Hoje é Dia do Orgasmo. Você já teve o seu?

Publicado em 31 de julho de 2012

 

 

 

 

Você sabia que nesta terça-feira, 31, comemora-se o Dia do Orgasmo?

Isso mesmo!

A data foi criada em 1999 na Inglaterra por redes de sex shop. Elas teriam realizado pesquisas que revelaram que 80% das inglesas não têm orgasmo em suas relações.

Aqui no Brasil, pesquisas  mostraram que 50% das brasileiras têm “problemas” orgasmáticos e que “12 milhões de nossos homens sofreriam de alguma disfunção sexual”. Justifica-se, assim, do ponto de vista médico, a criação do dia.

Que 80% das inglesas não gozem não é assunto que nos interesse.

Já os 50% de brasileiras que fingem são um problema de segurança nacional.

Imaginem a dimensão da coisa: de cada duas mulheres, uma não goza nem que a vaca tussa.

Portanto, se você, meu amigo, já esteve na cama com vinte mulheres saiba que dez delas já te esqueceram há muito, exceto a que se tornou amiga do peito.

Vejam bem:  não estou a incitar a que se conte o número de parceiras que se já teve. Eu sei que tem uns caras aí  dados a esse esporte pouco romântico e chauvinista, mas o que digo me serve apenas como ponto de análise a ser apreciado na prática.

Invertamos o gênero na berlinda. Quantos homens sexualmente ativos tem o país?

Digamos que tenha 50 milhões, e não me perguntem por que escolhi esse número. (É o resultado de um rápido cálculo mental cujos métodos e parâmetros eu não confessaria nem ao médium depois de morto.) Então não seríamos 50 milhões; seríamos de fato 38 milhões, já que 12 milhões estão a viver tentando, e nada ou pouco conseguem.

Ponhamos novamente o sexo frágil à berlinda.

Digamos que haja também 50 milhões de mulheres sexualmente ativas. Dessas, 25 milhões são elegantes e cínicas fingidoras. Eis, em poucas palavras, uma visão geral e comedida de nossa tragédia nacional. Temos 37 milhões de frustrados sexuais e, quiçá, outro número enorme dentro deste, de punheteiros, siririqueiras, voyers, e tantos outros tipos alternativos de “sexo” que visam compensar o normal que lhes é impossível.

Bem se vê a importância do dia 31 de julho como o dia do orgasmo. Uma multidão sem ele implora a que sejam lembrados, numa tênue esperança a que um dia venha compartilhar de seus benefícios.

É sabido que a mulher tem uma relação conflituosa secular com o orgasmo, e há povos que impõem a ela a própria mutilação para impedir que os tenha. Aos que duvidam sugiro Infidel – my life, da somali Ayaan Hirsi Ali, um contundente e impressionante relato de uma vida em busca da liberdade e, hoje, em fuga dos ainda vigentes opressores. Há de residir nesse conflito e opressão da mulher grande parte das causas de sua infelicidade sexual e escassez orgástica.

Ao homem resta o artefato da necessidade de corresponder à expectativa do macho e garanhão, máquina incansável de sexo, exemplo de espécime que dá duas ou três sem tirar. É muita responsabilidade. Duas ou três sem tirar beira a insanidade fisiológica e a anormalidade patológica. É caso para internamento ou remoção da prótese.

Assim, que tenham todos um excelente dia do orgasmo. Sem culpa e com benefícios para a saúde.

O orgasmo não deve tornar o coração do homem (e da mulher) como o irremediável papel amarrotado que não se refaz; não deve ser fonte de sofrimento e dor.

Para Jatene, eleger Tião é questão de sobrevivência política

Publicado em 31 de julho de 2012

 

 

A candidatura a prefeito de Sebastião Miranda é  aquela  , preferencialmente,   mobilizadora  das forças políticas e administrativas do  governo estadual.  Candidato declarado do governador Simão Jatene,  Tiao Miranda receberá apoio maciço de secretário do governo paraense, a partir do mês de agosto, quando a campanha será intensificada.

Na visão de Jatene, a eleição de Tião é fundamental para a consolidação de dois projetos.

Primeiro, a partir de Miranda na prefeitura de Marabá, Jatene pretende ampliar estocadas nos demais municípios do Sul do Pará visando arrefecer  o sentimento separatista, levando à nocaute a luta pela criação do Estado de Carajás.

Em um segundo momento, fazer de Marabá base de todas as ações de Jatene nos 38 municípios da região de olho na sua reeleição  em 2014.

Portanto, para Jatene, eleger Tião Miranda é  prioridade número um na atual disputa eleitoral.

Flamengo rumo à Série B

Publicado em 29 de julho de 2012

 

 

Em alguns momentos de nossa vida, atitudes extremas ou a eclosão de fatos inusitados  são o caminho mais fácil para a correção de curso.

No futebol,  issso cabe como uma luva.

A bagunça que cerca a gestão do Flamengo bem  poderia ser plenamente coroada com a queda do time para a segunda divisão do futebol. Não tenho a menor dúvida de que essa vergonhosa condição de clube  da Série B causaria um tsunami nas entranhas do Mais-Querido, atual saco de pancadas do Campeonato Brasileiro.

O problema do time está fora dps gramados.

Seu epicentro é na sede, lá na Gávea, onde a patora da Patrícia Amorim faz de tudo para levar o time à segunda divisão.

Depois da goleada desta tarde imposta pelo São Paulo, chego à conclusão de que a revolução rubro-negra só ocorrerá quando o time “cair”.

Todos os clubes grandes que passaram por essa humilhante situação,  dia seguinte experimentaram  processo radical de mudanças.

Basta voltar a página do tempo e lembrar do Atlético Mineiro, Palmeiras, Fluminense e Vasco.

Cai, Flamengo.   Cai!

M….pura, nas água do Tocantins

Publicado em 29 de julho de 2012

 

 

Quem alerta  é um banhista assíduo  frequentador da praia do Tucunaré, em Marabá: há risco muito grande mergulhar nas águas  do Tocantins, principalmente nos finais de semana, próximo às chamadas casas flutuantes -,  praga de construções  cada dia mais povoando nosso rio.

Risco de misturar-se às fezes que saem das imoralidades – tudo sob o beneplácito da secretaria de Meio Ambiente, que nada faz para coibir a proliferação  dos casebres.

Conseguiram, com o apoio das autoridades municipais, e da própria Marinha, favelizar um dos rios mais lindos do país.

Merda pura.

Pé na estrada

Publicado em 29 de julho de 2012

 

 

Manoel “da Cosanpa”, candidato a prefeito pelo Psol/PSTU, limitado pelas condições financeiras de sua campanha, busca o voto do eleitorado batendo de casa em casa – sem muito alarde.

Tenta convencer o eleitor da importância de seu nome como opção aos demais candidatos em campo.