“Caraca”, o asfalto chegou à Folha 17 !

Publicado em 30 de maio de 2011

 

Depois de 26 anos residindo na mesma casa que construímos na Folha 17, Núcleo Nova Marabá, finalmente a nossa rua começou a ser asfaltada.

A gente sai à porta, vê os maquinários, e não acredita.

Em sua  maioria de domicílios, a Folha 17 é habitada pela  classe média.

Poucas ruas faltavam ser asfaltadas.

Parece até que os prefeitos anteriores não traziam benefício à nossa rua por se tratar habitat “natural” do pôster.

Mas o Maurino Magalhães trouxe.

O prefeito esteve sábado  aqui perto onde moramos  e deu a boa nova (foto), no meio de centenas de moradores, garantindo o início das obras para esta segunda-feira..

Falou e cumpriu.

E nós, aqui, inclusive cerca de 200 crianças da “Escola Gente Importante”, próximo a nossa casa, saudamos o benefício com uma alegria prazerosa.

Afinal, somos ou não filhos também de Deus?

Portal IG “fotografa” Marabá

Publicado em 30 de maio de 2011

 

Se um plebiscito aprovar a criação do Estado de Carajás, Marabá ganhará dois títulos: o de capital do Estado e de capital mais violenta do Brasil. Hoje, o município é a quarta cidade onde mais se mata no País, segundo o “Mapa da Violência 2011”, do Ministério da Justiça.

 

 

Texto abre matéria publicada no IG, tratando os problemas de Marabá.

E antes que a turba apaixonada venha acusar o portal de estar fazendo campanha contra a divisão do Estado, é bom raciocinar do princípio de que  o texto está baseado em dados oficiais do governo federal.

Como bem lembra o blogueiro Alan de Souza num generoso emeio enviado ao poster, a matéria do IG   demonstra  que  “a  grande imprensa nacional está enxergando o Pará, depois da questão do plebiscito ganhar a mídia. Nada, nada, já é positivo que se consiga chamar a atenção para os problemas da cidade.”.

O blog concorda com o professor, enquante reflete cuidadosamente o racional  texto do repórter Wilson Lima, enviado a Marabá.

Para ler o que diz o IG.

Nada de novo no discurso de Mário Couto

Publicado em 30 de maio de 2011

 

Para quem esperava “muitas emoções”, como ele havia prometido, segundo imprensa de Belém, o discurso do senador Mário Couto, agora há pouco da tribuna do Senado, não passou de mera repetição de seus conhecidos arrufos.

Defendeu-se mais do que acusou.

Como ele terminou a fala prometendo ao povo paraense, de novo, “muitas emoções, muitas emoções”, fica a expectativa do que o senador falará amanhã.

Ou o que ele extrairá do “cofre” que tem guardado,  ” com documentos, fotos e gravações”  comprometedoras.

Antes do discurso deste segunda-feira, terminado às 16 horas, o clima no Senado era de que Mário Couto iria fazer revelações contra Jader Barbalho.

Sociedade cobra transparência nas contas públicas

Publicado em 30 de maio de 2011

 

Nesta segunda-feira, 30, o Observatório Social de Belém e o Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Pará protocolizam proposta de emenda aditiva ao Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para o ano de 2012 – LDO 2012 nos gabinetes de todos os deputados estaduais na Assembléia Legislativa do Estado.

A proposição inclui dispositivo na LDO 2012 determinando que a cada bimestre os Poderes e os demais órgãos constitucionais independentes, divulguem na internet informações referentes ao nome, nº parcial do CPF, cargo, função, vínculo, carga horária, setor e órgão, conforme organograma, dos seus servidores ativos.

A prática já é adotada pela União no sítio www.transparencia.gov.br, incliusive com possibilidades de pesquisa de informações mais detalhadas.

A expectativa é de que os deputados apresentem a emenda nos termos enviado, dando um importante passo para o resgate da imagem do Poder Legislativo, envolto em sérias denúncias de irregularidades..

Considerando que a medida, após aprovação, entrará em vigência somente no ano de 2012, as duas entidades irão solicitar que a medida seja implementada imediamente, por via administrativa, evidenciando o compromisso da atual gestão com a transparência e o efetivo controle social.

Mesmo com a simplicidade da proposta e seu custo ínfimo de implantação, uma vez que se tratam de informações mínimas para o pagamento de pessoal, bem como a divulgação na internet não implica em custos de impressão adotados em outros meios de publicidade, faz-se necessária a ampla divulgação desta medida e a união de toda a sociedade paraense pela sua aprovação, garantindo assim, um eficaz instrumento para o controle dos gastos com pessoal não apenas pela Assembléia Legislativa, mas por toda a Administração Pùblica Estadual.