Controlado incêndio na Flona de Carajás

Publicado em 31 de agosto de 2012

 

 

Na quinta-feira, 30, no 15º dia de combate o incêndio florestal na Floresta Nacional de Carajás foi finalmente controlado.

O apoio do Prevfogo/ IBAMA que enviou 14 brigadistas da brigada municipal de Itupiranga e um coordenador do estado do Alagoas, reforço aportado pela VALE na infraestrutura com mais um helicóptero de combate e um grupo de bombeiros civis especializados foram decisivos para o controle desta emergência ambiental.

As chuvas nos dias 29 e 30, mesmo curtas e localizadas também contribuíram muito para a contenção do incêndio.

A área queimada está toda cercada por aceiros mecânicos e manuais, além de um pequeno igarapé considerado uma barreira natural ao avanço do fogo.

Inicia-se, nesta sexta-feira, 31, o trabalho de rescaldo e monitoramento das linhas de defesa. A extensa área e a densa vegetação queimada dificultam este trabalho devido à grande ocorrência de focos de requeima na área atingida.

O incêndio só será considerado extinto após a conclusão do rescaldo que deve perdurar mais 15 ou 20 dias.

A equipe envolvida diretamente no combate, especialmente aqueles que presentes desde o primeiro dia (chegando a mais de 100 colaboradores entre brigadistas, apoio, logística e coordenação) merecem os parabéns.
Mas ainda não terminou e toda a paciência e atenção são necessárias para mantermos o controle deste incêndio florestal e evoluirmos para a sua extinção.

O combate é coordenado pelo Instituto Chico Mendes, responsável pela proteção da Floresta, com o apoio da mineradora Vale, através do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios do Mosaico de Unidades de Conservação de Carajás.

Jornal Pessoal completa 25 anos na edição de sexta

Publicado em 31 de agosto de 2012

Nesta sexta-feira, 31, nas bancas, Jornal Pessoal, com seguintes destaques:

 

1- Parauapebas: a eleição cobiçada

 

 2- JP: 25 anos nesta edição                                

 

 3- Magistrados não ganham bom salário?

 

4- BELO MONTE

De volta ao começo

Mais de um ano depois de começar, a obra da hidrelétrica do Xingu foi paralisada. A justiça reconhece sua inconstitucionalidade. A partir de agora, tudo será desfeito ou prevalecerá o fato consumado?

Quebra-quebra em Serra Pelada teve fins políticos

Publicado em 29 de agosto de 2012

 

 

Em Curionópolis, as investigações  até agora realizadas para apurar a responsabilidade  pelo quebra-quebra no distrito de Serra Pelada, dias atrás,  não deixam margem de dúvida quanto aos fins políticos da agitação irresponsável que quase provoca uma tragédia no garimpo.

Como um dos presos é  João “Corintiano”, motorista do candidato a prefeito do município  Adonei Aguiar (DEM), as investigações encaminham a responsabilidade do crime ao próprio candidato do Democratas, conforme apurou o blog em conversa com autoridades policiais envolvidas na apuração do caso.

A polícia já identificou a participação no quebra-quebra de muita gente ligada ao candidato a prefeito  Adonei Aguiar, entre elas Francisco Aderbal, candidato a vereador  pelo DEM,  que foi preso em flagrante, meses atrás, juntamente com Adonei,  distribuindo panfletos apócrifos  contra juízes e promotores da Comarca de Curionópolis -, e Manoel Zacarias, também candidato a vereador pelo PSB – partido coligado à candidatura de Adonei.

Manoel Vacarias e Francisco Aderbal   arregimentavam pessoas,   e eram encarregados pela distribuição  de alimentos para os arruaceiros, que ficaram concentrados em um  acampamento   na estrada

Encontram-se presos, o advogado  Rodrigo Maia,  com passagem pela polícia preso por trafico de droga, e João “Corintiano”,   motorista de Adonei.

A polícia está à procura de    Etevaldo Arantes e  Ataliba – também líderes do ato criminoso.

Incêndio na Flona Carajás ainda não foi controlado

 

 

O incêndio foi detectado em 16 de agosto e tem sido combatido de forma intensa desde então, mas ainda não foi controlado. O fogo teve início em uma linha de transmissão (LT) de energia ao Norte da FLONA, próximo a divisa com a Área de Proteção Ambiental do Igarapé Gelado, a altura da barragem do Geladinho. O local é acidentado, de grande declividade. A estimativa é de que o fogo já tenha queimado 500 ha de floresta primária. O incêndio é superficial com queimas de copa localizadas.

A retaguarda do fogo é vulnerável, pois fica à margem da LT, com muito material combustível seco. A área foi aceirada mecanicamente. Dia 20/08 Foi iniciado um segundo incêndio por perda de controle do fogo na retaguarda. A frente principal do fogo foi alcançada no último final de semana por 15 brigadistas. Foi deslocado um trator para abertura de estrada até a frente do fogo, chegando a 250 m do incêndio. Foi iniciado também no final de semana o combate aéreo com apoio de um helicóptero. Está sendo feito um ataque terrestre pelo acesso aberto com o trator com cerca de 40 brigadistas.

O flanco direito do fogo foi totalmente contido por aceiro manual e há 10 brigadistas monitorando. No flanco esquerdo foi feito um aceiro manual para formar uma linha de defesa contando com 20 brigadistas.

O combate é coordenado pelo Instituto Chico Mendes, responsável pela proteção da Floresta, com o apoio da mineradora Vale, através do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios do Mosaico de Unidades de Conservação de Carajás. O efetivo total está em torno 70 brigadistas, além do pessoal no apoio logístico. Somaram-se a equipe ainda 20 brigadistas da Eletronorte no apoio ao combate. A estrutura usada é de 3 tratores, 1 helicóptero e 3 caminhões pipa.

Sobre as causas do incêndio, estão sendo investigados pela equipe de perícia do Mosaico de Carajás, ainda sem parecer conclusivo.

Percebe-se um impacto importante nas áreas atingidas pelo incêndio, especialmente a alteração da Floresta Ombrófila Primária tipo Montana, contudo devido ao intenso combate este impacto tem sido minimizado pela descontinuidade do fogo ao longo da área atingida.

Algumas áreas foram queimadas completamente e outras apresentaram boa resistência à passagem do fogo. Percebe-se a fuga de animais das áreas queimadas, mas foram registrados animais mortos na área, especialmente répteis e pequenos mamíferos.
Equipe da Floresta Nacional de Carajás.