Baleia encalhada morre em praia na Ilha do Marajó

Mesmo diante de todos os esforços, moradores não conseguiram salvar a baleia que ficou encalhada na ilha Caviana, próximo ao Rio Pocotó, no município de Chaves, na ilha do Marajó, no Pará.

O animal que foi encontrado na manhã desta quinta-feira, 30, preso na localidade, não resistiu o tempo que ficou submerso e morreu.

Segundo informações da Prefeitura de chaves, o animal que era da espécie Fin e media 16,5 metros de comprimento e pesava mais de duas toneladas, já vinha apresentando sinais de fraqueza e desidratação, mesmo com o empenho dos moradores de tentar salvá-la e levá-la de volta para a água.

A Prefeitura informou ainnda que já iniciou aos procedimentos para diminuir o mau cheiro da futura decomposição do animal.

 

Sobre a morte de Yasmin, tem caroço nesse angu
Desde o momento em que se revelou  uma foto postada em redes sociais do  médico legista  Euler André Magalhães da Cunha,  alegremente ao  lado  da  influenciadora Yasmin Cavaleiro de Macêdo, dava para suspeitar de que muitas histórias sobre a morte de jovem de 21 anos, durante passeios de lanchas nos arredores de Belém, estavam mal contadas.
Ou  histórias verdadeiras escondidas.
A começar pela contradição do médico, que disse no primeiro depoimento à polícia que não conhecia Yasmin.
Dois dias depois ao depoimento, a foto desmentia a versão do legista.
A foto era uma comprovação de que havia alguma aproximação entre ele e ela.
A série de novas versões levantadas pela polícia culminando com  a declaração recente de Euler André Magalhães da Cunha, mais conhecido como Dr. Leo, de que haviam pessoas armadas e que disparos foram feitos de dentro da lancha no dia do desaparecimento seguido de morte da influenciadora Yasmin Cavaleiro de Macêdo, de 21 anos, parece ter mudado os rumos das investigações sobre o caso.
O advogado da família da vítima, Luiz Araújo, em entrevista  a jornalistas, pontuou que a reviravolta pode indicar que o ocorrido não foi um acidente.

“No início das investigações eu tive a prudência de declarar que nenhuma hipótese estava descartada, inclusive de que poderia ter sido um acidente. Mas agora acredito que a hipótese da fatalidade está descartada, mas cabe à polícia se manifestar. É uma opinião pessoal”, enfatizou.

A novidade foi revelada durante o segundo depoimento do médico legista Euler André Magalhães da Cunha, conhecido como Dr. Léo.

Considerado um dos principais depoentes do caso, ele foi ouvido novamente na DH.

O médico legista Euler André Magalhães da Cunha entregou a pistola usada no dia do desaparecimento seguido da morte de Yasmin Cavaleiro de Macêdo.
Anteriormente considerado como uma das principais testemunhas para elucidar o caso, o legisla foi qualificado e interrogado na condição de suspeito
Como tudo começou

Yasmin desapareceu por volta de 22h30 da noite do dia 12 de dezembro, após participar de um passeio de lancha pelo rio Maguari, em Belém.

O corpo da jovem foi encontrado às 12h40 de segunda-feira (13), em Icoaraci. Segundo o Corpo de Bombeiros do Pará, Yasmin foi encontrada por mergulhadores do 1º Grupamento Marítimo Fluvial (1º GMAF), a aproximadamente 11 metros de profundidade.

Várias testemunhas já foram ouvidas, diferentes versões foram apresentadas, o que faz com que o caso ainda seja rodeado de mistérios.

As informações sobre como a vítima caiu da embarcação e não foi vista pelos outros ocupantes ainda são levantadas pela PC.

Hospitais de Marabá lotados por doentes com vírus da influenza expõem o abandono do setor de saúde do município

Os dois únicos hospitais de Marabá que não são regulados estão totalmente ocupados por  pacientes vítimas da epidemia de gripe que domina a região.

Os hospitais Unimed, que é privado, e o Hospital Municipal, não cabem mais doentes, que lotam suas dependências desde a porta da rua.

Pessoas sofrendo em filas, sem que o poder público crie expectativas de que investirá na construção de um novo hospital.

O Hospital Unimed, na noite desta segunda-feira(28 ),  estava com ocupação 100% registrada, enquanto na calçada da unidade de saúde, pessoas se amontoavam, convivendo com  o desconforto  da doença e o risco de se contaminarem por covid, já que não havia nenhum controle de aproximação.

Pior no Hospital Municipal de Marabá, cuja lotação está sendo observada desde a semana passada, e a cada dia as filas aumentando.

Sem entrar no mérito de se construir um novo hospital, já que nem intenção nesse sentido se verifica nas falas do prefeito Tião Miranda, a secretaria de Saúde de Marabá deveria pelo menos contratar novpos médicos, em caráter emergencial, para atender a demanda de doentes.

Fazer como se faz em Redenção, onde a prefeitura local decidiu aumentar o efetivo de profissionais médicos, neste momento de crise sanitária.

Ontem, 28, o secretário municipal de Saúde daquele município,  João Lúcio, anunciou  a contratação de dois novos profissionais de saúde para atender na rede pública.

Com o aumento do fluxo de pacientes nos postos de saúde e  hospitais em busca de atendimento médico especializado, a prefeitura partiu para uma solução mais simples, contratando mais profissionais, reforçando  a equipe de saúde da rede pública neste momento crítico de enfrentamento da onda de nova gripe e Covid-19.

Com as contratações dos  novos médicos, Redenção pretende retirar da porta de seus hospitais o  grande fluxo na urgência e emergência, evitando   sobrecarga dos  profissionais de saúde.

Em Marabá, não se cogita essa solução.

E nem se sabe qual a posição do Ministério Público em relação a vergonhosa situação.

De um lado, a comunidade sofrendo por falta de um hospital digno e humanizado; de outro, um poder público dirigido por pessoas insensíveis ao grave  problema.

Entre o mar e o rochedo, o lambari quem sofre.

ENGIE reforma creche no Distrito de Bela Vista no Pará

Com objetivo de melhorar a qualidade de vida das comunidades onde atua, a ENGIE Brasil Energia entregou, neste mês de dezembro, um importante investimento realizado durante a implantação do Projeto Novo Estado (PNE), no Pará e Tocantins.

Trata-se da reforma da Escola Municipal de Educação Infantil Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no Distrito de Bela Vista, no município de Floresta do Araguaia, no Sudeste do Pará.

Desde a sua construção, em 1992, a sede da escola nunca tinha recebido reparos.

Com a reforma, a escola agora conta com duas salas climatizadas que atenderão 4 turmas (02 pela manhã e 02 pela tarde), cantina, parquinho, secretaria e banheiros apropriados para os alunos, além de nova mobília, lousas e equipamentos digitais para serem utilizados no ensino diário das 140 crianças de 03 a 05 anos de idade.

No dia 9 de dezembro a escola foi reinaugurada com grande participação da comunidade. Diversas autoridades do governo estadual, municipal e da ENGIE Brasil Energia estiveram presentes na cerimônia.

Os profissionais da escola e a comunidade se empenharam na preparação de um café da manhã para comemorar a conquista da reforma da escola. A prefeita de Floresta do Araguaia, Majorri Santiago, agradeceu a parceria realizada com o governo para que a reforma fosse concretizada com os investimentos da ENGIE.

“Há um ano essa creche não tinha nenhuma condição de uso, e hoje estamos gratos pelo comprometimento e compromisso social da ENGIE, e podem ter certeza de que vocês deixaram um legado para vida de nossas crianças”, comemorou.

O diretor de implantação da ENGIE, Márcio Neves, parabenizou a comunidade por apresentar a demanda e trabalhar junto à Companhia para que ela fosse concretizada.

“Fomentar projetos de educação é um dos eixos da nossa atuação em Responsabilidade Social nas regiões onde estamos presentes. Queremos que nossos projetos e operações melhorem a qualidade de vida das pessoas e gerem benefícios a todos, possibilitando um crescimento sustentável e inclusivo. Este é o grande legado que podemos deixar por onde passamos e é a base do nosso relacionamento com as comunidades onde estamos presentes”, destacou Márcio.

Emocionadas, as mães das crianças foram representadas por Jaciara Ferreira, que teve os quatro filhos como alunos da creche.

“Era uma tristeza grande quando eu os deixava na creche e, chegando aqui, as salas estavam ainda mais quentes do que lá fora. Quantas vezes, antes de formar a chuva, vínhamos buscar as crianças, porque não tínhamos segurança. Hoje é um prazer grande deixar nossos filhos aqui, onde temos salas climatizadas, espaço da criança, parque de diversão, cantina de qualidade. Essa empresa não será esquecida por nós”, declarou Jaciara.

De acordo com Nilzacy Soares Limacoordenadora da crechea equipe da ENGIE foi sensível e identificou o potencial do projeto após um pedido dela. Satisfeita, ela agradeceu cada momento que acompanhou no processo de reforma e ampliação da escola.

“Quero dizer para a ENGIE, que por onde eles passarem, que eles continuem realizando sonhos, porque eles fazem muita gente feliz”, contou.

A ENGIE Brasil Energia é responsável na região pela implantação do Projeto Novo Estado (PNE), sistema que vai melhorar a transmissão de energia na região Norte do país.

“A estrutura da escola é apenas uma pequena contribuição para o trabalho enorme que a comunidade faz com objetivo de termos crianças felizes, educadas no sentido amplo da palavra, para que se tornem cidadãos nobres”, explanou o gerente do PNE, Leandro Magri.

Tira & bota; tira & bota. De novo, prefeito de Oriximiná é afastado pela Justiça do Pará

Informação é do jornalista Jeso Carneiro, de Santarém: o prefeito de Oriximiná, Willian Fonseca (PRTB) , foi novamente afastado do cargo, dois dias depois de ter assumido o comando da prefeitura por decisão da desembargadora Gleide Moura.

A determinação afastamento partiu da presidente do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), desembargadora Célia Regina de Lima Pinheiro, nesta terça-feira, 21.

Segundo a presidente, a magistrada Gleide Moura descumpriu normas do Regimento Interno do TJPA ao deliberar no último sábado, 18, o retorno do ex-prefeito ao cargo.

“As disposições normativas sobre o plantão judiciário e o instituto da prevenção têm como finalidade justamente garantir o respeito aos princípios do devido processo legal e do juiz natural, evitando-se a ocorrência de casuísmos que possam resultar em decisões conflitantes e situações de grave insegurança jurídica”, destacou a nº 1 do TJPA.

 

William é acusado de infração político-administrativa, pois teria contratado 1.465 servidores temporários no período de janeiro a julho de 2021, para beneficiar aliados políticos em Oriximiná.

 

No dia 22 de outubro deste ano, durante uma sessão, a Câmara Municipal de Oriximiná, na região do Baixo Amazonas, no Pará, cassou o mandato do prefeito William Fonseca (PRTB). O parlamentar disse que irá recorrer à Justiça Eleitoral.
William é acusado de cometer supostos crimes de infração político-administrativa, como contratação de pessoal para cargos não criados por lei e de benefícios para aliados políticos.