UBSF de Itupiranga: prefeitos se unem para evitar devolução da Unidade Básica

Publicado em 19 de março de 2021

Três prefeitos  de municípios inseridos geograficamente no Lago de Tucuruí, em reunião ocorrida ontem na sede do Cisat, decidiram criar um fundo provisório destinado à manutenção da Unidade Básica de Saúde Fluvial de Itupiranga, que o prefeito Benjamin Tasca ventilou devolver ao Ministério da Saúde alegando alto custeio da unidade de saúde, conforme o blog divulgou ontem.

São os prefeito do próprio município de Itupiranga, de Jacundá e Nova Ipixuna.

Durante reunião, que contou também com a presença do ex-deputado federal Beto Salame e da vereadora de Itupiranga,  Márcia Cunha (PSD), e do secretário de Saúde de Itupiranga,  Vanderil Lima e advogado Frederico Nogueira -, foi discutida a importância da UBSF para o atendimento à saúde de ribeirinhos dos três municípios, e que sua devolução causaria grandes prejuízos de caráter humanitário.

Três decisões foram tomada.

A primeira,  formou-se uma equipe de trabalho com a responsabilidade de levantar documentos destinados ao credenciamento da UBSF , no Ministério da Saúde.

Outra comissão cuidará da confecção do Termo de Cooperação  entre os três municípios para utilização, a partir de hoje,  da UBSF.

Outra decisão foi a designação do prefeito de Itupiranga, Benjamin Tasca, responsável  pela atualização das informações da licitação, para aquisição da UBS e enviar ao ministério da Saúde todas as informações colhidas pelos dois grupos de trabalho para alimentar o sistema do MS – uma das exigências da legislação para uso compartilhado da Unidade de Saúde Fluvial pelos três municípios.

Beto Salame (na foto falando a prefeitos e demais participantes da reunião), que foi um dos responsáveis, enquanto exercia mandado de deputado federal, pela obtenção da UBSF pelo vizinho município disse que acompanhará de perto todas ações na tentativa de viabilizar rapidamento o cadastramento da unidade móvel de saúde.

“Ao ser cadastrado, a UBSF receberá mensalmente do governo federal algo entre R$ 70 a R$ 80 mil. Essa quantia é destinada ao pagamento da tripulação e das equipes de saúde que atuarão em atendimento às comunidades ribeirinhas”, disse o ex-deputado federal, acrescentando ainda que “jamais eu e meu irmão João Salame, que tanto lutou pela conquista da UBSF, quando foi diretor do DAB, permitiríamos que essa unidade móvel de saúde fosse devolvida”.

Ouvida pelo blogueiro esta manhã, pelo telefone, a vereadora Márcia Cunha  (foto abaixo, em primeiro plano, à esquerda, participando da reunião no Cisat) disse que saiu satisfeita do encontro ocorrido em Marabá, nesta quarta-feira, 17.

“Para os ribeirinhos, para os pescadores, pessoas que vivem isoladas à beira de rios, essa iniciativa  só tem a merecer reconhecimento. Jamais poderíamos perder essa oportunidade de atendimento, principalmente neste período de pandemia (nós sabemos das dificuldades que as secretarias municipais  de saúde   estão tendo para conter esse pico da Covid-19) e aproveitarmos essa estrutura magnifica em favor de quem precisa com muita urgência de atendimento  de saúde nas áreas médica odontológica, laboratorial. Então, assim:  essa UBSF sempre foi um sonho  nosso e quando se tornou realidade não podemos, jamais, perdê-la. É preciso, aliás, agradecer ao ex-deputado federal Beto Salame que  destinou emenda usada na aquisição da UBSF, bem como referendar reconhecimento aos esforços da Câmara Municipal de Itupiranga e do prefeito Benjamin Tasca para que não percamos a unidade móvel fluvial de saúde”, disse as parlamentar, que está acompanhando  e defendendo a rápida regularização da ferramenta usada no rio Tocantins.