Aulas presenciais voltam à normalidade em Marabá

Já tem data definida o retorno das aulas presenciais nas escolas públicas de Marabá.

Dia 9 de agosto.

O retorno à normalidade da sala de aula foi definido em decreto assinado pelo prefeito Tiao miranda.

Em verdade, o decreto estabelece duas datas para o retorno  à sala de aula.

Os gestores voltam dia 2 de agosto, enquanto os professores estarão nas salas de aula dia 9.

 

 

“Tu és um Zé Boceta, porra”, diz jornalista à colega mulher, agredindo-a no estúdio

O fato ocorreu nos estúdio da TV Grarani, de Santarém, que retrasmite programação da Record.

E quem nos conta é o jornalista Jeso Carneiro, em seu conceituado blog.

 

 

Uma discussão verbal acalorada entre dois jornalistas da TV Guarany, afiliada da Record em Santarém (PA), acabou virando caso de polícia. Um BO (Boletim de Ocorrência), lavrado na 16ª Seccional de Polícia Civil na tarde de domingo (25), acabou dando ao caso contornos público.

Wander Luís é acusado de injúria por Marina Bandeira.           

O episódio teria ocorrido dentro da emissora, por volta das 15h30 de domingo. Entre outras ofensas dirigidas à jornalista, pelo fato dela estar demorando em demasia no estúdio, Vander Luís teria dito: “Tu és uma zé buceta, porra!”.

No final da matéria, leia o relato da ocorrência feita por Marina Bandeira à polícia.

 

Para saber mais, vá até o blog do Jeso.

Crimes ambientais no sudeste do Pará são enfrentados pela Polícia Federal: garimpos fechados e diversas prisões efetuadas

Seis garimpos de ouro clandestinos  fechados e duas pessoas presas em flagrante delito; apreensão, até agora, de nove Escavadeiras Hidráulicas, motores de sucção, diversos apetrechos de garimpo, mercúrio, uma pequena quantidade de ouro, armas, munições e documentos contendo dados sobre a contabilidade das atividades.

Este o saldo da Operação  “1200” empreendida na manhã desta quarta-feira, 28, pela  Polícia Federal no município de  Ourilância do Norte, objetivando combater crimes ambientais, extração ilegal de minérios e trabalho escravo na zona rural.

Estão sendo cumpridos 26 Mandados de Busca e Apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Redenção, região sudoeste do Pará.

Até o momento, diversos trabalhadores foram encontrados em condição degradante de trabalho.

Constatou-se que, desde o início do ano de 2019, a área da Fazenda 1200 e áreas da União em seu entorno estão sendo exploradas ilegalmente por garimpeiros.

A atividade representa risco à saúde dos trabalhadores pelo uso indiscriminado de mercúrio, causa desmatamento, polui leitos de rios e causa danos irreparáveis à fauna e flora do local atingido. Além do impacto ambiental, o município de Ourilândia do Norte teve o sistema de abastecimento de água comprometido em razão da poluição do Rio Águas Claras.

O projeto de captação de águas é uma parceria firmada entre a FUNASA e o município de Ourilândia do Norte, no valor aproximado de R$ 24 milhões e encontra-se paralisado. O dano ambiental será quantificado, posteriormente, pela Perícia da Polícia Federal.

No Dia do Agricultor, Estado do Pará se destaca no fortalecimento da cadeia produtiva

Nesta quarta-feira (28) é comemorado o dia do agricultor.

A data celebra a importância desses trabalhadores para o crescimento econômico do país e para a sociedade.

A agricultura do Pará desempenha um papel muito importante na economia brasileira, colocando o Estado no topo da produção nacional de cacau, abacaxi e açaí, além de ocupar a oitava posição na produção de banana.

Outras culturas, como a da soja, estão surgindo como grandes potenciais para o agronegócio paraense.

A produção de citros também está crescendo, com destaque para o município de Monte Alegre, no Baixo Amazonas, que é considerado o maior polo produtor de limão Thaiti do Pará.

Dados da Unidade de Certificação Fitossanitária de Origem (UCFO) da Adepará, apontam 6.613 propriedades cadastradas no Estado.

Mais da metade do cacau produzido no Brasil é paraense. Em 2020, a produção da fruta no Estado foi de 144.663 toneladas, o equivalente a 52% da produção nacional. A Adepará é responsável pelo planejamento e execução de atividades que promovam a sanidade e a qualidade da produção agrícola. Cerca de trinta mil produtores atuam com a cacauicultura no Estado, em 29 municípios. Medicilândia, Tucumã e Tomé-açu lideram o ranking de produção paraense.

Banana

Com 33.662 hectares de área plantada e uma produção de 381.248 toneladas ao ano, o Pará é o 8º produtor de banana no ranking nacional. 38,27% da produção paraense de banana é proveniente da Transamazônica. As principais variedades produzidas no Pará são: banana Prata (90% em Belém consome essa variedade), Mysore, Nanica, Comprida, Conquista, Branca (maçã) e a Inajá.

Abacaxi

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Pará é o maior produtor de abacaxi do Brasil, com uma produção de 22.726 unidades por hectare. A fruta, cultivada em uma área de 18.779 hectares, tem sua produção acompanhada pelos técnicos Adepará, por meio do Programa Fitossanitário da Cultura do Abacaxi.

Os municípios de Floresta do Araguaia, Conceição do Araguaia, na região sudeste, e Salvaterra, no arquipélago do Marajó, são os maiores produtores.

Comércio

A rastreabilidade do fruto garante o comércio de abacaxi paraense dentro e fora das fronteiras nacionais. Ou seja, sua cadeia produtiva está organizada e passível de acompanhamento desde o momento da produção até à comercialização do fruto, o que garante ao consumidor informações sobre a origem e as práticas de produção do produto consumido.

A ferramenta utilizada para fazer esse rastreio de frutas e vegetais frescos no Pará é o Guia de Trânsito Vegetal (GTV), documento que deve acompanhar as cargas de vegetais dentro do Estado. A Guia é emitida pela Adepará com base nas informações de cadastro de produtores. Ela identifica a origem, rota, quantidade do produto, finalidade e seu destino.

Em agosto Marabá terá sua população adulta vacinada

Marabá está quase concluindo a vacinação de sua população adulta.

Chegando na faixa de 25 anos para cima, é provável que por todo o mês de agosto a população com mais de 18 anos esteja vacinada contra a Covid-19.

Isso trará muita tranquilidade ao marabaense, que finalmente poderá retornar às suas atividades diárias depois de quase dois anos encarando protocolos de isolamento, embora o município não tenha sido os melhores exemplos nesse quesito, devido o liberou quase geral registrada no período nas diveras áreas de atividades econômicas.