Como o eleitorado paraense está votando em Bolsonaro?

O artigo abaixo é assinado pelo diretor do Instituto de Pesquisa Doxa, Dornélio Silva:

 

Analisando dados de pesquisas realizadas pela DOXA no estado do Pará, pude extrair, através de cruzamentos de variáveis, o perfil do voto de Bolsonaro no Estado: passa por mesorregiões, cidades, sexo, faixa de idade, renda, escolaridade, religião, ocupação.

Além dessas questões, vamos identificar em quem o eleitor Bolsonarista está votando para o governo do estado do Pará, em quem vota para o senado e para deputado federal; além de aferirmos como este eleitor avalia o governo de Helder e de Bolsonaro.

Vamos saber se o eleitor bolsonarista tem conhecimento do envolvimento de Helder em corrupção.

Vamos analisar o perfil dos 31,0% de intenção de voto que tem, hoje, Bolsonaro no Pará.

Quando analisamos a distribuição dos votos de Bolsonaro pelas mesorregiões, verificamos que a maior concentração dos votos está nas mesorregiões Sudeste/Sudoeste, representando 39,1%. A Metropolitana representa 32,5% dos votos bolsonaristas.

Aprofundando um pouco mais esse voto geográfico descobrimos as 8 (oito) cidades paraenses mais bolsonaristas: Belém, Santarém, Parauapebas, Ananindeua, Marabá, Paragominas, Altamira e Itaituba.

O eleitor de Bolsonaro é mais do sexo masculino, 52,3%; no entanto, o percentual de mulheres é grande, 47,7%.

Em se tratando de faixa de idade, a concentração dos votos de Bolsonaro está na faixa de 30 a 44 anos, 31,4%. Ressaltamos que na faixa de 22 a 29 anos, a concentração é significativa, 27,8%; assim como na faixa de 45 a 59 anos, 20,9%.
Quando falamos de nível de escolaridade, os eleitores de Bolsonaro estão concentrados no Ensino Médio, 63,8%
Agora, em se tratando de renda familiar, a maior concentração, 44,5%, é na faixa de Acima de 1 até 2 Salários Mínimos. Depois de 0 a 1 Salário Mínimo, o que soma 39,2%.

Quando se trata de credo religioso, o eleitor bolsonarista, em sua maioria, é evangélico, chegando a 46,0%. Os católicos representam 42,6%.

Quanto à ocupação, o eleitor bolsonarista no Pará está concentrado no Autônomo (pequeno empreendedor), representando 24,0% dos votos do atual presidente. Depois vem o empregado da iniciativa privada com 18,2%. A dona de casa representa uma parcela significativa de 12,4% e estudante, 10,1%.

O comportamento eleitoral dos bolsonaristas em relação à aprovação e desaprovação do governo de Helder Barbalho, mostra o seguinte quadro: 63,2% estão aprovando o governo de Helder; enquanto 29,4% desaprovam. Quando avaliam o próprio governo de Bolsonaro, 88,9% estão aprovando; outros 7,4% desaprovam.

Quanto ao voto dos bolsonaristas para governo do estado, 54,8% estão votando em Helder Barbalho; enquanto 10,9% votam em Zequinha Marinho; Major Marconi recebe, 5,3% dos votos bolsonaristas.

E, em relação aos candidatos ao senado, como estão votando os bolsonaristas? O estudo mostra que 28,9% vota em Márcio Miranda (PTB). E a segunda maior votação bolsonarista vai para Mário Couto (PL), 11,3%.

O estudo identifica em quem os bolsonaristas paraenses estão votando para deputado federal. Em primeiro lugar ficou o delegado Eder Mauro, 17,7%; depois vem Márcio Miranda que aparece bem votado entre os bolsonaristas, 13,8%; delegado Eguchi tira 5,9% e Joaquim Passarinho, 4,0%.

O estudo mostra como pensa o eleitor bolsonarista em relação ao governo Helder a partir da seguinte questão: “você acha que o governo Helder Barbalho está ou não envolvido em corrupção?”. 43,6% afirmam que o governo está envolvido em corrupção; enquanto 24,0% dizem que não está envolvido. Outros 22,0% são indiferentes; e 10,5% não quiseram se manifestar.

Em relação à decisão do voto por causa dessa situação, 48,1% dos bolsonaristas afirmam que diminui a vontade de votar em Helder; e outros 39,5% acham que isso não interfere na decisão do voto.

E por qual meio de comunicação os bolsonaristas se informam sobre as coisas que acontecem no estado? A grande maioria se informa pela internet, 60,6%. Depois vem a televisão, aparecendo com 33,1% de citações.

Assim, podemos conhecer melhor o voto bolsonarista do estado do Pará.

No próximo artigo, vamos conhecer o perfil do voto de Lula no Pará.

Academias no Pará são obrigadas a garantir segurança a mulheres

Academias e espaços que promovem atividades físicas passaram a ser obrigados a dispor de meios que auxiliem a garantir a segurança de mulheres nos ambientes de treinos.

A Lei Nº 9.637 foi publicada no Diário Oficial do Estado na última terça-feira (28) e prevê medidas para coibir assédio e importunação sexual nos estabelecimentos.

Dentre as novas normas, estratégias de comunicação entre o empreendimento e a mulher devem ser destacadas e priorizadas.

No Pará, 7.255 mulheres foram vítimas de algum crime de violência de gênero em 2021. Os números somam um aumento de 30% em relação ao ano anterior e foram registrados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (Segup).

A lei sanciona que os espaços devem promover treinamentos que capacitem funcionários a agir de acordo com as regras, além de informar, por meio de cartazes em banheiros ou outros locais, que o estabelecimento têm disponibilidade em auxiliar a mulher que se sinta em situação de risco de sofrer abusos físicos, psicológicos e sexuais.

Junto a isso, acompanhamento até o carro, outro meio de transporte ou comunicação à polícia também passam a ser obrigatórios.

Pesquisa indica “dobradinhas” preferidas do eleitorado de Marabá para deputados Estadual/Federal

O blogueiro teve acesso a uma série de pesquisas nos últimos cinco dias, realizadas em todo o Estado.

Duas delas, registradas no TRE.

Uma outra,  sem registro. Portanto, vedada qualquer tipo de publicação.

De uma das registradas no TRE, o blogueiro fará comentários, específicos, ainda hoje,  sobre os números alcançados.

Mas há dados de uma consulta que mereceu atenção especial, de acordo com o que foi revelado ao blogueiro por uma pessoa que teria tido acesso aos números da pesquisa.

Um dos quesitos medidos faz a seguinte pergunta ao entrevistado:  -“Se o seu candidato a deputado estadual é fulano, em qual candidato a deputado federal você pretende votar”?

Se as eleições fossem hoje, a preferência do eleitorado de Marabá estaria dessa forma:

O pré-candidato a deputado federal do eleitor que vai votar para deputado estadual em Thiago Miranda,  é o médico Dr. Veloso.

Essa “dobradinha”, segundo teria auferido a pesquisa não registrada, tem a preferência da maioria.

Em seguida, aparece a intenção do eleitor de votar em João Salame (estadual) e Keniston Braga (federal);

A maioria do eleitorado do pré-candidato a deputado estadual Dirceu ten Caten (PT) diz que votará em  Airton Faleiro (PT), para federal.

E a dobradinha Ilker Moraes (Podemos)/ Elcione Barbalho (MDB) está na preferência do eleitor do vereador marabaense.

No Pará, quem está votando em Bolsonaro?

Pela parte da tarde, o bog publicará dados de uma pesquisa do instituto Doxa, abordando  diversas situações.

Uma dessas situações revela o posicionamento do eleitor de Bolsonaro no estado do Pará.

Polícia Civil prende três envolvidos em crimes de abuso e exploração infanto-juvenil praticados pela internet

A Polícia Civil do Pará deflagrou, na manhã desta quinta-feira (30), a nona fase da operação “Luz na Infância”, com o objetivo de apurar e reprimir crimes de abuso e exploração infanto-juvenil praticados através de meios virtuais.

A operação é nacional, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e realizada de forma simultânea em 13 estados brasileiros e outros seis países.

No Pará, a operação foi coordenada pela Divisão de Combate a Crimes Contra Grupos Vulneráveis Praticados Por Meios Cibernéticos (DCCV/DECCC). Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão, nas cidades de Belém e Ananindeua, que resultaram na prisão em flagrante de três homens pelo crime de armazenamento de conteúdo pornográfico infanto-juvenil em dispositivos eletrônicos.

Um dos homens também foi preso pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e munição.

Além das prisões, também foram apreendidos diversos dispositivos eletrônicos, como discos rígidos, aparelhos celulares, pendrives e tablets. De acordo com a delegada Lua Figueiredo, da Diretoria Estadual de Combate a Crimes Praticados por Meios Cibernéticos, os aparelhos apreendidos serão encaminhados à perícia para reunir informações que permitam esclarecer o modo de atuação dos acusados e identificar outras pessoas envolvidas nos crimes apurados.

Em Marabá, Helder anuncia benefícios antes das proibições estabelecidas pela Justiça Eleitoral

À véspera do prazo legal para que ocupantes de cargos públicos possam participar de inaugurações de obras ou anunciar benefícios, Helder Barbalho esteve em Marabá na quarta-feira, 29, assinando ordens de serviços.

Umas das principais ações do governo do Estado foi  assinatura do termo aditivo para ampliação do Hospital Regional do Sudeste do Pará, da ordem de quase R$ 7 milhões para ampliação do número de leitos de UTI e postos de diálise.

Helder garantiu ainda a construção de uma policlínica e de uma unidade do UsiPaz.

Além disso, o governador também assinou o termo para 20 quilômetros de asfalto.

A partir deste sábado, 2, as  autoridades públicas não poderão nomear, contratar ou demitir sem justa causa qualquer servidor público, bem como contratar shows pagos com recursos públicos e pronunciamentos em cadeia de rádio e televisão fora do horário eleitoral gratuito também ficarão proibidos.

Os pré-candidatos também não poderão comparecer a inaugurações de obras públicas.

O dia 20 de julho marcará o início da janela para realização das convenções partidárias, que decidirão os candidatos para as eleições de outubro.

Em 5 de agosto, se encerra o prazo para as convenções das legendas partidárias decidirem os candidatos a presidente e vice-presidente, governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes, deputados federal, estadual e distrital.

A partir de sábado, 6 de agosto, as emissoras de rádio e TV ficam proibidas de veicular propaganda política, dar tratamento privilegiado a um candidato, partido ou coligação.

O dia 15 de agosto marcará o limite para os partidos, federações ou coligações partidárias registrarem as candidaturas de seus candidatos.

Já no dia 16, será iniciado o período de propaganda eleitoral. Os candidatos poderão realizar comícios, fazer propagandas em alto-falantes, distribuir material gráfico, fazer passeatas, além de veicular propaganda paga na imprensa impressa e virtual.

No dia 26, a propaganda eleitoral gratuita referentes ao primeiro turno das eleições chegará às emissoras de rádio e TV.