Ponte no Araguaia está liberada. Governo garante que inicia asfaltamento em 40 dias

Publicado em 31 de julho de 2013

 

Por volta de 14 horas, a ponte sobre o rio Araguaia foi liberada.

O bloqueio de seis dias daquele trecho da Transamazônica foi suficiente para o governo federal garantir o início da pavimentação de 17 km em 40 dias.

Reunião ocorrida nesta quarta-feira na sede do DNIT, em Brasília,  entre o deputado federal Asdrubal Bentes (PMDB, o diretor-geral do DNIT, general  Jorge Ernesto Pinto Fraxe, diretor técnico do órgão e representantes dos municípios de Palestina e Brejo Grande, sacramentou acordo.

Em ata assinada pelos participantes da audiência, ficou definido que o DNIT publicará edital eletrônico, nas próximas horas, para contratação da empresa, baseado na legislação do PAC, já que a obra está incluído no Programa de Aceleração do Crescimento.

“Em 40 dias a pavimentação é para ser iniciada”, definiu o general.

Tão logo a ata foi assinada pelos líderes do movimento e representantes do governo, o tráfego de veículos pela ponte foi liberado.

Vamos aguardar para ver se o compromisso será honrado.

 

Malafaia ameaça fiéis que se revoltam com ladroagem dentro da igreja

Publicado em 2 de agosto de 2013

 

 

Diante do crescente movimento de fiéis evangélicos dentro de sua própria  comunidade religiosa, revoltados com a ladroagem  perpetuada na  igreja Vitória em Cristo, Silas Malafaia fez veemente ameaça a quem está se colocando contra a bandidagem.

Textualmente, o pilantra fala até em morte de pessoas que se meteram com as denúncias. “Eu já vi gente morrer por causa disso, irmão. Eu já vi gente morrer!”, brava o sujeito, imprimindo psicologia do medo a quem tenta bater de frente com ele e sua quadrilha.

O vídeo foi gravado no final de semana que passou, postado agora na Internet.

 

——————-

Atualização às 10:34

 

O vídeo acima foi retirado do Youtube. Primeiros informações dão conta de que a exclusão do material teria sido iniciativa voluntária do autor da página, mas já corre na redes sociais de que o filme teria sido golpeado por uma decisão judicial, provocada pelo pastor Malafaia.

 

Salário de julho amanhece na conta do servidor de Marabá

Publicado em 30 de julho de 2013

 

 

Na manhã desta quarta-feira, 31, o salário dos servidores da prefeitura de Marabá estará na conta de cada um.

Ao todo, prefeito João Salame autorizou  o crédito de R$ 13.867.495,96, assim distribuídos:

Pagamento de servidores da Educação, R$ 8.205.320,00;

Saúde, R$ 2.848.469,00;

Demais órgãos, R$ 2.813.706,00

Além disso, a prefeitura depositou  em conta:

– 2a parcela contratados e concursados acima de R$ 5 mil – totalizando R$ 928.956,00;

– Comissionados, R$ 569.553,00

– R$ 600 mil do parcelamento do vale alimentação  e Ipasemar.

 

Ao todo, a prefeitura paga, neste mês de julho, R$ 2.100.000,00 de dívidas deixadas pelo ex-prefeito Maurino Magalhães.

 

————-

Atualização às 22:50

 

Em sete meses de governo, João Salame fecha julho pagando  R$ 38,5 milhões de dívidas deixadas pelo ex-prefeito Maurino.

Grana que daria para investir na drenagem e pavimentação de   60 km de ruas.

Financiamentos podem fortalecer navegação no Pará

Publicado em 30 de julho de 2013

A  Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa) e a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) irão promover o Encontro da Indústria Naval do Pará com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Agentes Financeiros.

 O objetivo do evento, que acontecerá no dia 06 de agosto, no auditório Albano Franco, da Federação, é aproximar os empresários da navegação das fontes de financiamento. Desta forma, tanto a Fiepa quanto a Sudam esperam fortalecer a indústria naval paraense, aumentando e modernizando a frota, além de preparar o empresariado local para este novo momento.

“Os estaleiros paraenses vivem grandes dificuldades para a modernização e expansão da frota. São poucas as fontes de financiamento e incentivo para esse segmento produtivo. O setor naval é muito importante para a economia, pois acaba interferindo em outros segmentos produtivos. Sabemos, por exemplo, que o transporte de cargas pelas hidrovias é mais barato e polui bem menos que a movimentação de carretas pelas nossas rodovias. Precisamos fortalecer a nossa indústria naval”, afirmou o presidente da Fiepa, José Conrado Santos.

Com investimentos, a capacidade de transporte anual de grãos pelas hidrovias da Região Norte poderá saltar dos atuais 3,6 milhões para cerca de 15 milhões de toneladas, reduzindo o tempo de transporte e do custo do frete, o que gera impacto positivo na competitividade dos produtos nacionais no mercado externo, além de reduzir o tráfego de caminhões  em direção aos portos de Santos, no Sudeste, e Paranaguá, na Região Sul, principais vias de escoamento dos grãos produzidos no Centro-Oeste. (Ascom – Fiepa)

Financiamento

O BNDES financia, atualmente, 14 projetos de logística na Região Norte, com R$ 5,8 bilhões. Os investimentos totais para esses projetos totalizam R$ 10,8 bilhões. Dos financiamentos aprovados, quase R$ 700 milhões são para transporte hidroviário, portos, terminais e armazéns.

 No modal hidroviário, o banco financia projetos de construção e reparo de embarcações de portes e finalidadesdistintas, com repasses do Fundo da Marinha Mercante (FMM) e da linha BNDES Finame, que está operando atualmente sob as condições do Programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES PSI), cuja taxa fixa final é de 3,5% a.a.

 Os projetos viabilizam o escoamento da produção agrícola na Hidrovia do Rio Madeira e na Hidrovia Tapajós-Amazonas. Os recursos destinam-se não somente à aquisição de embarcações, mas também à implantação e expansão determinais portuários privados.

 Para o encontro com empresários da indústria naval, representantes do BNDES virão a Belém para apresentar todas suas linhas de financiamento para este setor produtivo, incluindo o Fundo da Marinha Mercante, BNDES Automático, Finame, cartão BNDES e o Programa BNDES de Sustentação de Investimentos – PSI, que estimula a produção, aquisição e exportação de bens de capital e a inovação tecnológica.

 Além de representantes do BNDES, a programação do evento reserva espaço para apresentação e exposições do presidente do Sindicato da Indústria da Construção Naval do Estado do Pará (Sinconapa), Fábio Vasconcelos; do presidente do Sindicato dos Armadores (Sindarpa), Eduardo Carvalho; e do professor doutor em Engenharia Naval, Hito Braga, da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Serviço: Encontro da Indústria Naval do Pará com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) e Agentes Financeiros, dia 06 de agosto, às 8h30, no auditório Albano Franco, da Fiepa. Evento aberto ao público.

 NB:  Esse evento da Fiepa realiza-se em momento oportuno.

 A nova Lei dos Portos abrirá licitação e arrendamentos de terminais e áreas portuárias aqui no Pará, estimulando a indústria naval, que há algum tempo estava sem expectativa de grandes investimentos.

 Atualmente, a capacidade produtiva anual dos principais estaleiros da Região Norte é de aproximadamente 60 mil toneladas de processamento de aço, segundo as estimativas dos próprios estaleiros. Para fazer frente aos projetos de implantação e expansão de corredores hidroviários, a expectativa de demanda é de cerca de 300 novas barcaças, com capacidade de cerca de 2 mil toneladas cada uma, em até 3 anos.

 Essa demanda exigirá investimentos na expansão da capacidade produtiva dos estaleiros, principalmente na aquisição de máquinas e equipamentos. No médio prazo, a capacidade de produção anual deverá chegar a 90 mil toneladas de processamento de aço, ou seja, um incremento de 50% acima da capacidade atual. O investimento necessário para este crescimento é de aproximadamente R$ 136 milhões, segundo estimativas dos principais estaleiros.