Em Belém, na Santa Casa, pacientes relatam casos falando de “médica fantasma”

O caso está sendo contado no portal  ORM.

Uma suposta fantasma estaria vagando pelo corredores e leitos da Santa Casa de Misericórdia do Pará.

Tudo começou após um usuário do Twitter relatar vários episódios em que crianças internadas naquela maternidade receberam alta verbal de uma pediatra e, ao serem questionados por profissionais responsáveis pela checagem das liberações, não conseguiam comprovar quem era a médica.

Eles também não tinham as guias de alta assinadas.

Segundo o portal,  os casos começaram a acontecer em meados de fevereiro, quando a equipe de pediatria percebeu as altas não notificadas.

Quando iam questionar o procedimento equivocado junto ao quadro de funcionários, descobriram três fatos em comum: ninguém havia notificado a alta no papel; não havia receituário para casa; e as crianças realmente haviam melhorado.

De início, a suspeita era que alguém da equipe estava fazendo o procedimento sem comunicar.

Depois, levantou-se a hipótese de que alguém que teria algum problema com os pediatras da Santa Casa estaria tentando atrapalhar o serviço.

Para tentar descobrir o profissional que estava liberando as crianças, os pediatras passaram a buscar pelos médicos que estavam de serviço nos dias das ocorrências.

Porém, nenhum nome era unânime nos plantões.

A possibilidade dos responsáveis pelas crianças estarem inventando a alta para irem para casa também foi levantada pela a equipe, mas os casos continuavam crescendo e outros fatos semelhantes foram identificados.

Determinados em achar o responsável pelas liberações irregulares, a equipe médica passou a questionar os pacientes e obteve de todos eles a mesma descrição das características físicas da pessoa em questão: tratava-se de uma mulher caucasiana, baixa, de cabelos lisos com luzes, que usava óculos, tinha uma estatura corporal larga, com voz forte e aparência de 50 anos.

 

Médica passou pelo mesmo corredor e não foi vista

O portal segue informando:

Em abril, um fato curioso chamou a atenção de uma das enfermeiras da instituição. Ao entrar em um dos leitos ela viu a mãe de uma das crianças internadas arrumando as coisas para ir embora. Questionada se havia recebido alta médica ela respondeu positivamente. Mas ao perguntar qual profissional havia estado na enfermaria para liberá-la, a paciente respondeu que seria uma médica que tinha acabado de sair naquele mesmo instante e pelo mesmo corredor por onde a enfermeira tinha vindo. Porém, nenhuma médica havia cruzado com a funcionária.

Novamente, as características físicas batiam com as relatadas anteriormente pelos outros pacientes: mulher causasiana, cabelos lisos com luzes e voz forte. Intrigada com a situação, a enfermeira indagou a mãe e descobriu que a tal médica havia dito uma frase que lhe era bastante familiar. “O menino já está bom, melhor que eu mesma”. A expressão reacendeu na técnica a lembrança de uma médica que trabalhou por muitos anos na Santa Casa, mas que morreu há um ano vítima de covid-19.

No intuito de tirar a prova para saber se a médica era a mesma pessoa cogitada pela equipe, os funcionários esperaram até que outra “alta fantasma” acontecesse para inquirir o próximo paciente. Quando isso aconteceu, os enfermeiros mostraram uma foto da médica e perguntaram se, por acaso, havia sido ela a pessoa que tinha estado na enfermaria e liberado a criança. E veio a confirmação. A médica que estava dando alta era a mesma que havia falecido por covid-19. Outros membros da equipe também relataram uma frequência de vultos pelos corredores da ala pediátrica do hospital, apontado como um dos sete lugares mais assombrados de Belém.

Segundo o relato, as altas misteriosas continuam acontecendo pelo hospital e a médica é vista principalmente pelo 4º andar, setor onde atuou por anos. Apesar da veracidade não ter sido confirmada, histórias sobre vultos e visagens não são incomuns entre os funcionários da Santa Casa de Misericórdia do Pará. Nos comentários da publicação, vários internautas passaram a contar experiências sobrenaturais vivenciadas no local.

 

A professora Tainá Lopes, de 25 anos, estava acompanhando a sobrinha internada no 4º andar da Santa quando ouviu outras pacientes relatarem sobre as altas misteriosas: “Eu estava no quarto andar e ouvi de algumas pessoas no quarto comentando que apareceu uma pediatra, vestida de rosa, que chegou a dar alta para alguns pacientes. Quando chegou na portaria, eles descobriram que não estava de alta porque nenhum médico realmente deu alta”, relata.

 

Já o funcionário público Benedito Balbis, de 31 anos, que está desde de domingo acompanhando a esposa e a filha internadas no hospital, relatou o momento em que um funcionário da Santa Casa teria confirmado a identidade da pediatra que dava as altas: “Umas pacientes com acompanhantes estavam conversando e disseram que uma doutora estava dando alta. Aí o maqueiro, ouvindo a história, pegou o celular e mostrou a foto da médica para elas perguntando se era ela quem ia dar a alta. Quando elas confirmaram, ele explicou para elas que a doutora já tinha falecido de covid”.

 

Tanto Tainá quando Benedito disseram não duvidar dos relatos, apesar de não terem uma opinião segura sobre o assunto: “Eu não sei nem o que pensar. Acho que as pessoas não seriam tão cruéis de inventar uma história assim”, pondera Tainá. “Ah, nesse mundo que nós estamos, eu não duvido nada. Se a pessoa falou que viu, o que eu posso dizer?”, reflete Benedito.

Entretanto, há quem não consiga acreditar nos relatos e muito menos na existência de uma funcionária fantasma. É o caso da dona de casa Valdenilda Carneiro, de 37 anos, que acompanhou a filha no hospital desde sexta-feira (20) e estava indo para casa hoje (23): “Já faz três vezes que eu entro aqui nessa Santa Casa e nunca ouvi falar isso. Isso é ilusão, não pode acreditar. É coisa da cabeça da pessoa. Só existe uma coisa no mundo que domina tudo e é Jesus, e ele não vai deixar uma coisa ruim acontecer à luz dele. Com certeza não é verdade”.

Receita Federal abre seleção para preencher vagas de emprego em Belém e Santarém

A Receita Federal anunciou a abertura do processo seletivo para credenciamento de peritos autônomos, que devem atuar nas jurisdições da Alfândega de Belém (ALF/BEL) e Santarém (DRF/SAN).

Serão ofertadas 20 vagas, com contratação sem vínculo empregatício com a RF.

Para se inscrever, os interessados devem enviar um e-mail para peritos.pa.alfbel@rfb.gov.br, a partir desta quinta-feira, dia 26, até às 17h do dia 15 de junho, solicitando a abertura do processo digital.

Deverá ser informado o nome, CPF e número de identificação do candidato e órgão emissor da identificação.

Após a solicitação, o participante deve receber o número do processo digital, em seguida, deverá acessar o site da Secretaria Especial da Receita Federal, acessar o Portal e-CAC por meio do código de acesso ou pelo Gov.br

O processo seletivo terá duração de dois anos, e poderá ser prorrogado por igual período, conforme critério da instituição, de forma individualizada.

Os selecionados devem prestar serviços de perícia para identificação e quantificação de mercadoria importada ou a exportar; emissão de laudos periciais sobre o Estado e o valor residual de bens.

As oportunidades exigem que os candidatos tenham experiência mínima de dois anos na área de especialização na qual concorrem, e ainda curso de graduação ou técnico, segundo a área ofertada.

São ofertadas seis vagas para mensuração de granéis, para os participantes com formação em nível superior em ciências naturais ou em qualquer uma das carreiras abrangidas pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, além de curso técnico na área agrícola.

As demais chances são para engenharia mecânica; engenharia naval; engenharia eletrônica ou elétrica; geologia, engenharia geológica ou engenharia de minas; e química.

Poça d´água na Nova Marabá pode estar concentrando larvas do mosquito da dengue

Um risco enorme à saúde pública pode estar se avolumando na  Nova Marabá, mais precisamente na Folha 32, um dos bairros mais nobres da cidade.

Uma poça d´água formada pelas chuvas, durante o inverno, está atraindo mosquitos que podem transmitir diversas doenças.

Quem passa pelo local andando pode detectar o grave problema.

 

Uma água escura coberta por mosquitos e larvas, em um pequeno espaço de cerca de quatro metros, pode ser observada.

Água parada, como todos sabem, é um fator primordial para o desenvolvimento de algumas doenças, como por exemplo, a dengue.

E como a dengue está se alastrando , outra vez, pelo país, necessário se faz a presença urgente de agentes da vigilância sanitária ao local, para checar a informação.

O problema fica localizado numa área de residências de funcionários da Sefa, próximo a área de estacionamento da academia Gol de Placa.

Governo do estado acompanha as obras de mina de níquel em Conceição do Araguaia

Consolidando o título de maior Estado produtor de minério do País, o Pará acaba de ganhar um novo e importante investimento do setor minerário. Na última quarta-feira (18), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) participou do evento que marcou o início das obras do Projeto Araguaia, uma mina de níquel localizada no município de Conceição do Araguaia, no sudeste do Estado, desenvolvida pela empresa Horizonte Minerals.

O evento foi prestigiado pelo secretário adjunto da Sedeme, Carlos Ledo, e pela Diretora de Geologia, Mineração e Transformação Mineral da Secretaria, Poliana Gualberto, e também contou com a presença do CEO da Horizonte Minerals, Jeremy Martin, além de outros representantes da empresa, autoridades e fornecedores.

Em atividade há mais de 10 anos em Conceição do Araguaia, com o novo empreendimento, a empresa agora realizará o maior investimento em níquel do país, com previsão de gerar mais de 3 mil empregos e 500 postos de trabalho na fase operacional.

Segundo a Horizonte Minerals, 14,5 mil toneladas de níquel serão produzidas por ano na primeira etapa do projeto, tendo potencial para ampliar o montante ao longo dos anos, além de gerar fluxos de caixa livres pós-tributos de US$ 2,4 bilhões com preço de USS 16,4 mil por tonelada. No total 633 milhões foram captados para o empreendimento que está em fase de terraplanagem, com previsão de conclusão das obras para o final de 2023.

A empresa também divulgou que executará na mina o método de mineração a céu aberto, transportando o minério para uma planta de processamento e transformando-o em liga de ferroníquel. A empresa também informou que usará a tecnologia de calcinador rotativo e forno elétrico (RKEF), em operação em mais de 40 minas em todo o mundo e que responde por uma parcela significativa do níquel produzido anualmente.

O Brasil detém, atualmente, a terceira maior reserva de níquel do mundo e potencial de novas descobertas para atender um mercado já aquecido por conta do uso do níquel na produção de aço inoxidável e na fabricação de baterias para carros e energia solar.

Segundo Carlos Ledo, secretário adjunto da Sedeme, o projeto chega para reafirmar o protagonismo do Pará no setor mineral no país. “Ficamos felizes em ver um projeto dessa magnitude chegando ao Pará porque isso significa que teremos mais emprego, renda e dinamização do ambiente econômico aqui no Estado. Enquanto representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, não poderíamos deixar de prestigiar este momento que marca o início das obras da mina, pois sem dúvida trata-se de um projeto fundamental para o nosso Estado”, informou.

Além da construção do Projeto Araguaia, a Horizonte Minerals também está avançando no estudo de viabilidade do Projeto Vermelho, que produzirá aproximadamente 15.000 toneladas de níquel e 600 toneladas de cobalto – na primeira fase de desenvolvimento -, para abastecer o mercado de baterias de veículos elétricos.

O perfil combinado de produção da Horizonte Minerals, que durante a próxima década poderá produzir mais de 50.000 toneladas de níquel por ano, posiciona a empresa como um produtor globalmente significativo, desenvolvendo um novo distrito de níquel do Brasil no território paraense. (AgênciaPará)

Vai ou não dar o aumento aos servidores, prefeito?

Quem conhece o prefeito Tião Mirada sabe que ele tem ojeriza em negociar aumento de salário com servidores.

O perfil inconciliável dele é conhecido.

Na gestão, diz o prefeito, vale sobrar dinheiro para obras.

Pagar funcionalismo, apenas o necessário.

E mais uma vez essa postura histórica de Miranda está sendo colocada à prova.

Insensível aos apelos para que a prefeitura de Marabá atenda ao pleito de conceder reajuste dos salários dos professores em 33,24%, o chamado piso atualizado, Tião terá na próxima segunda-feira, 23, bate-panelas na portaria da Secretaria de Obras, local onde ele despacha diariamente.

Sindicatos diversos ( Sintepp, Servimmar e Sintesp -, anunciaram paralisação naquele dia com manifestações à porta do poder público.

Além da concessão do piso salarial dos educadores, servidores exigem também que a prefeitura pague jornada de 30h para os ASG e Agentes de Portaria, vale alimentação, reajuste dos plantões dos Hospitais Municipal e Materno Infantil.

Uma pauta que, para o prefeito, não cheira e nem fede.