Hiroshi Bogéa On line

Wandenkolk e o mise-en-scène de Giovanni

 

 

Coberto de razão,  o deputado federal Wandenkonl Gonçalves (PSDB), ao rejeitar a colocação de sua assinatura  ao Projeto de Lei nº 3453, de autoria do deputado federal Giovanni Queiroz, que propõe a regulamentação de consultas plebiscitárias.

Ao deixar claro as razões que o levaram a negar apoio à  iniciativa de Giovanni, o deputado de Itupiranga deu um tapa na hipocrisia, corajosamente, ao não se permitir ser usado numa proposição fadada ao engavetamento e que tem, como pano de fundo, objetivo claro de prestar contas ao eleitorado do Sim, nesse período de ressaca da proposta divisionista, rejeitada nas urnas.

Não é mais tempo de fazer mise-en-scène.  Busca-se a racionalidade ou a tal sonhada criação de novos estados não passará do que realmente tem sido até agora: sonho.

Wandenkolk absorveu muito bem o sentimento de oposição existente no Congresso Nacional a qualquer proposta de criação de novos estados sem que se discuta à exaustão uma nova configuração territorial para o país.

O caminho menos íngreme ( também não menos tortuoso)  para a concretização de  Carajás, Tapajós e outras propostas de criação de novos estados, é a instalação da Comissão Especial para estudar e propor uma nova divisão territorial brasileira – defendida por Gonçalves.

É por aí.

Esse babado proposto pelo Giovanni,  não passa.

É polêmico pelo caráter individualista  da matéria,  centralizada, de novo, em um produto que acabou de ser rejeitado, aos olhos críticos  da Nação.

Serve, sim, potencialmente,  para fermentar a imagem de Queiroz como “defensor de Carajás”, mas de prático,  vale zero.

Wandenkolk demonstrou sobriedade com sua decisão, além de ter chutado o pau da barraca ao ser exposto à xenofobia e aos berros rancorosos daqueles que defenderam Carajás e Tapajós como o salvação de todos – e é bom que o azedume e as pulgas de plantão não venham dizer que o deputado de Itupiranga está  “conspirando” contra a criação dos dois novos estados. Ele foi um dos parlamentares que mais se expuseram favorável a proposta, tanto que andou sendo escanteado por  figuras expoentes do governo do Estado.

A população tem que ser conscientizada do que é realmente possível fazer de positivo, no Congresso Nacional,  para a criação, num futuro não muito próximo, de novos estados – e não ser exposta, outra vez, a sonhos impossíveis, iludida irresponsavelmente.

Ao invés de  segurar-se na propaganda de um projeto que não vai prosperar no Congresso Nacional, Giovanni faria um bem danado à causa se procurasse cerrar fileiras em torno da instalação da Comissão Especial,  prevista no Ato das Disposições Transitórias da Constituição Brasileira, destinada a estudar a reconfiguração territorial do país.

Post de 

11 Comentários

  1. Telma

    20 de março de 2012 - 16:10 - 16:10
    Reply

    Sou a favor da criação do Estado de Carajás, e digo A todos os amigos que o povo deste novo estado, já existe politicamente, mesmo que geograficamente seja um sonho. No futuro bem proximo,esses que sempre esteveram pedindo votos em nossa região, vão ter um bela supreza!!!!!

  2. Célio

    20 de março de 2012 - 15:22 - 15:22
    Reply

    Ô Matheus às 11:29 hs., concordo que a luta por Carajás deve continuar. A nossa persistencia terminará com o sucesso na difícil empreitada. Insisto que deve ser uma luta tambem destituída de partidarismo – embora querer que nossos políticos o façam, talvez seja lhes pedir muito. Tudo bem. Em qual ano será ? Não importa. Temos que manter acesa a chama libertaria. À propósito da citação do Dep. Wandenkolk (PSDB), nada contra ele. Deve estar fazendo o que lhe parece lógico e certo nesse caso do Proj. de Lei do Dep. Giovanni Queiroz. Me causa inquietação essa mudez irresponsavel dos tucanos de alta plumagem paraenses quanto ao caso da “falência programada da Celpa” . Parece que não lhes diz respeito, não é com eles, não foram eles – principalmente Almir e Jatene com beneplácito dos demais hierárquicamente abaixo desses – que venderam a “concessão” para o Grupo Rede em 98, por subfaturados RS 450 milhões de reais, tendo a empresa avaliada em quase RS 800 milhões de reais. A coisa, de tão mal ajambrada e indevida foi, que, agora, lhes cai nas mãos(PSDB) a “bomba”. Hão de dizer que só venderam, não administraram a empresa. Ora, Sr. Governador Jatene, e que dizer dos RS 160 milhões de reais de ICMS recolhidos durante esses 14 anos pela empresa e não repassados ao Estado do Pará ? Só para citar uma das nocivas vertentes oriundas dessa nefasta “venda”. O silencio (proposital ?) dos pêessedebistas no caso Celpa, parece bem eloquente, não ? Em 20.03.12, Marabá-PA.

  3. Matheus

    20 de março de 2012 - 11:29 - 11:29
    Reply

    A luta pelo estado de carajás tem que continuar, agora com a união das pessoas de outras regiões, que querem criar outros estados. Honestamente, se tiver mais 2 plebiscitos como o de carajás, onde as populações dos “novos” estados votarem com cerca de90 % dos votos(como em carajás), o congresso vai ver que tem muita coisa errada.A luta não pode parar, tanto é que os grupos de carajás e tapajós tem mais de 20 mil membros no facebook.

  4. Wandenkolk Gonçalves

    20 de março de 2012 - 11:16 - 11:16
    Reply

    Prezado Hiroshi,
    agradeço pela seriedade com que tratou desse assunto tão delicado. De fato, você compreendeu em profundidade minhas motivações e percebeu, ao ler o texto de meu comunicado, quais são os objetivos que me impus a fim de trazer o sonhado desenvolvimento à nossa região de Carajás. Repito: sou muito grato pelo profissionalismo e ética com que você tratou esse episódio. Um forte abraço.
    Wandenkolk

  5. DJALMA GUERRA

    20 de março de 2012 - 10:29 - 10:29
    Reply

    Concordo com o Antonio Rosa pois o Deputado Giovani deve continuar a luta pois quase por unanimidade nos aqui da região dissemos sim a emancipação.

  6. Antonio Rosa

    20 de março de 2012 - 09:55 - 9:55
    Reply

    É incrível como os belenenses só olham para o umbigo, pra eles o Pará se resume a Belém e região do sal. Felizmente temos aqui na nossa região pessoas de coragem como o Dep. Giovanni que não se cala perante essa alcateia do Jateve. Para essas pessoas que não conhece o verdadeiro Pará (não aquele Pará que o grupo Liberal costuma mostrar), sugiro que entre nos seus carros (oficiais) e andem pelas estradas do Sul e Sudoeste do Pará.
    O Pará continua igual a Fafá, só de Belém (infelizmente).

  7. Capitu

    20 de março de 2012 - 08:04 - 8:04
    Reply

    Muito bom,Hiroshi.
    Algumas pessoas já tiveram seus momentos de fama encostados nessa “bandeira bonitinha”, que na realidade só serve para isso: deixar algumas pessoas famosas!!!
    Trabalhar que é bom… Nada….

  8. anônimo

    19 de março de 2012 - 21:28 - 21:28
    Reply

    Caro Hiroshi,
    Gostaria de parabeniza-lo pela postura ética, e pela sua visão ampliada em relação as causas que aflingem a população do nosso Estado. O texto contido no nosso conceituado Blog, reproduz com fidelidade a postura coerente e ética do Dep. Wandenkolk, no Congresso Nacional. Aliás, não foi por acaso que o RANKING da revista VEJA-2011, o coloca como um dos Deputados mais atuantes do Brasil, para o orgulho de todos nós. Wandenkolk, diferente de outros, ao invés de ficar buscando justificativas para algumas frustações, direciona a sua ação Parlamentar junto ao Governo do Estado, para resgatar compromissos históricos em favor da nossa região, como por exemplo: Criação da Universidade do Sul e Sudeste do Pará com sede em Marabá, implantação do curso de Medicina em Marabá, a aceleração da liberação do edital, que irá reconstruir a PA-150, no trecho Marabá, a Alça Viária, começando por Marabá, a conclusão da PA-279 ligando Xinguara a São Felix do Xingú,a PA-275 que liga Parauapebas a Eldorado dos Carajás, além da PA-287 ligando Redenção a Conceição do Araguaia. Wandenkolk, agora como membro titular da poderosa Comissão de Orçamento e Finanças do Congresso Nacional, direciona esforços para disponibilizar recursos financeiros, através do DENIT, para a pavimentação da BR-155, antiga PA-150 de Redenção a Marabá, a qual foi federalizada. Esse, é o Dep. Wandenkolk. Aliás ” Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará “. Parabéns Hiroshi !

  9. Carlinhos ( Louro )

    19 de março de 2012 - 19:43 - 19:43
    Reply

    Eí, Giovanni,

    Porr… deixa de usar o povo sulparaense. Respeita, a decisão da maioria dos paraenses, que disseram NÃO a divisão. Ha, lembrei, o problema dele, e que, não vai mais ter, o seu cansado discurso do Carajás. Rsrsrsrs….

  10. anônimo

    19 de março de 2012 - 19:07 - 19:07
    Reply

    Hiroshi,
    Aqui, em Altamira, o Dep. Wandenkolk, é conhecido como Deputado coragem da Transamazonica. Pois, foi, o único parlamentar que enfrentou de frente, a famosa operação repressiva, denominada ” ARCO DE FOGO ” comandada pelo Ministro Ming. Que, do alto de seu Gabinete refrigerado, em Brasilia, dava ordens ao grupamento das forças armadas, chamada de Força Nacional , que lembrou em muito à época da ditadura militar vivida por nós Brasileiros, e que até hoje suas feridas não foram saradas. Portanto, ao ler o artigo em que o Dep. Wandenkolk, não pôs, sua assinatura no PL nº 3453, demonstra, a sua retidão e seriedade, ao tomar essa postura, combatendo de forma direta, interesses de politicos oportunistas, e nesse caso especifico, o HIPÓCRITA do Dep. Giovanni, que não tem trabalhos prestados à sua região ( Sul do Pará ), e que, por 04 mandatos se elegeu, empunhando a bandeira de Carajás. E agora não terá mais esse discurso. Externo, nossa solidariedade ao Dep. Wandenkolk, e o meu orgulho, junto com minha familia por termos votados nele. Continue assim DEP. CORAGEM DA TRANSAMAZONICA, e porque, não dizer também do SUL DO PARÁ.

  11. Ribamar Ribeiro Junior

    19 de março de 2012 - 18:15 - 18:15
    Reply

    Tenho plena convicção que o caminho é este, discutir uma nova divisão territorial brasileira. Aspectos que tipifiquem os modelos de desenvolvimentos regionais; Valorização da soberania nacional e envolvimento de todos os setores da sociedade na reformulação do papel do Estado.

    parabéns ao deputado itupiranguense pela postura!

Leave a Reply to Antonio Rosa

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *