. Zelamos pelos pagamentos em dia de servidores, fornecedores, empreiteiros e prestadores de serviços. O segredo passa por aí.

Formadores de opinião de Sítio Novo, com quem eu já conversei, costumam dizer que você gosta muito de ouvir segmentos da sociedade, antes de tomar decisões. Age sempre assim.

Jair- Claro, às vezes não dá para fazer consultas, mas é agradável ouvir aqueles com quem convivemos diariamente. A participação da sociedade na administração pública emerge como forma de garantir a legitimidade de nossa gestão. Eu acredito muito naquilo que prega a participação dos cidadãos na formulação e implementação de políticas públicas, porque as tornam mais eficientes do que os governantes individualistas, fechados -, em razão da sustentabilidade política e legitimidade que logram para os seus programas de ação.

Uma vez você revelou a mim suas preocupações com o desenvolvimento não apenas de Sítio Novo, mas dos demais municípios da região do “Bico do Papagaio”. Pode explicar melhor suas reflexões?

Jair –Fala-se muito no “Bico do Papagio”, anunciam-se planos mirabolantes para estimular novas perspectivas, só que as ações pouco aparecem. Seminários, congressos, workshops, e todo tipo de encontros são realizados com belos discursos, mas depois não consigo enxergar nenhum programa em execução voltado para estimular o desenvolvimento socioambiental sustentável, para promover atividades que gerem empregos, capacitação profissional, educação ambiental, esporte e cultura em harmonia com o meio ambiente.

Todos os países e suas cidades mais desenvolvidas no mundo encontraram o caminho da vida digna a partir dessas questões.

Quem percorre nossas cidades situadas às margens dos rios Araguaia e Tocantins, mesmo que tenha o mínimo de sensibilidade para esses temas, descobre de cara os potenciais turísticos e logísticos, diante das potencialidades hídricas à nossa frente.

Pegue o carro e faça um tour, a partir de Tocantinópolis, passando por Itaguatins, São Miguel, Praia Norte, Sampaio, Carrasco Bonito, Buriti, São Sebastião, Esperantina e Araguatins, apenas para citar algumas cidades margeadas pelos nossos caudalosos rios. É muito desperdício de riquezas naturais! O Ecoturismo é um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista, promovendo o bem-estar das populações envolvidas. Isso tudo nós temos em nossas cidades ribeirinhas.

Por que então ninguém avança nessa área, criando polos turísticos verdadeiramente estruturados para tal?

Jair – Porque não se faz Turismo sem recursos. Porque Turismo requer infraestrutura, estradas decentes, hotéis com boas estruturas, treinamento de pessoal, melhoria do aspecto urbano das cidades. Turista quando sai de casa para conhecer uma praia ou uma região vocacionada para a prática de atividades de lazer, ele quer conforto, ser bem atendido, saber que a rodovia por onde seu  carro vai percorrer está em  condições de trafegabilidade. E cada ação dessa desenvolvida traz oportunidades de emprego e renda. Os polos turísticos têm prioridade para investimentos do setor público e privado, mas a implantação de polos dessa natureza depende de planejamento, envolvimento das comunidades locais, conservação dos atrativos naturais e investimentos em infraestrutura, equipamentos e serviços turísticos.

Quais seriam as cidades que comporiam esse polo turístico, no Bico do Papagaio?

R- Já falei anteriormente: Tocantinópolis, Itaguatins, São Miguel, Praia Norte, Sampaio, Carrasco Bonito, Buriti, São Sebastião, Esperantina e Araguatins

Bastaria estimular o polo turístico, ou a Região do Bico tem outras atrações econômicas?

Jair – Nós somos uma região rica, principalmente se considerarmos o tamanho de nosso rebanho bovino. Fala-se em atrair o capital privado para instalação de um moderno frigorífico. É perfeitamente possível atrair empreendedores para esse tipo de projeto, aqui na região. Nunca devemos esquecer do Eco Porto em construção em Praia Norte, que servirá de modal para o escoamento da produção econômica regional.

Você defende também a instalação de agroindústrias, pensando até em despertar o interesse dos agricultores de Sítio Novo para a criação de cooperativa objetivando esse fim. Como funcionaria?

Jair– Nós temos um projeto piloto em nosso município formado por alguns pequenos assentados com objetivo de exercitar o  plantio de frutíferas de várias espécies. Desse modelo, idealizamos a montagem de uma cooperativa que, num futuro próximo, trataria de montar uma pequena agroindústria para produção de polpas e sua comercialização. Um trabalho coletivo, que servirá de aprendizado. É a partir dessas pequenas células que vão surgindo os futuros  grandes negócios. E por que não pensar em estimular a criação de um polo de agroindústrias, com outras cooperativas criadas em São Miguel, Axixá, Augustinópolis e demais municípios? Podemos ter ainda um polo de hortigranjeiros, formado por pequenos produtores, suas famílias, para produção em escala.

O que falta para tudo isso se tornar realidade?

Jair- Falta protagonismo político, correr atrás, qualificar nossa representatividade em Brasília e em Palmas, com pessoas comprometidas e enfiadas até o talo nesses projetos. Olha, quando eu assumi  a Prefeitura, coloquei na cabeça que antes de terminar minha gestão, conseguiria  sacramentar a Regularização Fundiária de Sítio Novo. Fiz acampamento em Palmas e Brasília,  junto a Secretaria do Patrimônio da União, passava dias naquelas duas cidades, buscando abrir canais para viabilizar a sonhada Regularização. Depois de muita luta, conseguimos! Foi o maior presente que eu poderia dar aos nossos irmãos sitionovenses. Com protagonismo político, tudo é possível.

Terminando sua missão à frente da Prefeitura de Sítio Novo, qual seus objetivos imediatos?

Jair-Primeiramente, tirar pelo menos um mês de férias. Faz tempo que não sei o que é isso, descansar ao lado da família sem outras preocupações. Todo dia, minha agenda começa às cinco horas da manhã, quando acordo, e vai até tarde da noite. Depois vou ver o que farei da vida.

Não pensa em candidatar-se a um cargo legislativo, em 2018?

Jair- Pode ser um caminho, mas isso ainda não está em meus planos. Tenho recebido estímulos de muitas pessoas para tentar uma cadeira na Assembleia Legislativa. É uma ideia que não descarto, desde que eu receba o apoio das lideranças de minha cidade e dos amigos do Bico do Papagaio. Como sou um sonhador, e idealizo ver nossa região como uma das mais promissoras do Brasil gerando oportunidades para todos, vejo o Legislativo como palco ideal para a gente lutar por todas essas divagações que acabamos de fazer a respeito de desenvolvimento regional. O futuro a Deus pertence.

Pecuarista condenado por desmatamento ilegal

A Justiça Federal em Itaituba condenou o pecuarista Luiz Losano Gomes da Silva pelo desmatamento ilegal de aproximadamente 1.190 hectares de vegetação na Floresta Nacional do Jamanxim, em Novo Progresso, município do sudeste paraense. A decisão atende pedido de ação do Ministério Público Federal (MPF) ajuizada em março deste ano.

O réu é um dos envolvidos na Operação Castanheira e deve apresentar ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em até 90 dias, um plano de recuperação da área degradada que contemple o cronograma de execução e procedimentos técnicos que serão utilizados na área para minimizar os danos ao meio ambiente.

“Não há dúvida, o réu desmatou, sem autorização, área de floresta nativa de tamanho expressivo, a qual deveria ficar preservada, uma vez que a manutenção da biodiversidade dentro de padrões sustentáveis, incontestavelmente, garante o oferecimento, pela natureza, de fatores ambientais essenciais à vida e ao sustento do ser humano, como água, solo, clima equilibrado”, afirma a decisão.

Embora a condenação seja do início de maio, o MPF foi notificado somente no início desta semana. O acusado foi notificado da decisão em 10 de agosto. Em caso de descumprimento, o réu Luiz Losano Gomes da Silva deverá pagar multa de R$ 5 mil por dia.

Operação – Realizada entre o final de 2014 e início de 2015, a operação Castanheira teve como alvo grupo que atuava ao longo da rodovia BR-163, na região entre os municípios de Altamira e Novo Progresso. A área onde a quadrilha atuava concentrava cerca de 10% de todo o desmatamento da Amazônia de 2012 a 2014.

Inauguração da Clínica Aquafísio impressiona convidados pela modernidade

Um coquetel oferecido a convidados marcou a inauguração oficial da  Clínica Aquafisio.

Encontro social oportunizou aos convidados conhecerem de perto o ousado investimento da  fisioterapeuta Silvane Nascimento, que empreendeu a construção de um dos mais modernos centros de tratamento de lesões da região.

Referência da clínica se caracteriza por um acompanhamento individual dos pacientes, com profissionais especializados  e altamente competentes no segmento de reumatologia, traumatologia e ortopedia, neurologia, geriatria, pediatria, cardiologia, respiratória, ginecologia e obstetrícia.

A Aquafísio fica localizada  no bairro Cidade Jardim, mais precisamente na Rua B, Lote 22, tendo como referência, a terceira rua à esquerda, de quem vai de Marabá sentido São João do Araguaia, após a igreja Assembleia de Deus; ou Utilitários Auto Center.

Conforme constataram convidados, durante o coquetel, a concepção arquitetônica  da clínica é das mais modernas,  com uma piscina projetada exclusivamente para atender aos objetivos de diversos tratamentos – contando, inclusive, com ampla rampa de acesso à água, e escadas idealizadas para dar o máximo de segurança aos pacientes.

Imagens registradas do coquetel, mostram o ambiente saudável e moderno da clínica.

Aquaficio 10

 

Aquaficio 15

 

Aquaficio 12

Fisioterapeuta Silvane Nascimento

Imagem mostra um dos planos da piscina

Imagem mostra um dos planos da piscina

Convidados em um doa amplos ambiente da  da clínica

Convidados em um dos amplos ambientes da clínica

Silvane recepciona o engenheiro civil Antonio de Pádua

Silvane recepciona o engenheiro civil Antonio de Pádua

Coquetel oferecido à beira da piscina

Coquetel oferecido à beira da piscina

Silvane celebra presença de convidados

Silvane celebra presença de convidados

Aquaficio 3

Aquaficio 2

Graduada  em Fisioterapia Aquática, nas modalidades  Geriatria, Respiratória, Ginecologia/Obstetrícia, Reumatologia, Neurologia, e Ortopedia/Traumatologia –  pela faculdade Mauricio de Nassau, Recife-PE com especialização nos métodos Watsu, Bad Ragaz, Halliwick -, Silvane Nascimento preocupou-se em proporcionar aos  seus pacientes ,conforto, qualidade e eficiência -, quando da confecção do projeto arquitetônico da linda obra.

A fisioterapia aquática, também referida como hidroterapia, é um tipo de fisioterapia que envolve a utilização de piscina terapêutica.

A água pode oferecer maior resistência para certos exercícios e reduzir a força de gravidade, diminuindo o peso do corpo.

Terapia na água também reduz o impacto do exercício que pode levar ao desconforto.

Silvane explica que o trabalho na piscina beneficia  pacientes que têm dificuldade de locomoção.

“Os pacientes que têm dificuldade para andar ou têm lesões nas pernas que limitam a quantidade de carga que pode ser colocado sobre elas se beneficiam com a fisioterapia aquática. Esta forma de terapia também pode ser usado para ajudar a fortalecer os músculos. Exercícios de terapia na água são benéficos para pessoas que sofrem de uma variedade de doenças que afetam o coração e a circulação, como a obesidade, paciente cardíaco ou acidente vascular cerebral e diabetes”, conta a profissional.

Amanhã, o blog publicará depoimentos de pessoas presentes ao coquetel de inauguração da Clínica Aquafísio, verdadeiramente uma das  mais modernas do gênero do Estado.

—————-

Atualização às 20:10 (27/08)

Nota do blog: Grave falha do blogueiro, ignorar a autoria das fotografias publicadas neste post. Todas as imagens levam a assinatura do craque Alex Nery, nosso parceiro de todas horas. Desculpas, Alex!

 

 

Morador de rua constrói “baiuca” na VP8

Morador de Rua 2

Um morador de rua improvisou uma baiuca, no início da VP8 (próximo a Vila Militar Castelo Branco) usando pedaço de plástico e caixas de papelão.

A cena sensibiliza aqueles que veem o estado de extrema pobreza escancarada na via comercial mais importante da Nova Marabá, sem que alguém da área de assistência social providencie a retirada do moço,  aparentando idade sexagenária.

O “casebre” fica na calçada de um posto de gasolina, a 50 metros da Faculdade Carajás, e já está se transformando em local sem o mínimo de asseio.

Alguém se habilita a prestar assistência psicológico e de transferência do morador para um lugar mais digno?

Morador de rua

 

“Operação Madeira Limpa” prende servidores do Incra no Pará

 

Uma operação para desmontar quadrilha de comércio ilegal de madeira está sendo realizada na manhã desta segunda-feira, 24 de agosto, em vários municípios do Pará e em Manaus (AM) e Florianópolis (SC). O grupo alvo é acusado de coagir trabalhadores rurais a aceitarem a exploração ilegal de madeira dos assentamentos do oeste paraense em troca da manutenção de direitos básicos, como o acesso a créditos e a programas sociais. O prejuízo mínimo estimado ao patrimônio público é de R$ 31,5 milhões.

Executada pela Polícia Federal após pedido do Ministério Público Federal (MPF) tendo sido acatado pela Justiça Federal, a operação Madeira Limpa tem a meta de cumprir medidas de prisão preventiva ou temporária de 33 suspeitos de integrarem a quadrilha, incluindo servidores públicos federais e do Estado do Pará. Outro objetivo é a prisão temporária de um suspeito de ter aceitado propina do grupo, o secretário de Meio Ambiente de Óbidos, Vinícius Picanço Lopes.

Entre os servidores públicos federais com prisão decretada estão integrantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) ― incluindo o superintendente da autarquia em Santarém, Luiz Bacelar Guerreiro Júnior ― e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Entre os servidores estaduais estão funcionários da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e um integrante da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa).

No Pará, os mandados são cumpridos em Santarém, Óbidos, Oriximiná, Monte Alegre, e Uruará, no oeste do Estado, Belém e Ananindeua, na região metropolitana, e em Castanhal, no nordeste paraense. Além dos mandados de prisão, estão sendo cumpridos 37 mandados de busca e apreensão em residências de suspeitos e nos órgãos públicos envolvidos.

O MPF também pediu à Justiça que quatro servidores suspeitos sejam afastados de seus cargos e que os presos na operação sejam encaminhados ao Centro de Recuperação Sílvio Hall de Moura, em Santarém.

Crimes – Os investigados são suspeitos de formarem grupo organizado, estruturalmente definido e com divisão de tarefas, voltado à práticas dos crimes de corrupção ativa e passiva, associação criminosa, violação de sigilo funcional, falsidade ideológica, uso de documento falso, crimes contra a flora e crimes contra a administração ambiental.

Segundo as investigações do MPF, iniciadas em 2014, o grupo atuava em três frentes interligadas: um núcleo intermediador e empresarial, um núcleo operacional centralizado no Incra e um núcleo relacionado às fraudes em órgãos ambientais.

Enquanto o primeiro núcleo concentrava os negociantes de créditos florestais fictícios (esses negociantes são conhecidos como “papeleiros”) e empresas que recebiam a madeira extraída ilegalmente, o segundo núcleo atuava diretamente com o desmatamento, sob a permissão de servidores do Incra, e o terceiro núcleo era responsável pela mercantilização de informações privilegiadas sobre fiscalizações realizadas por órgãos ambientais e pela liberação irregular de empresas com pendências nessas instituições.

O MPF qualificou como “cruel” o modo de atuação do núcleo concentrado no Incra. “O grupo investigado transformou a SR30 (superintendência do Incra que abrange o oeste paraense) em um grande balcão de negócios, fazendo uso da instituição pública, e no exercício funcional, para viabilizar a extração ilegal de madeira em áreas de assentados. Muitas vezes, a prática criminosa é realizada sob submissão dos colonos à precária situação em que são colocados. Precisam barganhar direitos que lhes são devidos em troca da madeira clandestina”, registra petição do MPF à Justiça Federal.

Fundação Zoobotânica celebra 18 anos

 

Dia 19 de setembro   próximo, a Fundação Zoobotânica de Marabá estará celebrando sua “maioridade”.

Exatos 18 anos, é esse o tempo de vida do parque idealizado pelo médico Jorge Bichara, em conjunto com grupo de amigos preocupados com a rápida degradação ambiental da Amazônia, particularmente dos castanhais marabaenses e da fauna existente na área escolhdia para proteção dos nossos recursos naturais.

A FZM prepara vasta programação para celebrar a importante data.

A partir de hoje, o blog estará publicando matérias alusivas ao parque que protege animais e a flora regionais.

Uma das programações da celebração é a exposição que a entidade de fins filantrópicos fixará no Shopping Pátio Marabá.

Edna Rodrigues da Silva, do quadro de colaboradores da FZM (foto, de branco  entre estudantes marabaenses visitando o parque), diz que a programação de aniversário da Fundação está em fase final de elaboração.

“Estamos trabalhando com muito carinho a definição dos eventos, porque essa data é muito importante não apenas para a sociedade  de Marabá e região, mas para todos nós que trabalhamos aqui, dedicando nosso amor e empenho a essa causa que tanto nos encanta”,  diz Edna.

FZM Edna

 

Manoel Anani Lopes Soares, biólogo da FZM (foto segurando um exemplar de onça) comenta que, durante a programação de aniversário, será produzido um  vídeo institucional, para exibição em lugares públicos e nas escolas.

FZM Ernani

Em liberdade: extinta pena de Asdrubal Bentes,

O Juiz da 1a Vara de Execuções Penais da Região Metropolitana de Belém,  Cláudio Henrique Lopes Rendeiro, sentenciou a extinção da pena de prisão do ex-deputado Asdrubal Bentes, que havia sido condenado  a 3 anos, um mês e dez dias, acusado de troca de votos por cirurgias de esterilização.

Asdrubal cumpria pena de prisão domiciliar.

Juiz declarou também extinta  a pena de multa aplicada a Asdrubal.

Na denúncia original do Ministério Público, Asdrúbal Bentes era acusado de ter trocado votos por cirurgias de esterilização quando disputou a eleição para prefeito de Marabá (PA). Mas esse crime prescreveu porque, devido ao tempo transcorrido entre a denúncia e o julgamento, ele não poderia mais ser punido por essa acusação.

Por isso, foi condenado somente por esterilização cirúrgica irregular, crime previsto na lei que trata do planejamento familiar. Em sua defesa,

Bentes argumentou que não podia condenado por tal crime porque não é médico.

Abaixo, cópia da sentença do juiz extinguindo a pena.

AB 1

AB 2

ÃB 3

André Rizek considera Pikachu melhor que Ronaldinho Gaúcho

 

                               – “Hoje, o Pikachu é mais jogador que o Ronaldinho Gaúcho. Se o Ronaldinho está em campo só para bater falta ou fazer um lance de futevôlei dentro da área, o Pikachu faz isso tão bem quanto ele hoje, corre o campo inteiro, defende e ataca. Jogou uma barbaridade. Lancei essa pergunta no Twitter, “Pikachu ou Ronaldinho”, e até os tricolores falaram “hoje, Pikachu” .

 

Opinião é do melhor comentarista esportivo do Brasil, na avaliação aqui do poster -,  André Rizek (SportTV), comparando o jogador Paysandu com Ronaldinho Gaúcho, durante o programa “Redação SporTV, e colocando Pikachu em vantagem.

O jogador infernizou a defesa do Fluminense, quase marcou um gol de placa e assinalou o único gol do Papão no jogo quando o Tricolor vencia por 1 a 0 – Magno Alves abriu o placar, aos 10 minutos do segundo tempo, e Pikachu empatou aos 26, em bela cobrança de falta (o Flu garantiu a vitória aos 48, com Renato).

No Paysandu desde as categorias de base, o lateral-direito é o queridinho da torcida e tem números capazes de deixar muito atacante para trás. Para o jornalista Sidney Garambone, da TV Globo, o jogador do Papão merecia ser convocado para a seleção brasileira.

– O Pikachu está no Paysandu desde quando era menino, foi artilheiro do Paysandu durante 12 anos seguidos, é vice-artilheiro dessa temporada, tem 57 gols pelo clube em 201 partidas. Por que esse cara nunca foi convocado? Por que é da região norte, do Paysandu? Os números dele são números de qualquer convocação. Não é uma crítica à CBF, ao Dunga, mas a todos nós. Porque um jogador do Paysandu, da Série B, não pode ser testado? Ele tem mostrado há mais de três anos um desempenho super constante – defendeu.

Paysandu e Fluminense fazem o jogo de volta  na próxima quarta-feira, às 19h30, no Mangueirão.

Empreiteira da Cosanpa terá de comunicar cronograma de serviços

A Prefeitura de Marabá acaba de publicar nota comunicando que a empreiteira responsável pelas obras de saneamento em Marabá, contratada pela Cosanpa, terá que se regularizar junto ao Município, e assumir compromisso de seguir um cronograma de extensão da rede de água e esgoto em comum acordo com a Secretaria de Obras.

Até lá, as obras estão suspensas.

A decisão é consequência de uma reunião de moradores da cidade com o prefeito João Salame, no início da semana, na qual a comunidade fez duras críticas a empreiteira e a   companhia de economia mista, exigindo do Executivo que determinasse a paralisação das obras enquanto a  Cosanpa não refizesse seu cronograma de ação.

As críticas são voltadas  à buraqueira que a empreiteira realiza nas vias que estão sendo asfaltadas (e não são poucas!), e à demora para a recuperação das mesmas.

Sobrou até para o governador.

Moradores e presidentes de associações de bairros tentaram culpar Simão Jatene, pelos incômodos causados.

Nesse momento, o prefeito de Marabá ponderou que não achava justo o governador ser penalizado, considerando a necessidade da rede de água e esgoto ser estendida na cidade, visando a melhoria da qualidade de vida da população.

“O grande problema é que está faltando gestão da empreiteira, que não se dispõe a sentar-se com a prefeitura e seguir um cronograma adequado, em comum acordo”, disse Salame, colocando panos quentes na questão, e comprometendo-se a falar com o presidente da Cosanpa.

Depois de muita conversa, que durou mais de duas horas, o prefeito de Marabá pediu tempo aos moradores, prometendo agilizar gestões para encontrar uma solução.

Levou a mão ao telefone e  acionou o presidente da Cosanpa, Luciano Lopes Dias.

Narrou a ele os incômodos causados pela empreiteira, pedindo sua pronta intervenção, “a fim de evitar mais desgastes aos governos estadual e municipal”.

Salame comunicou a Luciano que iria determinar a notificação da empreiteira, enquanto a presidência da companhia de saneamento também se prontificou em assumir posição.

A publicação dessa nota abaixo, pela Prefeitura, é consequência da conversa narrada pelo poster.

———————

 

O secretário de Obras de Marabá, Antônio de Pádua Andrade, e o superintendente de Desenvolvimento Urbano, Gilson Dias Cardoso, se reuniram esta semana com a direção da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), para novamente discutir um assunto que vem causando prejuízos à população e aos cofres municipais: o fato de a empreiteira da companhia de águas quebrar ruas recentemente asfaltadas, para implantar rede de água e esgoto, e não tapar os buracos ou fazê-lo com pavimento inferior ao que se encontrava antes.

Durante a reunião ficou constatado que a empreiteira da Cosanpa está trabalhando irregularmente em Marabá, já que nem Alvará de Funcionamento a empresa possui.

Ficou então acertado com a direção da Cosanpa que a empreiteira só poderá retomar suas atividades em Marabá quando se regularizar e recolher os valores das taxas que a falta de documentação gerou.

Também ficou acordado que, ao retomar as atividades, a empresa terá de consertar de maneira correta todas as falhas que deixou em vias pavimentadas e depois destruídas.

Outro ponto que ficou certo entre a Prefeitura de Marabá e a Cosanpa é que, de agora em diante, todas as vezes que tiver de realizar um trabalho que implique na abertura de valas nas ruas, a empresa comunique local e data com bastante antecedência à Secretaria de Obras de Marabá. (Ascom)

Diário Oficial dos Municípios do Pará facilita tudo

 

Agora ficou mais fácil acessar editais, portarias e outros atos do governo municipal. Desde a última quarta-feira (19), Marabá está integrada ao Diário Oficial dos Municípios do Estado do Pará e, para acessar, é só entrar no Portal da Prefeitura pelo endereço maraba.pa.gov.br. O link está na coluna à direita da página – “Diário Oficial Eletrônico – Acesse Aqui”.

Comércio e amigos patrocinam festa de vereador

 

Cobrado por leitores para apurar a origem dos  recursos que o vereador Adelmo “do Sindicato” utiliza para festejar seu aniversário, o blog saiu a campo, levantando informações a respeito do assunto.

Numa primeira investida, o poster teve a sorte de receber telefonema de conhecido comerciante.

“Li a sua matéria no blog, e gostaria de ajudar a esclarecer seus leitores. Anualmente, um grupo de comerciantes participa dessa festa, ajudando a realizá-la, porque é uma forma da gente contribuir para o lazer de muitas pessoas, a maioria nossos funcionários comerciários”, disse a fonte.

Em seguida, com o nome disponibilizado dos colaboradores da celebração, o blog manteve contato com demais parceiros do evento, ouvindo a mesma versão.

Claro, não poderíamos também deixar de checar se  haveria recursos da prefeitura.

No prédio da Prefeitura, na Chefia de Gabinete,  Washington Rodrigues foi taxativo.

-“Aqui, não. E nem o vereador esteve pleiteando qualquer iniciativa nesse sentido. Mesmo que tivesse, receberia um não já que o prefeito vem combatendo, com determinação,  o desperdício de recursos. A ordem aqui é suspender qualquer tipo de despesa, e estamos fazendo como ele determina”.

Um dos comerciantes consultados pelo blog disse que até o palco a ser usado por ocasião dos shows programados para a festa do vereador,  foi doado por um promoter da região.

 

 

Protesto na PA-150 interdita rodovia por 12 horas

Protesto

Quem partiu de Marabá em ônibus, ontem à noite, com destino a Belém, a partir das 21 horas, só desembarcou na capital esta tarde.

Protesto à altura da rodovia PA-150,  mais precisamente à altura da comunidade Santa Maria, no município do Moju, no entorno do trevo que leva à Acará.

Protesto 2

Moradores da região protestavam reivindicando  o asfaltamento da estrada que liga a PA-150 à Acará, Concórdia e outras localidades, na sequência.

Manifestantes só permitiam a passagem de  ambulâncias,  desde que comprovada a presença de doentes em seu interior.

Pela parte da manhã, nem bem o dia amanheceu, o corpo de bombeiros e contingente da PM chegaram ao local, tentando demover os organizadores do protesto.

Protesto 3

As negociações  não avançaram. Exigiam a presença da imprensa da capital.

Com o passar do tempo, os ânimos foram ficando exaltados.

Quase ocorria um confronto entre  manifestantes,  passageiros e caminhoneiros.

Protesto 4

Por volta de 10 horas, comando de choque da PM  chegou ao local, conseguindo negociar a passagem de veículos de cinco em cinco carros.

O ônibus  Marabá-Belém, da Transbrasiliana, chegou ao terminal Rodoviário agora, às 15 horas.

As fotos foram enviadas pelo amigo Dornélio Silva, um dos diretores do instituto Doxa, que ficou por mais de dez horas parado à beira da estrada, esperando sua liberação.

Protesto 5