Hiroshi Bogéa On line

Month: dezembro 2006

Total 72 Posts

Boa idéia

Kenzo Jucá discorre sobre projeto de lei do senador Geraldo Mesquita (PMDB-AC) aprovado no Congresso Nacional instituindo a Escola Técnica Federal de Construção Naval de Cruzeiro do Sul. Ao que ele diz: Nesse Congresso Nacional que todos conhecem, existem raros lampejos de boas ações e notícias para a Amazônia e

Continue lendo

Vida ribeirinha

A manifestação do Kenzo Jucá mostra o quanto falta no Estado do Pará personagens do setor político sensíveis às causas simples mas geradoras de benefícios sociais e capazes de transformar a vida das pessoas. Pegando apenas um braço do Tocantins, a construção artesanal naval sempre teve atuação forte nos municípios

Continue lendo

Festa nas ribanceiras

Barcos denominados de “Tapitariquara”, “Juarez Botelo”, “Alkindar Contente” fizeram história. As ruas à beira do rio eram movimentadas avenidas com seus costumes e tradições, farra alegre e contagiante – como tudo envolvendo comunidades que afloram de cara para rios e igarapés. Os povos nascidos nas ribanceiras são bem humorados, brilham

Continue lendo

Por que não?

Quem conhece os benefícios do transporte fluvial tem consciência de que uma política de governo voltada para estimular o setor, quem sabe criando-se também escola técnica de construção naval no Pará, mudaria a vida de milhares de ribeirinhos, revelando-se talentos da carpintaria fluvial e reativando a vida dos rios com

Continue lendo

Para que o Banzo não mate

O clima de Natal, inevitavelmente, bate nossas portas, numa imitação de gestos, palavras, consumismo, negro estágio da mediocridade repetitiva a embalar de vulgaridade o comum das pessoas.Para que a gente não se angustie mais ainda com tanta falta de criatividade -, localizei, no fundo do baú, texto maravilhoso do poeta,

Continue lendo

Canção de Fim de Ano

Que dia maravilhoso haverá, aquele em que for possível telefonar para os melhores amigos e dizer-lhes que houve um ligeiro engano, que não teria sido preciso escrever coisa alguma? E que, dali em diante, nada mais se escreverá, a não ser os nomes e os números necessários das pessoas e

Continue lendo

Faxina

Quando assumir em 1º de janeiro a presidência da Câmara de Marabá, vereador Miguelito Gomes (PP) tomará medidas duras para reduzir despesas. De cara, demitirá 25 servidores. Somente na portaria existem lotados dezenove. Todos juntos em um mesmo horário não cabem na área de recepção do prédio do legislativo. Confusão

Continue lendo

Mão na massa

Futuro secretário de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), Carlos Guedes desembarcou em Marabá para ações rápidas como coordenador da equipe de transição e ainda pontuando como delegado do Ministério de Desenvolvimento e Reforma Agrária. Esteve no Incra e manteve contatos com diversos setores da sociedade. Antes de retornar no final

Continue lendo

Eu sou, e daí?!

A providencial publicação da lista completa dos aspones de Jatene, na edição desta terça do Diário do Pará, mostra porque o ex-prefeito de Itupiranga, Benjamin Tasca (PTB), recusou-se apoiar candidatos oposicionistas que pediram votos no município – mesmo sendo ele acusado em praça pública pelo então secretário de Agricultura do

Continue lendo

Bombando o homem

No Tutti Qui deste domingo de O Liberal continua a campanha pela valorizaçao do “passe” de Paulo Chaves. Com todas as letras, diz-se que o arquiteto “foi sondado por um amigo de Luiz Paulo Conde – que foi prefeito do Rio de Janeiro e deve ser o secretário de Cultura

Continue lendo

Burguês emperiquitado

Olhando aqui do interior pra capital, a gestão de Paulo Chaves na secretaria de Cultura foi o maior retrocesso que o setor conheceu em toda a história. Primeiro, em quase uma década à frente da pasta, o PC dos paraenses jamais visitou uma cidade do Sul do Estado, e se

Continue lendo

Canto de Ossanha

Perguntar ao Paulo Chaves se ele sabe onde se pode ver e ouvir o canto-choroso das quebradeiras de coco do Araguaia, é correr risco dele imaginar tratar-se do canto das incelenças em noites de velórios nordestinos. Ir mais fundo, aventurando-se em pedir considerações sobre o “Beirarubu” realizado anualmente em Conceição,

Continue lendo

O toque do Poeta

Os ritmos “culturais” que embalaram a criatividade de Paulo Chaves são feitos de cimento, ferro e vidros -, maiores obras da gestão tucana emoldurados na Estação das Docas, Mangal, Feliz Luzitânia e Centro de Convenção. Não discuto os benefícios desses empreendimentos (que são muitos) -, apenas citados como símbolos de

Continue lendo

Bate tambor, Ana

Tomara que o futuro secretário Edílson Moura, em suas primeiras iniciativas, seja percorrer o Estado, sair da capital para se aproximar dos verdadeiros fazedores da arte e movimentos criativos, recolhendo informações para as linhas básicas de uma política cultural do Estado. Necessário se faz interiorizar-se, criar planejamentos e programas voltados

Continue lendo

Resistência cultural

Está na hora do poder central de Belém contribuir para acabar com um fenômeno que batizo de “resistência cultural” e que se formou na última década pela ausência de políticas públicas destinadas às artes e as suas manifestações diversas, geralmente vivenciadas em grande parte dos trinta e oito municípios da

Continue lendo

Bom de mira

Dia 5 de dezembro, a 1:33 PM, o post “Ver para crer: dizia: “Tem gente do PT dizendo que as listas dos prováveis secretários de Ana Júlia divulgadas em jornais e blogs ainda podem aparecer com nomes substituindo os que já foram revelados. Uma fonte faz a seguinte previsão: a

Continue lendo

Cena Um

Agosto de 2006. N a cabeceira de uma mesa, encontra-se Almir Gabriel, recém confirmado em convenção candidato a governador do Pará com a fácil missão de vencer em primeiro turno. Completando a rodada, cinco empresários do Sul do Pará. O assunto gira em torno da importância da candidatura do tucano

Continue lendo

Cena Dois

Cinco dias depois do resultado do primeiro turno. Em uma sala de escritório em Belém, ao lado de Sérgio Leão, um nervoso Almir Gabriel recebe cinco empresários do Sul do Pará – quase os mesmos integrante da reunião de agosto. Depois de uma análise rápida da eleição, tenso e desapontado,

Continue lendo

Cena Três

Naquele momento da reunião tensa, a “União pelo Pará” necessitava de R$ 1 milhão para quitar compromissos inadiáveis. Ao ser revelado o valor da “mala preta”, de repente, um dos convivas dispara: – “Mas apenas R$ 1 milhão? Isso é uma vergonha. Temos condições de dar cada um é esse

Continue lendo

Cena Quatro

Fora do escritório do PSDB, os cinco investidores realizam encontro para articular a arrecadação da grana. Na discussão um terceiro empresário decide mudar o rumo dos fatos ao fazer a seguinte colocação: – Vocês acham que estamos agindo com sensatez de levantar R$ 500 mil só para o Almir? Esses

Continue lendo

JCP, o breve

Ninguém deve prognosticar resultados eleitorais com bastante tempo de antecedência de qualquer disputa, nem mesmo próximo a ela. O dinamismo dos fatos e os humores voláteis do eleitorado costumam desdizer previsões. Mas há situações em que a ojeriza popular ganha proporções tão grandiosas que o futuro de determinados homens públicos

Continue lendo

Quem me quer

Ao final de mandato dos atuais parlamentares que não conseguiram reeleger-se, restará inicialmente à deputada Elza Miranda (PSDB) enfrentar o difícil processo de ressocialização, traumático caminho de readaptação ao dia a dia dos mortais de políticos que deixam a vida pública pela vontade popular. Quem já passou por isso, diz

Continue lendo

Será o Benedito?

Tem aquela bem antiga segundo a qual “onde há fumaça, existe fogo”. Pois não é que está crescendo a falação de que o prefeito de Marabá estaria com o pé no PMDB? O blog anda checando esse furdunço, mas até agora não confirmou nada. Nem Jader Barbalho foi sondado sobre

Continue lendo

Prefeito-asfalto

É bom dizer também que Sebastião Miranda não é chegado a aventuras. O status quo dele é restrito praticamente a ele mesmo e só ele. Entre deixar o PTB que ele domina e faz o que bem entende para assentar-se em qualquer outro partido normalmente cheio de “generais”, o prefeito

Continue lendo

Duas frentes

Carro-chefe das pretensões dos governos do PSDB no Sudeste do Pará, Sebastião Miranda sempre teve uma relação conflituosa com Almir Gabriel e Simão Jatene. Mais com o segundo, é verdade. Entre tapas e beijos, convivia antiga aproximação com Almir desde os tempos da campanha deste para o Senado. Mas os

Continue lendo

Peba emplaca dois secretários

Milton Schneider e André Farias representarão Parauapebas no primeiro escalão do governo Ana Júlia. Como já foi amplamente divulgado, o primeiro ocupará a Emater, e André a estratégica secretaria de Integração Regional. Milton foi candidato a deputado estadual do prefeito Darci Lermen enquanto Farias até bem pouco tempo dirigia a

Continue lendo

Prefeituras fechadas

As prefeituras de Parauapebas e Marabá entrarão de recesso dia 20 de dezembro. O retorno às atividades ocorre dia 3 de janeiro. Esta nota é mais voltada aquelas pessoas que tem negócios em órgãos ligados a essas prefeituras, e que moram em outras localidades.

João & Maria & Sivuca

Agora era fatalQue o faz-de-conta terminasse assimPra lá desse quintal Era uma noite que não tem mais fimPois você sumiu no meu mundoSem me avisarE agora eu era um louco a perguntarO que é que a vida vai fazer de mim (Sivuca–Chico Buarque) Sou obrigado a parar tudo, em pleno

Continue lendo

O som que vem de Deus

Ouvir o toque sanfoneiro de Severino Dias de Oliveira, nascido em Itabaiana, é incorporar dentro da gente uma pluralidade sonora que somente gênios do quilate de Sivuca conseguem organizar -, ponteando rica variedade de ritmos e vozes, que vão de Clara Nunes, Chico Buarque e outros cantores ao sopro dos

Continue lendo

Volta triunfal

O estilo “generoso” de governar dos tucanos, entre tantas maldades praticadas durante doze anos, alcançou em plano segundo turno da eleição o cargo do Cel. Henrique Coelho, que dirigia o policiamento da PM no sudeste do Pará, lotado em Marabá. O oficial foi demitido da função acusado de fazer campanha

Continue lendo