Grupo Mateus assumirá lojas Yamada

Publicado em 31 de agosto de 2016

Exclusividade!

 

O Grupo Mateus fechou negociações com o Grupo Yamada para assumir o controle de três lojas do conglomerado paraense.

Duas lojas em Belém e uma de Castanhal, regidas sob o conceito Plaza.

A primeira das lojas adquiridas pelo Grupo Mateus será inaugurada agora em novembro.

O grupo Yamada passa por um processo de profunda reformulação, devendo redirecionar seus negócios para novas tendências de mercado.

Na área de supermercado, o grupo paraense deverá migrar para o setor de “atacarejo”, lojas que misturam atacado e varejo.

 

Concurso para procurador da República tem vagas para Marabá, Belém, Itaituba e Tucuruí

Publicado em 30 de agosto de 2016

As inscrições para o 29º Concurso Público para Procurador da República começam nesta terça-feira, 30 de agosto, e seguem até 28 de setembro.

O prazo foi definido pelo edital PGR/MPF nº 14/2016, publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 29 de agosto.

Para o Pará há quatro vagas disponíveis, nas unidades do Ministério Público Federal (MPF) para os seguintes municípios: Belém, Itaituba, Marabá e Tucuruí. No entanto, o número e a localização das vagas podem mudar, a depender, por exemplo, de eventuais nomeações de candidatos aprovados em concursos anteriores e do resultado do concurso de remoção entre procuradores da República em exercício.

No Pará, a inscrição preliminar poderá ser realizada nas unidades do MPF em Altamira, Belém, Marabá, Paragominas, Redenção, Santarém  ou Tucuruí (endereços em http://www.mpf.mp.br/pa) das 12h às 18h. Os documentos referentes às inscrição deverão ser entregues nessas unidades do MPF. Antes disso, o candidato deve fazer sua pré-inscrição pela internet, no endereço http://www.mpf.mp.br/concursos/concursos/procuradores, e pagar taxa de R$ 250.

Pedidos de isenção devem ser formulados até 15 dias antes do término das inscrições. Nesse caso, o candidato deve comprovar que não possui condições para arcar com o valor, apresentando, inclusive, a inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Oportunidades – No país todo a  seleção oferece um total de 82 vagas para o cargo, sendo 10% do total reservado às pessoas com deficiência. O subsídio inicial é de R$ 28.947,55.

A prova objetiva do 29º concurso público está prevista para o dia 27 de novembro de 2016. Já os exames subjetivos devem ocorrer de 1º a 4 de abril de 2017. A seleção será válida por dois anos, podendo ser prorrogada por igual período.

Informações – As divulgações referentes ao concurso serão feitas no Diário Oficial da União e no endereço eletrônicowww.mpf.mp.br/concursos/concursos/procuradores/.

Eleição 2016: Feirantes reclamam de insegurança e anseiam por melhorias

Publicado em 29 de agosto de 2016

Eleições

 

 

 

 

Vendedora de verduras na feira do bairro Laranjeiras há 33 anos, Maria Francisca da Silva, sente tristeza ao ver a situação do local de trabalho, “peço que olhem por nós porque estamos abandonados. Tinha um projeto para arrumar nossa feira, mas até agora nada foi feito. Estamos precisando de ajuda na limpeza, organização e nossos boxes que nunca ganhamos. Roubam muito as nossas coisas, aqui não tem segurança”.

A reclamação, que demonstra a insatisfação de muitos feirantes, foi ouvida durante a caminhada do candidato à prefeito Dr. Jorge Bichara, neste domingo, dia 28, na feira do bairro da Laranjeiras. Junto com a vice Celene Lima, o candidato da coligação “Certeza de um Tempo Novo” ouviu os anseios dos trabalhadores como o do pescador Valberto Pereira de Oliveira (foto abaixo). Segundo ele, que vende peixe na área externa há 30 anos, é necessário investir em um político novo para lutar por toda a população e pelos pescadores. “Precisa ajeitar essa feira, cobrir a área onde a gente trabalha, tem que ter um ponto para os pescadores venderem o peixe mais barato”, desabafou Valberto.

Dr. Jorge com o pescador Valberto

Nesse sentido Dr. Jorge Bichara ressaltou alguns dos trabalhos desenvolvidos por ele durante a gestão na Secretaria de Agricultura do Município. Destaque para a criação de 75 tanques de piscicultura, o que tem alavancado a produção de peixe em Marabá.

Quem também solicitou melhorias foi dona Maria Macedo dos Santos (foto abaixo). Ela vende galinhas, trazidas da Vila Quatro Bocas, há dez anos. Na avaliação da feirante, para o trabalho dela melhorar é necessário um local adequado para o abate das aves.

Dr Jorge e vendedora de aves Maria Macedo dos Santos

E por falar em zona rural, a moradora da Vila Talismã, que fica a 50 quilômetros do centro de Marabá, Luiselina Maria Rocha vende verduras na Feira da Laranjeiras todos os domingos. Ela reclama que os agricultores enfrentam muitas dificuldades, “precisamos de estradas, máquinas agrícolas para revirar a terra, um sistema de irrigação, lá é esquecido, nós não temos auxílio para trabalhar melhor”.

Durante a caminhada Dr. Jorge Bichara expôs aos feirantes algumas das propostas do plano de governo. Entre elas, vale destacar, a revitalização das feiras do bairro Laranjeiras e Folha 28; a implantação de uma central de abastecimento para atender os produtores do município e região; dar apoio técnico para a melhoria da qualidade dos produtos hortifrutigranjeiros; bem como incentivo aos agricultores familiares para o cultivo de hortas e criação de animais, além de viabilizar a implantação de uma indústria de beneficiamento de pescado de Marabá e região (o projeto já está elaborado, mas nunca saiu do papel).

Na feira da Laranjeiras Seu Germano José dos Santos, que morava antes no PA Bom Jardim da Voltinha, perto da Vila Santa Fé, conhece o candidato Jorge Bichara há muito tempo. O agricultor aposentado fez questão de falar que admira muito Dr. Jorge devido o trabalho que ele tem feito a favor do meu ambiente. “Já precisei dele que na hora me ajudou, é um ótimo candidato, acredito que Dr. Jorge possa melhorar a cidade porque ele é trabalhador. Vou votar nele. A política de hoje tem que mudar, é preciso novos projetos, novas propostas, se não haver mudança, não vai melhorar nada”, enfatizou o senhor Germano José dos Santos. (Assessoria de Imprensa da Coligação “Certeza de um Novo Tempo –   Kélia Santos – Jornalista)

 

Agenda do Candidato

Segunda-feira (29 de agosto)

Noite- Reunião no Bairro da Paz

Terça-feira (30 de agosto)

Noite – Reunião no Bairro São Félix

Corte no Orçamento está inviabilizando a Unifesspa

Publicado em 29 de agosto de 2016

 

Os cortes executados pela gestão do presidente interino Michel Temer no orçamento da Universidade Federal do Sul/Sudeste do Pará estão inviabilizando o ensino superior gratuito na região.

Esse é o teor de nota distribuída à imprensa e encaminhada à classe política paraense, denunciando o risco da Unifesspa se inviabilizar de vez.

Eis a nota, assinada pelo   professor  Carlos Renato Lisboa Francês, Reitor Pro-Temporebda instituição;

—————

 

A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) foi criada no dia 6 de junho de 2013 e já nasceu como universidade multicampi, sendo constituída pelo Campus de Marabá (sede) e os Campi de Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Xinguara. Entretanto, a área de abrangência da Unifesspa vai além dos municípios citados, envolvendo os 39 municípios da mesorregião do Sudeste paraense, além de potencial impacto no Norte do Tocantins, Sul do Maranhão e Norte do Mato Grosso.

Em qualquer processo natural de implantação de uma Universidade, em função de seu inevitável crescimento gradual, os investimentos nos primeiros anos de existência desta nova IFES devem ser obrigatoriamente crescentes, já que se subentende que haverá criação de toda a infraestrutura necessária, o respectivo custeio associado à tal infraestrutura e o investimento em recursos humanos, que se materializa como o cerne de todo o processo de implantação (servidores e discentes). Essa lógica, aparentemente tão consensual, vem sendo implementada às avessas pelo Governo Federal e, notadamente, com perspectivas ainda mais sombrias para o ano de 2017.

Contexto no qual a Unifesspa já demonstrou detalhadamente ao MEC que a liberação de 50% de orçamento de investimento e de 10% de orçamento de custeio constantes na LOA-2016 são imprescindíveis ao funcionamento, em condições mínimas, das atividades de ensino, pesquisa e extensão e das ações de infraestrutura em curso, sem, entretanto, termos sido atendidos até o presente.

Situação que ganha contornos dramáticos pela imposição, por parte do Governo Federal da proposta de orçamento para Universidades Federais – PLOA-2017. À Unifesspa foram impostos cortes de limites orçamentários em relação ao mínimo necessário para 2017. Na proposta apresentada, já tramitada do MEC ao MPOG, o teto orçamentário de custeio é inferior, em termos reais, à LOA-2016, abarcando tão somente a metade dos R$ 26.541.552,00 necessários. Uma decisão extremamente grave para a Unifesspa – em se tratando de uma IFES com necessidades crescentes decorrentes da implantação, o que levará, no caso concreto, a não se ter como honrar minimamente os contratos para o funcionamento básico da Instituição (tais como: limpeza, vigilância, energia e transporte). No que concerne ao investimento, a proposta penaliza a Unifesspa com um corte de 43% em relação ao orçamento de 2016 e de 79% em relação ao mínimo necessário para 2017, refletindo inevitavelmente em paralisações de obras, de aquisição de equipamentos laboratoriais, de acervo bibliográfico, de estruturas de salas de aula, entre outros malefícios. Tão grave quanto os cortes de investimento e custeio é o corte projetado para o orçamento destinado à manutenção da Assistência Estudantil, PNAES, que sofrerá uma redução nominal de 3,15%, o que é extremamente grave face à ampliação de 17% no número de discentes para 2017 em relação a 2016. Adicionalmente, nos próximos anos, não liberará códigos de vagas para realização de concursos para docentes e técnicos administrativos para as instituições federais de ensino superior.

Importante frisar que os cortes estão sendo impostos em um contexto de implantação da Instituição, que enseja ampliação do número de alunos e da estrutura física em função do ingresso de novas turmas dos cursos recém-criados. De tal sorte, mesmo que não se seja aberto qualquer novo curso, os números da Unifesspa serão crescentes pelos próximos três anos, uma vez que o número de cursos de graduação da Unifesspa dobrou, passando de 16, em 2014, para 33, em 2016; que se ampliou de 01 para 04 cursos de pós-graduação stricto sensu; que se elevou o número de alunos de cerca de 2 mil, em 2013, para quase 5 mil, em 2016. Tais números refletem, de maneira inequívoca, que a Unifesspa está em pleno processo de expansão e que, por conseguinte, ano após ano, cresce em uma proporção não linear. As restrições orçamentárias apresentadas no PLOA-2017 inviabilizam de maneira definitiva o funcionamento da Universidade, em 2017, e condenam prematuramente a própria existência da mesma.

No mesmo diapasão, já no ano corrente, o Governo Federal, entre outros graves equívocos prejudiciais à Educação, promoveu corte de 20% no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), extinguiu o Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) para o nível de graduação e inviabilizou a criação de novos cursos de Medicina.

Para fins de comparação, a Tabela a seguir apresenta o orçamento votado na LOA-2016 (já aquém das necessidades reais) com a proposta apresentada pelo Governo para compor o PLOA-2017 e o mínimo necessário:

Unifesspa

 

É imperativo ressaltar que todas as ações supracitadas impostas pelo Governo Federal, tanto referentes aos contingenciamentos da LOA-2016, quanto em relação à apresentação do PLOA-2017, foram definidas sem qualquer tipo de negociação com as Universidades do país (seja individualmente, seja a partir de suas entidades representativas – como a ANDIFES).

Diante de todo o contexto descrito, é imprescindível que toda a sociedade paraense e a nação brasileira tenham ciência e possam unir-se em defesa da Unifesspa e de todas as demais universidades públicas, diante do cenário extremamente preocupante, fruto das ações em andamento promovidas pelo Governo Federal, no que tange à real, verdadeira e única “ponte para o futuro” do Brasil: A Educação Pública e gratuita de qualidade.

Atenciosamente,

Prof. Dr. Carlos Renato Lisboa Francês

Reitor Pro-Tempore

DOXA TUCURUÍ: JONES MANTÉM DIANTEIRA

Publicado em 28 de agosto de 2016

Jones William (PMDB) se mantém à frente na corrida eleitoral no município de Tucurui. É o que mostra a  pesquisa DOXA, registrada no T.R.E sob o nº PA-02367/2016.

A pesquisa foi realizada entre os dias 22 a 25/08/2016 com uma amostra de 600 entrevistas.

ESPONTÂNEA: Na pergunta espontânea, em que não se apresenta os nomes dos candidatos, Jones William (PMDB) aparece na frente com 33,2% das intenções de voto. O segundo colocado é o vereador Jairo Holanda (PSDB) com 29,1%;  Joilson aparece com apenas 1,1%; Os eleitores indecisos representam 21,0%, enquanto 16,2% tem intenção de anular ou votar em branco.

ESTIMULADA: Na questão estimulada em que são apresentados os nomes dos candidatos. Jones William (PMDB) permanece em primeijro lugar com 43,7% das intenções de voto. O segundo colocado é o vereador Jairo Holanda (PSDB) com 31,1%.  Joilson aparece com 3,1%. Branco/Nulo somam 8,6%; e indecisos, 14,0%.

Rejeição: Em se tratando de rejeição, Joilson é o mais rejeitado, aparecendo com 34,2%. O segundo mais rejeitado é o vereador Jairo Holanda, com 28,2%.  Jones William é o menos rejeitado, 17,0%.

 

Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito de Tucurui? (ESPONTÂNEA)

Tucuruí

 

Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito de Tucurui? (ESTIMULADA)

Tururui 2

 

Se a eleição fosse hoje, em quem você NÃO votaria de jeito nenhum para prefeito de Tucuruí? (ESTIMULADA)

 

Tucuruí 3

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% dos resultados retratarem o atual momento eleitoral.

A margem de erro estimada é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.