Mais R$ 8 milhões de encargos

Só para medir o tamanho do rombo nas contas públicas do Estado, caso essa punição seja confirmada pelo Tesouro Nacional, o secretário da Sepof explicou aos prefeitos que “nós pagamos anualmente encargos da dívida do Estado do Pará em torno de R$ 130 milhões; teremos que pagar mais R$ 8 milhões no período de um semestre, comprovada que a situação do Estado é de equilíbrio, senão continuaremos pagando essa dívida. E na atual situação, ninguém pode negar que R$ 8 milhões faz muita falta”, lamentou o secretário.

Avais suspensos

Outra punição, a partir dessa situação: o Tesouro Nacional pode decidir a não conceder mais aval ao Pará para operações de crédito e isso, de cara, leva à reboque toda articulação feita recentemente no Ministério das Cidades pela secretaria Suely Oliveira, da Sedurb, para liberação de linha de crédito para dar início ao programa “Água Para Todos”. Essa operação está ameaçada e, também, a possibilidade das comunidades ganharem saneamento e distribuição de água potável de qualidade.
Dia 27 de fevereiro, Carlos Guedes segue para Brasília com objetivo de minimizar o impacto dessa situação.

Desfocado

Debutando na região, quem destoou do script foi o senador José Nery (Psol) que não deve ter sido informado pela assessoria de que o público que lotou o auditório do Hotel Del Príncipe era composto exclusivamente de prefeitos, deputados, vereadores e alguns empresários. De alto coturno, por sinal.
O discurso dele não comunicou, baseado na linha dos “companheiros sofridos da zona rural”. E ficou só por aí mesmo. Não! Ao final ele disse que colocava seu mandato à disposição de todos. Depois todos se entreolharam e nada disseram, com cara de quem não entenderam nada.

Saia Justa

Falando para uma platéia de políticos presentes à assembléia geral que elegeu, por aclamação, Darci Lermen presidente da Amat, Asdrúbal Bentes se virou para o governador em exercício, Odair Correa (PSB), sentado à mesa de trabalhos, e sapecou:

– Entendo a sua posição política na atual conjuntura ocupando o cargo de vice-governador, mas há momentos em que não podemos tergiversar e este é um deles, A continuidade de sua luta em favor da divisão territorial é uma necessidade premente.

Do jeito que estava Odair ficou. Olhando de soslaio para Asdrúbal ao seu lado esquerdo, soltou apenas um sorriso medroso com lábios apertados.

Antes de assumir a candidatura de vice- governador na chapa de Ana Júlia, Odair Corrêa presidia a Frente Popular pelo Estado de Tapajós.

Alguém viu o Juvêncio por aí?

Gente, igual ao poster, todo mundo está vendo que o Juvêncio sumiu. Não atualiza o Quinta desde o dia 6. Seqüestro? Seguiu viagem com o chefe da missão do BID e nem teve tempo de avisar a blogosfera? Ele nunca fez isso! Mas sumiu.
Stephen may be felling all alone
Stephen never do this again
Come back home