Um pai eternamente grávido

Publicado em 14 de agosto de 2011

 

 

A vida nos é dada para grandes coisas, e creio piamente que ser pai é o maior de todos os dons.

Filhos são mensagens que mandamos para um tempo que não vamos viver.

Mais do que a carga genética que é duplicada e transmitida para eles, nos dando uma noção de eternidade, filhos são a prova real da capacidade que temos de formação, pois o que eles são, nada mais é do que o reflexo do que fomos como pais.

Quando se tem a convicção de que cumprimos o papel não apenas da procriação, mas como orientadores generosos, dá um prazer danado olhar pra trás e ver que tudo foi maravilhoso.

Digamos assim: fui um pai grávido, vivendo cada momento dos três filhos em velocidade de cruzeiro.

Neste domingo, o melhor presente que um pai pode receber é o reconhecimento de sua família – principalmente dos filhos.

A mensagem da Sílvia, filha do meio, postada em seu Facebook, me deixa sensivelmente orgulhoso do cumprimento do dever familiar.

A mensagem é o melhor presente que eu poderia receber.

Thiago, Sílvia e Julianna, é bom demais ser pai de vocês.

Peço  permissão aos leitores para reproduzir o texto de minha filhota amada, extraído do seu Facebook:

 

Meu pai!

por Silvia Bogéa, terça, 9 de agosto de 2011 às 18:48

 

Na semana do Dia dos Pais, preciso falar um pouco do meu.

E ele é o melhor pai do mundo (sem clichê!).

Meu primeiro modelo de herói, sempre presente nas programações escolares, registrando em filmagens todas as etapas de nossa infância (hoje estes vídeos estão digitalizados).

Toda noite ia dar o beijo antes de dormir e verificar se o lençol nos cobria.

Foi ele quem sempre deu asas aos nossos sonhos.

Era ele quem me deixava faltar aula, cantava e fazia textos para nos homenagear, textos estes, que guardo até hoje.

O “defeito” do pai, foi o exagero, em nos presentear com o dobro do que pedíamos. Vestia-se de Papai Noel para dar realidade à nossa imaginação.

Era ele quem me permitia comprar no supermercado todos os biscoitos que gostava: nós dois esperávamos a mamãe dormir para “assaltar” a geladeira, juntos.

Tenho até hoje imagens das nossas idas à fazenda que meu avô tinha (só ele e eu!), sempre conversando e cuidando de mim.

Meu pai sempre, sempre foi presente, até quando não precisava ser.

Tentou ensinar a mim e ao meu irmão tocar violão, mas não levamos a sério – hoje me arrependo.

Nas minhas melhores lembraças sempre vejo a imagem do meu pai, carinhoso, amigo, companheiro…

Até hoje, é o meu MAIOR INCENTIVADOR E APOIADOR, conselheiro, amigo, porto seguro e refúgio.

Obrigada Pai, Hiroshi Bogéa, tenha certeza de que você cumpriu seu papel com maestria. Espero proporcionar aos meus filhos o pai que tenho.

E tenha certeza de que seus netos só ouvirão boas histórias sobre você.

Meu herói e amigo, tenho muito orgulho de você, e agradeço diariamente a Deus por seres o meu pai.

O meu amado papi!