Aluguel de touros Zucatelli: nova opção para criadores

Publicado em 31 de outubro de 2019

O pecuarista  Reinaldo Zucatelli, proprietário da RR Agropecuária, uma das mais modernas estruturas do agronegócio do Estado do Pará  que vem investindo há mais de 30 anos no melhoramento genético ,  está colocando em prática uma alternativa inédita e eficaz para os criadores que precisam ter touros para cobrir o rebanho de fêmeas  Nelore, Gyr, ou Girolanda,  mas não querem fazer grandes investimentos na aquisição de animais: o aluguel de touros.

Segundo Reinaldo, o aluguel de reprodutores é uma excelente opção para os pecuaristas que não querem ou não têm condições de fazer grandes investimentos em animais.

“A pecuária brasileira precisa produzir mais e melhor para atender às necessidades do mercado internacional e para colocar mais carne à disposição do consumidor doméstico. Para isso, é fundamental o aprimoramento genético do rebanho, utilizando touros melhoradores, que imprimam precocidade sexual e de acabamento, antecipando a idade de abate”, explica Zucatelli

Nessa modalidade de locação,  o produtor usa o bezerro como moeda.

O custo do aluguel de um touro Nelore é de dois bezerros, controlados e desmamados ao ano.

Os contratos têm duração média de quatro anos, e ao final do arrendamento, deve totalizar a entrega de oito bezerros e a devolução do touro.

A nova modalidade de locação  adotada pela RR Agropecuária objetiva, principalmente,  facilitar  o desenvolvimento dos negócios de pequenos criadores que não estão investindo em genética.

“Esses pequenos criadores que  estão colocando ´boi de boiada´ para cobrir suas fêmeas, passarão a ter um reprodutor com alta carga de genética para o melhoramento de seus planteis”, esclarece Zucatelli.

O aluguel de touros é um dos poucos negócios dentro da venda de gado em que fica bom para ambos. Favorece o giro do touro para o vendedor e permite que o comprador não precise desembolsar valores para comprar um reprodutor. Ele paga com a produção do animal.”

Reinaldo selecionou touros para aluguel, todos com pelo menos média de dois anos de idade.

Os clientes da RR Agropecuária estão espalhados em diversos municípios do Pará, e pelos estados do Tocantins, Maranhão, entre outros estados.

O humanismo médico de Fernando Monteiro

Publicado em 31 de outubro de 2019

Durante o mês de outubro, que hoje se encerra, ocorreram manifestações de saudação ao Mês do Médico.

Somente AGORA, registro meu sentimento de respeito e admiração por muitos daqueles que estudam e se dedicam a salvar vidas, manter vidas intactas,  ampliar dias de vida.

Não generalizo o sentimento porque, como em outras profissões, há aqueles médicos que não honram  o juramento, e nem fazem questão de se mostrar bons profissionais.

E,  no meio daqueles que podem ser considerados verdadeiros Médicos, registro nome de um: Fernando Monteiro.

Não porque seja meu médico há tempos.

As qualidades de Fernando são medidas no dia a dia.

O cuidado que ele tem com seus pacientes extrapola o padrão.

Fernando comprova, todo dia, seja no seu consultório ou em outros locais de atendimento, honrar seu compromisso com os pacientes e com a Medicina.

Cuidadoso à exaustão ao investigar sintomas de enfermidades, Monteiro jamais minimiza a importância das ciências humanas em sua relação com o doente.

Figura extraordinária, calma, atenciosa, um médico que cumpre honrosamente a profissão.

O sistema mercantilizado jamais fez parte da sua estrutura profissional.

Principalmente, porque o exemplar desempenho da medicina pelas mãos de Fernando Monteiro não abstém de priorizar a ética e valorizar a humanização do atendimento, ainda que, muitas vezes, o ambiente apresente condições adversas e o sistema seja precário.

Em tempos de tecnologias cada vez mais acessíveis e em maior número, o humanismo do Médico (M maiúsculo, sim!) Fernando Monteiro ressalta  como imprescindível às interações sociais.

A medicina que ele pratica e oferece à sua comunidade é recheada de  humildade, prudência, diligência, e  perícia.

Pode-se dizer, sem hesitação, que Fernando é um especialista em cuidado com a vida e necessariamente um humanista.

A ele, votos para que tenha vida longa – e não nos dê mais o susto de meses passados, quando, numa viagem de rotina a Belém, teve que ser levado às pressas à uma sala de cirurgia coronária, retornando, depois,  a Marabá. recuperado, para felicidade de seus amigos e admiradores, como eu.

No Mês dos Médicos, Salve Doutor Fernando Monteiro!

Lei fixa prazo para exames que comprovem diagnóstico de câncer

Publicado em 31 de outubro de 2019

O governo sancionou a Lei que estabelece o prazo máximo de 30 dias para a realização de exames para comprovar o diagnóstico de câncer, mediante solicitação fundamentada do médico.

A Lei 13 896 está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 31.

Segundo o texto, a lei entra em vigor daqui a 180 dias.

Outra Lei sancionada pela presidência da República e que está no Diário Oficial da União desta quinta é a que institui a Política Nacional de Prevenção do Diabetes e de Assistência Integral à Pessoa Diabética.

A Lei 13.895 foi sancionada com veto no dispositivo que previa como diretriz a disponibilização pelas unidades de saúde de exames de glicemia capilar ou outros de fácil realização e de leitura imediata.

Segundo a justificativa do veto, também publicada no DOU, a proposta criava despesa obrigatória ao Poder Público, sem que tenha sido indicada respectiva fonte de custeio.

Anvisa aprova remédio que cura malária em tratamento de um dia

Publicado em 31 de outubro de 2019

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira, 30, o registro de um medicamento com potencial para facilitar de forma expressiva o tratamento da malária e evitar recaídas.

Batizada de tafenoquina, a droga é a primeira aprovada nos últimos 60 anos para a principal forma da doença, provocada pelo Plasmodium vivax.

O maior avanço, de acordo com pesquisadores, está relacionado à forma de uso.

Ele reduz a duração do tratamento de sete para um dia.

Garimpeiros já estão há cinco dias interditando a BR-155

Publicado em 31 de outubro de 2019

O protesto de garimpeiros e proprietários de terras que bloqueia a BR-155 entrou nesta quinta-feira em seu terceiro dia.

No km 250, em Eldorado dos Carajás, próximo à “Curva do S”, a manifestação segue sem previsão de terminar.

O ato é realizado por proprietários de terra e garimpeiros, que alegam descontentamento com operações do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) na região, que fecharam vários garimpos considerados clandestinos.

São cerca de 100 manifestantes que dizem estar insatisfeitos com interdições e queima de maquinários realizados pelo Ibama nas terras e garimpos.

Na manhã desta quarta-feira (30), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) garantiu que o trânsito no local estava sendo liberado apenas para veículos pequenos, ambulâncias, ônibus e vans.

Na manhã desta quinta-feira (31), a Polícia Rodoviária Federal confirmou que não havia alterações no panorama da interdição, que começou na última terça-feira (29), por volta das 13h30.

Os congestionamentos no trecho chegam a oito quilômetros.