Incra renova expectativas de mais titulação nos assentamentos em Palestina do Pará

O Incra,  através da Unidade Avançada de São Geraldo do Araguaia, realizou atendimentos no Projeto de Assentamento Angical e Açaizal, atendendo  dezenas de agricultores (foto abaixo)

A reunião foi uma das fases de instrução de processos administrativos do instituto para  viabilizar a segunda etapa de titulação de assentados rurais do município de Palestina do Pará.

“O trabalho de hoje é mais uma etapa vencida e visa dar maior agilidade ao processo de regularização fundiária, ampliando,  assim, a quantidade de assentados que terão acesso aos seus títulos definitivos de suas terras”, esclarece o vereador  Sezostrys da Saúde, da Palestina.

Falando com a Redação do blog,  Sezostrys disse que, ” enquanto vereador, é muito gratificante poder participar desse importante momento, que seguramente vai viabilizar o alcance desse sonho de tantos anos aos nossos amigos assentados rurais”, disse.

O parlamentar da Palestina fez questão de destacar o trabalho do Incra.

“Graças ao trabalho realizado com muito comprometimento pelos profissionais do INCRA,  tem sido primordial para que possamos ter essa rapidez e eficiência na instrução dos processos que são indispensáveis para que os títulos possam ser emitidos e brevemente entregues. A labuta não para. Brevemente, todos estarão com maior capacidade de investimento, de trabalho e produção no campo, tendo segurança e o direito de posse garantido”, finalizou o vereador (foto abaixo).

Vereadora Elza Miranda diz que pobreza em Marabá só aumenta: – “O poder público precisa agir para amenizar o grave quadro social”

“A pandemia de coronavírus está tendo  o potencial de levar a um aumento das desigualdades. Aqui no município de Marabá eu constato esse problema de forma direta, visitando comunidades, conversando com famílias necessitadas. Sem falar nas centenas de mortes registradas até agora, milhares de pessoas estão sendo jogadas na pobreza. A crise expôs nossa fragilidade coletiva e a incapacidade de nossa economia profundamente desigual trabalhar para todos e todas”.

 

Declaração  é da vereadora Elza Miranda (PTB), ao fazer uma breve avaliação do quadro social de Marabá, ela que tão bem transita pelos “guetos” da pobreza do município -,  ora prestando assistência, ora apenas oferecendo seu jeito carinhoso de tratar as pessoas menos favorecidas.

O papo foi rápido, pelo celular.

Do lado de cá, o blogueiro tentando extrair ao máximo informações -, enquanto do lado de lá – , Elza expondo  uma visão madura de como vê a urgência de se olhar com mais carinho as famílias desassistidas de Marabá.

“Eu entendo que a prefeitura tem que dar importância vital a ações governamentais  para proteger a saúde da população, e pensar, sim, em um tipo de auxílio social às famílias que vivem em regime de subsistência. Tem muita gente passando fome, precisando da mão governamental, que nessas horas precisa deixar de lado preocupações  de gestão fiscal e ter um olhar humanizado voltado para essa grave situação social marabaense, cada dia mais deprimente. Estamos numa situação, hoje, onde  cidadãos e governos devem agir com urgência para amenizar o sofrimento de vidas humanas”, declara Elza.

Elza Miranda é conhecida como política que sempre esteve ao lado dos mais necessitados.

Originária de família com poder econômico consolidado, ela não ficou presa à bolha da riqueza.

Ao contrário, desde muito antes tentar seu primeiro mandato de vereadora, em 1988, como esposa de fazendeiro, Miranda contribuía socialmente, auxiliando quem a ela buscava apoio.

“Nunca me senti bem sabendo que eu e minha família tínhamos tudo o que queríamos, enquanto do lado de fora de casa via mães de família sofrendo, necessitando do mínimo para sobreviver. Também não gosto de ser simbolizada como ´mãe dos necessitados´, como já chegaram a me classificar. Eu faço o que faço  com muito amor, uma necessidade de contribuir para ajudar a reduzir  a miséria. É uma obrigação de todo ser humano contribuir para ajudar a construir um mundo melhor”, declara a vereadora.

Paulista de São Vicente, Elza Miranda elegeu-se vereadora em 1988, acumulando em seguida mais dois mandatos na Câmara Municipal de Marabá, com o atual.

Em 1994, alçou voos mais altos, elegendo-se deputada estadual.

Daí pra frente, conseguiu mais dois mandatos na Assembleia Legislativa doPará.

Vereadora Cristina Mutran cobra melhor atendimento na área de saúde de Marabá

Em discurso durante a sessão desta terça-feira, 28, a vereadora Cristina Mutran (MDB) fez uma exposição dos problemas  que ocorrem na área de saúde de Marabá.

Citou nominalmente o Hospital Municipal como foco de preocupações, já que ali o atendimento é de péssima qualidade.

Médica e com larga experiencia na convivência com a população mais carente da cidade, Cristina cobrou da prefeitura maiores investimentos, objetivando qualificar não apenas o atendimento da comunidade, mas a valorização dos corpos técnicos de demais servidores que atuam no setor de saúde.

“Como médica, sei dos problemas que afligem nossa população. Quando o meu marido, Nagib Mutran Neto (já falecido)  ocupou a secretaria de Saúde ,  acompanhei de perto as dificuldades por ele enfrentadas para superar demandas e qualificar o atendimento. A prefeitura precisa priorizar  o volume de recursos para a Saúde, porque nossa população não suporta mais tanto sofrimento”, disse a parlamentar.

Deputado estadual marabaense denuncia Equatorial por altas taxas de energia

Deu no Correio:

 

 

O deputado estadual Chamonzinho apresentou na manhã desta terça-feira, dia 28, moção que pede, junto à Assembleia Legislativa, esclarecimentos da Rede Equatorial Energia sobre a péssima qualidade no fornecimento de energia e altas taxas praticadas pela empresa.

Além de solicitar a instalação de suporte técnico e operacional da Rede Equatorial no município de Curionópolis, bem como nos demais municípios do estado, que carecem de atendimento próximo e imediato de seus serviços.

Na plenária, o deputado falou sobre as dificuldades que os municípios enfrentam pela má qualidade do serviço e o pouco acesso à informações.

“É inadmissível que a nossa população continue enfrentando problemas que trazem inúmeros prejuízos e transtornos para os municípios, e a empresa responsável não cumpra seu papel.  São longos períodos de espera para a resolução de problemas simples e um descaso total na qualidade do atendimento. Por isso, a empresa precisa prestar esclarecimentos e garantir o direito de toda população do estado do Pará de ter um serviço de qualidade e taxas condizentes com a realidade” afirmou o Chamonzinho.

Não é de hoje que a empresa Equatorial Energia vem causando dano material à população paraense, agindo de modo abusivo pela má qualidade dos serviços de sua concessão. Além, da cobrança de taxas exorbitantes que comprometem o orçamento das famílias.

Na residência da dona de Casa Mayara Chagas, moram 5 pessoas e ela relata que nos últimos meses, as cobranças de energia elétrica têm comprometido a renda da família.

“Minha conta de luz vem cada mês mais cara, somente em setembro o reajuste foi de quase 50% do valor que pagamos. Além desse valor abusivo, ainda temos dificuldades de acessar o serviço para reclamar das cobranças” afirmou.

A moção apresentada pelo deputado Chamonzinho contempla não somente a vontade da população, mas a necessidade de acesso a um serviço de qualidade e taxas condizentes com a realidade das famílias paraenses, considerando que o Pará está entre os estados com maior tarifa de energia elétrica do país, mesmo sendo um grande gerador de eletricidade.

Secretário de Saúde de Marabá entrega o cargo. Irizan Silva é o novo secretário

O secretário de Saúde de Marabá Valmir Silva Moura não é mais secretário de Saúde.

Ele tomou a iniciativa de entregar o cargo ao prefeito Tião Miranda.

Interinamente, quem já assumiu foi Irizan Silva, que ocupava a função de Assessor Especial da Secretaria de Saúde.

Qual o motivo da saída de Valmir?

Bem, o bogueiro apurou que a decisão do demissionário foi pessoal, preocupado com o zumzumzum de que estaria em andamento algum tipo de investigação em meio  as instabilidades na gestão da saúde poública de Marabá.

“Ele deixou o cargo  por decisão pessoal, diante de rumores  que indicamsituações inusitadas e que podem gerar um desfecho causador de mais  instabilidade”, disse um servidor qualificado do Hospital Municipal de Marabá.

Alguma investigação da Polícia Federal em andamento?, perguntou o blogueiro.

Do outro lado da linha, apenas riso e uma frase enigmática: -“o tempo dirá”.