– Sabe quem encontrei na estrada? Rolling Stones!!!

 

Meu amigo José Alencar, desembargador da Justiça do Trabalho, 8a Região, em sua longa e emocionante viagem de Harley-Davidson de Belém ao Alaska, teve um inesperado encontro com os Rolling Stones, nos Estados Unidos, mais precisamente em Nashville, capital e também a segunda cidade mais populosa do estado do Tennessee

Lembrando que Alencar saiu de  Belém em 06 de maio.

Foi de navio com a moto até Manaus e de lá pegou a estrada.

Fez outra travessia para o Panamá, e hoje encontra-se nos EUA, vivendo maravilhosa viagem de “shows e de encontros” – como define sua companheira de todas as horas, a esposa Araceli Lemos.

Leiam a crônica escrita por Alencar no perfil de seu Facebook, contando o encontro com  Jagger, Keith, Ronnie Wood e  Charlie Watts

 

Chegamos a Nashville e tivemos dificuldades para consegui hotel porque um evento grande havia esgotado as vagas. Tivemos que sair do Knights Inn e ir para o Super 8 Downtown. Conseguimos deixar a bagagem guardada enquanto íamos ao centro para almoçar no Jack’s e dar uma passada no Hall of Fame.

Durante o almoço um encontro mudou nosso rumo. Enquanto eu fotografava o barbecue e falávamos português atraímos a atenção de da brasileira Gisele e de seu esposo Luigi, um simpático ítalo-americano do Brooklin.

Conversando com Neviton Luigi deu uma informação que mudou nosso rumo.

O evento que ocupou os hotéis é um show de uns velhinhos dos meus tempos de adolescente lá em Bragança. Isso mesmo. Eles, The Rolling Stones. Luigi falou do show com entusiasmo contagiante e jorrou informações sobre compra de ingressos. Saímos reto e direto para o estádio onde o show vai acontecer em busca de ingressos e tudo o que conseguimos foi uma combinação de um malandro local – um negro simpático que pediu uma graninha a troco de informação e reclamou porque lhe dei só um dólar – com um vigarista (branco) com identidade do Alabama. Quando ele teve dificuldade para demonstrar minimamente a autenticidade do ingresso que queria nos vender, desistimos e assim escapamos do que tinha tudo para ser uma fraude.

Neviton apelou para Luigi e Gisela por telefone sobre nossa dificuldade e Luigi, confiante e generoso, se dispôs a comprar nossos ingressos, imprimir e nos trazer para assistirmos juntos o show. Ele nos comprara os dois últimos ingressos disponíveis pelo preço razoável de 270 dólares cada. Mais uma vez pessoas que nunca nos viram antes demonstram uma genuína e fraternal solidariedade, renovando nossa crença nos homens e na Humanidade.

Nos encontramos no Honk Tonk, pagamos Luigi, que estava feliz feito pinto no lixo, pois ele veio de Maryland onde vive só para assistir esse show.

E assim fomos parar na fila do gargarejo ou quase isso, pois nossas cadeiras ficavam a uns dez metros do palco e a uns cinco metros da passarela onde Mick Jagger e seus companheiros evoluem.

Devo reconhecer que o tempo deixou marcas nos velhinhos e Keith Richards deve ter a maior concentração de rugas por centímetro quadrado de rosto, dentre os astros do rock (Serguei deve ganhar dele mas não concorre na mesma categoria obviamente), mas o vigor juvenil e a vitalidade são as mesmas de quando eles eram jovens. Afinal, depois de quase três horas de espetáculos lá estavam eles, saltitantes e sem parecer cansados, tudo isso de cara limpa, pois todos largaram as drogas há muitos anos.

Eles não são dinossauros porque não estão extintos e nada indica sequer que estejam próximos da aposentadoria, embora Luigi acredite que esta seja a última turnê deles aqui nos Estados Unidos, o que só tem acontecido a cada cinco anos (na próxima Keith Richards terá 77 anos!)

Ah, ia me esquecendo de contar que o show de abertura foi de country music, muito bom também.

Sei que esta é uma história um tanto mirabolante, e parece que só acontece com motociclistas, mas foi assim, bem assim.

Terminamos a noite na Broadway, agradecendo e nos despedindo de Luigi e Gisele, que cedo vão para Graceland. A esse simpático casal seremos sempre agradecidos e espero retribuir um pouco quando eles visitarem Belém, promessa que fizeram.

——————–

 

O blog sempre registra as andanças de moto do Alencar pelo mundo.

Quando ele foi ao Peru, estávamos na ilharga dele (bom se fosse na garupa).

Agora, dois posts reproduzindo as crônicas que ele escreve atravessando o mundo.

 

Aqui   e   Aqui.

Estádio onde ocorreu o show dos Stones, em  Nashville.(foto José Alencar)
Estádio onde ocorreu o show dos Stones, em Nashville.(foto José Alencar)