Coordenador de Hospitais Regionais fala sobre atendimento a cardíacos

Publicado em 30 de abril de 2012

 

 

Arthur Lobo, Coordenador dos Hospitais Regionais o Estado do Pará, envia texto fazendo considerações ao comentário do médico Manoel Cláudio Furtado Veloso sobre a falta de estrutura, em Marabá, aos pacientes acometidos de problemas cardíacos.

 

Li atentamente o comentário oportuno do Dr. Manoel Veloso, o qual ainda não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente em Marabá durante as minhas visitas a este município como coordenador dos hospitais regionais do estado. Tive excelente recomendações por terceiros de sua qualidade profissional.

Concordo 100% de que precisamos treinar o maior numero possível de socorristas em todas as esferas da sociedade e coloco o HR Geraldo Veloso a disposição afim de que seja um polo irradiador de conhecimento e capacitação neste sentido

A disponibilidade de desfribiladores nos locais públicos não e realidade brasileira e salvo raros exemplos, além do que tem de ser prescindido do treinamento citado anteriormente

No entanto, há um ponto em questão que não foi tocado que e mais importante que e a dieta balanceada, exercício físico e hábitos de vida de uma maneira geral de educação em Saúde como o combate ao tabagismo que devem ser intensificados no município de Marabá e que custam bem menos e salvam mais vidas, cabendo ao município a assistência básica em sua grande parte.

Quanto ao HR gostaria de informar que em julho entregamos a região do Sudeste a UTI ampliada com mais 10 leitos e toda equipada, obra esta que já esta bastante avançada. Agora daqui a 10 dias começam as obras do novo prédio da HEMODIALISE e administração que nos vão permitir transferir o espaço hoje ocupado pela direção para instalação do setor de hemodinâmica completo, que devera estar pronto nos próximos 7 meses. a ampliação da UTI e fator imprescindível neste processo.

Agora, a hemodinâmica vai salvar muitas vidas sim, no entanto, a maioria dos procedimentos vão ser eletivos como em todos os serviços deste porte. O que precisamos e diagnosticar a nível ambulatorial os pacientes que necessitam de cateterismo afim de corrigir os processos obstrutivos das coronárias ou doenças das válvulas cardíacas, doenças sentais, etc..

Espero ainda poder contar com os colegas da terra habilitados como o Dr. Arilson nesta empreitada.

Tenham certeza que um novo tempo esta chegando para Saúde de Marabá e regiões vizinhas

Dr. Arthur Lobo
Coord. HR do Estado do Pará