Jogo duro

Deputada federal Bel Mesquita (PMDB) não cogita nenhum tipo de aproximação política com o prefeito Darci Lermen (PT), seu adversário em Parauapebas. No entanto, ao assumir a Câmara Federal, em 2007, Bel terá uma postura institucional com a prefeitura, vabilizando recursos e tratando das coisas pública sem nenhuma alimentaçao restrição de qualquer espécie. Ela deixou isso bem claro aos seus aliados.

Chega pra lá

A deputada Socorro Gomes (PCdoB/PA), com a seriedade que se impôs na vida pública, chega firme para se manifestar coerentemente sobre a proposta do governador Simão Jatene de incluir representantes do TJ e MPE/PA na Comissão de Transição:
“Em que pese o enorme respeito que temos pelas duas instituições, é preciso lembrar que a transição é no Executivo, que os poderes são independentes e que não podemos passar à sociedade a idéia de que o MPE e o Judiciário funcionam no Pará como correia de transmissão do governo estadual”.
Bem dito.

Lá e cá

“O povo americano votou pela mudança. Hoje, nós fizemos história, agora, faremos progresso”. ( Nancy Pelosi, líder da minoria democrata na Câmara, ao conhecer o resultado da eleiçao norte-americana que deu vitória ao Partido Democrata).
A frase nos arremete ao Pará que ouviu isso em todos os cantos do Estado depois da vitória de Ana Júlia. “Fazer o progresso” é o que esperamos todos agora, por aqui.

O texto de Ana

Gostoso acompanhar a série de matérias investigativas da Ana Célia Pinheiro, no DIÁRIO DO PARÁ. Em tempos de vacas magérrimas nessa área do jornalismo, a persistência dela em passar a limpo o nebuloso período do governo tucano gera alento em quem acredita ainda na magnitude da verdade.
O texto enxuto escancarando números oficiais das bandalheiras de gabinetes devassa qualquer tentativa de desmentido da corte palaciana. Persistente, preocupada em não deixar vácuo em suas denuncias, corajosamente profissional, Ana multiplica as virtudes do jornalismo perseguidor da verdade, sem entremeios de panos quentes.
Ler Ana faz bem à alma e ao caráter das pessoas de bem. É como tody. Energizante.

Riscos de mais mortes

De repente, o Hospital Regional Geraldo Veloso, construído em Marabá para atender 21 municípios do Sudeste, pode se transformar em palco de tragédias jamais vistas. A secretaria executiva de Saúde, à frente Fernando Dourado, dentro do plano eleitoral de manipulação da opinião pública, formou um quadro técnico composto de enfermeiras e páramédicos inexperientes, médicos com salários abaixo do que se paga em qualquer lugar do país -, portanto, descaracterizando a própria referencia de média e alta complexidade do hospital.
Há o temor se generalizando de que novas mortes ocorram no Hospital Geraldo Veloso por omissão ou causadas pela inexperiencia de jovens profissionais contratados à toque de caixa, às vésperas da eleição.