Hiroshi Bogéa On line

Month: Janeiro 2007

Total 75 Posts

2008 chegou

Definidos os cargos regionais nos municípios paraenses, será dada a largada para a disputa da eleição municipal em todos os quadrantes. Em Marabá, a sucessão de Sebastião Miranda (PTB) envolve uma série de fatores devido ao contingente maior de pretendentes, a começar pelo próprio prefeito que não pretende entregar seu

Continue lendo

Negociação

O que se tem comentado ultimamente, sem, no entanto, essa versão ter sido ouvida do próprio prefeito de Marabá – pessoa de personalidade forte e introspectiva -, é a possibilidade de Sebastião Miranda negociar sua futura candidatura a deputado federal ancorada no apoio ao nome de Asdrúbal Bentes (PMDB), de

Continue lendo

Amarrando a proa

Com ou sem apoio de Sebastião Miranda, o deputado federal do PMDB já está em plena campanha. Aos 65 anos, Asdrúbal sabe que esse é o momento de tentar realizar seu maior sonho político escorado na aglutinação de forças que tem conseguido e o crescimento eleitoral de seu nome no

Continue lendo

Dois bicudos

Ademir Martins, coordenador regional da Democracia Socialista, ligada a Ana Julia, agora à frente de uma diretoria da Secretaria de Integração Regional, tem sinalizado nas entrevistas à imprensa local de que o PT deverá ter candidatura própria em 2008, logicamente desde que o nome não seja o da deputada estadual

Continue lendo

À espreita

Correndo por fora, persistente e com tremenda vocação para buscar apoios onde considerar viáveis e inviáveis, o deputado João Salame (PPS) aposta em seu discurso e no poder de convencimento que lhe é peculiar. Mantém-se até agora calado, quando o tema é eleição municipal -, sem, no entanto, descuidar-se de

Continue lendo

Acordos

Em outro cenário, João Salame não descartaria – inviabilizada suas articulações para tornar-se candidato de Sebastião Miranda -, uma composição com Asdrúbal Bentes. Dificilmente, mas não impossível – como tudo em política! -, facilitaria recuos diante de uma negociação com o Partido dos Trabalhadores. Em Marabá, nos últimos anos tem

Continue lendo

Setor produtivo

Em todo período pré-eleitoral, a classe empresarial de Marabá ensaia lançar nome para disputar a prefeitura. Tudo fica apenas no ensaio. Pode até ser que em 2008, isso mude e o setor produtivo decida partir pro limpo.Quais nomes viáveis? Eleitoralmente, hoje, só o de Leonildo Rocha, do Grupo Leolar, que

Continue lendo

Correndo por fora

Ex-presidente da Câmara Municipal, o vereador Maurino Magalhães (PL) é candidato a prefeito, não pede segredo e vem intensificando sua campanha silenciosamente nos bairros e junto às igrejas evangélicas -, confiante ter construído base capaz de sustentar sua candidatura durante os cinco meses que passou à frente da prefeitura municipal,

Continue lendo

Unidade

Pelo andar do carango, Darci Lermen (PT) será conduzido por unanimidade à presidência da Associação dos Municípios do Araguaia- Tocantins. À exceção do prefeito de Tucuruí, Cláudio Furman (PTB), que andou testando a viabilidade de seu nome sem também articular negociações junto a seus colegas, até o presente momento ninguém

Continue lendo

Definindo rumos

Valdir Ganzer deverá homologar licitação vencida pela Delta Engenharia, para agilizar a recuperação da Pa-150, cujo processo encontrava-se amarrado em recursos de construtoras perdedoras sob alegação de direitos subtraídos. Bom lembrar que esse edital foi publicado e apurado ainda na gestão anterior. Diante da urgência para a recuperação de mais

Continue lendo

Saga de heróis

A biblioteconomista Maria Virginia Mattos, para nós rara historiadora dos tempos marabaenseses, é quem conta num ensaio publicado no Boletim Técnico No 3 da Fundação Casa da Cultura, a importância do major-aviador carioca Lysias Augusto Rodrigues para a integração de muitos municípios da bacia Araguaia-Tocantins ao transporte aéreo. O texto

Continue lendo

Longe da civilização

Nunca é cansativo lembrar que a maioria daquelas cidades só conhecia o transporte fluvial. Nem estradas havia. Marabá, por exemplo, só foi interligada por via rodoviária a partir de 1969, com a inauguração da Pa-70, e da Transamazônica, aberta ao tráfego em 1972. Antes disso, para se alcançar outras povoações

Continue lendo

Novas rotas

O artigo de Virginia Mattos, reforçado por depoimentos importantes fisgados de outras publicações, cita o entusiasmo dos jovens pilotos do Correio Aéreo Militar em busca de ampliação do raio de atuação do transporte aéreo, naquela época reservado a raras cidades do sudeste. O maior obstáculo que enfrentavam era a inexistência

Continue lendo

Bandeirantes

Três desbravadores foram escalados para explorar por terra um longo trecho que saia de São Paulo a Goiás, e daí até Belém: Lysias Augusto Rodrigues e dois representantes da Panair, Félix Blotner e Arnold Lorenz. Missão deles: definir cidades e locais onde os campos de poucos seriam abertos.Como a maior

Continue lendo

Aeroportos

A expedição realizada em 1931, em verdade, possibilitou às autoridades municipais receberem dos aviadores orientação para a abertura dos primeiros campos de pouso em Ipameri, Planaltina, Formosa, São João da Aliança, Cavalcante, Paraná, Peixe, Porto Nacional, Tocantínia, Pedro Afonso, Carolina, Imperatriz e Marabá. A dimensão padrão de cada pista deveria

Continue lendo

Marabá, lá embaixo

Em 1931, o prefeito de Marabá era Ascendino Monteiro Nunes, que não seguiu a orientação dos visitantes quanto as dimensões da pista. Resultado: quatro anos após a exploração terrestre, o major-aviador Lysias Rodrigues espantou-se ao se aproximar da pista de Marabá, vindo de outras cidades onde também inaugurara seus aeroportos,

Continue lendo

Perto do fim

Até recentemente, mais ou menos dez anos atrás, rota quase idêntica aberta pelo heróico piloto do CAM ainda era usada pela aviação comercial, no trajeto São Paulo- Belém, com escalas em Uberaba, Uberlândia, Brasília, Goiânia, Porto Nacional, Pedro Afonso, Carolina, Imperatriz, Marabá, Belém. Progressivamente, a redução de custos e a

Continue lendo

Assinatura

Meio chegado assim a São Tomé, o poster revolveu tirar a prova dos nove para não ficar nenhuma dúvida, checando em cada entidade a informação repassada –isso depois da garantia de que a assinatura de Adelina Braglia estaria epigrafada em quase todos os documentos de criação das associações de bairros

Continue lendo

Do começo

A história começou numa rodada de bate-papo, semana passada, e o nome de Adelina Braglia foi à baila a propósito da comparação de conduta das administrações municipais identificadas com o envolvimento do povo em suas decisões. Ali mesmo chegou-se a conclusão de que a ex-vereadora de Marabá, que chegou, inclusive,

Continue lendo

Onde o povo está

E não é que é verdade?!Associação dos Moradores da Nova Marabá, Associação da Mulher de Marabá e tantas outras de bairros como Laranjeiras, Liberdade, Cidade Nova, Morada Nova, São Félix, Murumuru e diversas Folhas da Nova Marabá. Nas atas de fundação, a estilizada assinatura de Adelina, como que simbolizando inicio

Continue lendo

Despertando a massa

Muito antes do Orçamento Participativo ser adotado pelas gestões do Partido dos Trabalhadores, lá atrás Adelina desenvolvia a sua PP (Participação Popular) bem mais abrangente, ensinando o povo a andar de novo com suas próprias pernas e vontades, sacudindo silenciosamente espíritos adormecidos e mostrando nos bairros a força do envolvimento

Continue lendo

Urbana e Rural

A primeira entidade popular criada no município foi a Associação da Nova Marabá, de onde Adelina partiu, com seu jeito educadamente suave de falar, convencendo incrédulos e incautos, até chegar à zona rural, mais precisamente em Murumuru, fincando ali a base de um discurso organizado que saiu frutificando em outras

Continue lendo

Marcas que ficaram

Socióloga, a paulista Maria Adelina Guglioti Braglia deve ter chegado a Marabá lá pelos idos dos anos 70, com a missão de coordenar o Campus do Projeto Rondon. Idealista, não se contentou apenas em cumprir a sua função acadêmica, certamente ansiosa por acreditar na possibilidade de criar espaços para a

Continue lendo

Voltas que o mundo não dá

O deputado André Dias (PSDB) é um sujeito de sorte mesmo. Durante a campanha eleitoral, ele teve consistente apoio à sua reeleição, no sudeste, do coronel Henrique Coelho de Souza Araújo, que prestava serviço em Marabá. Em reuniões com as comunidades que reivindicavam segurança-já, o oficial da PM levou algumas

Continue lendo

Almas penadas

O pôster anda acionando meio mundo para saber o clima da reunião entre Almir Gabriel e os deputados federais Nilson Pinto, Zenaldo e Wandenkolk (eleito), ocorrida ontem no apartamento do morubixaba tucano. Objetivo do encontro: convencer Almir a interceder para que Mário Couto se retire das articulações que vem fazendo

Continue lendo

Venha a nós vosso Reino

Gerson Peres disse a um aliado do sudeste que seu relacionamento com Lula está cada vez mais fortalecido, razão principal dele pretender conversar semana que vem com o presidente da República para acertar a convivência do PP com o governo Ana Júlia. Procurar a governadora, o deputado federal eleito não

Continue lendo

Devagar com o andor

Nessa mesma conversa ocorrida na manhã desta sexta-feira, Gerson Peres aproveitou para sugerir ao seu interlocutor voto favorável à candidatura de Domingos Juvenil (PMDB), justificando a escolha “como decisão mais acertada de pessoas que foram eleitas e querem dar respostas positivas ao eleitorado”. Trocando em miúdos, o pragmatismo de Gerson

Continue lendo

Tema relevante

Como o Pará pode se transformar em território hospedeiro de pelo menos mais duas hidrelétricas (Belo Monte e Santa Isabel), é tempo da gente acumular informações sobre o tema.Uma das oportunidades pode ser o XXVII Seminário Nacional de Grandes Barragens, que ocorrerá pela primeira vez em Belém, de 27 a

Continue lendo

Gasoduto

No final desta tarde, em hotel de Marabá, este pôster conversou longamente com executivo de uma usina de ferro gusa que acabara de desembarcar na cidade para acompanhar as obras de expansão industrial da empresa. Comentário dele sobre ação política da governadora Ana Julia reivindicando o assentamento por território paraense

Continue lendo

Serra Pelada

Pode até ser que desta vez dê certo, mas tem muita gente achando também que ainda pode fazer água o aparente entendimento entre as “lideranças” dos garimpeiros que tem até o dia 30 de janeiro para a conclusão da locação de direitos exigida pelo governo para pôr fim à porfia

Continue lendo