Prefeito Benjamin Tasca pretende devolver ao governo federal UBS fluvial de Itupiranga

Publicado em 17 de março de 2021

Em plena pandemia do coronavírus, o prefeito de Itupiranga, Benjamin Tasca, está articulando a devolução ao Ministério da Saúde da Unidade Básica de Saúde Fluvial (UBSF).

Alega o chefe do executivo que a plataforma fluvial tem custo elevado de manutenção, esquecendo de que a mesma é uma ferramenta imprescindível para atendimento de ribeirinhos do Lago de Tucuruí.

Não passa pela cabeça do prefeito evoluir o mínimo esforço para unir demais prefeitos da região do lago para custear os serviços da UBSF.

A Unidade de Saúde chegou em Itupiranga no último ano do mandato  de José Milési, passando por complicadas operações logísticas  – inclusive a transposição das eclusas de Tucuruí (fotos), até aportar na cidade.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), por intermédio da Administração das Hidrovias da Amazônia Oriental (AHIMOR), foi acionado para concluir a transposição da  Unidade Básica de Saúde (UBS) Fluvial pelas eclusas.

A transposição foi realizada em operação de caráter emergencial, utilizando contrato previamente firmado pelo DNIT, com o objetivo de garantir o deslocamento da unidade projetada para auxiliar nas ações do município de Itupiranga no combate ao novo coronavírus.

O hospital flutuante foi construído em Manaus e navegou pelos rios Amazonas e Tocantins em direção à cidade de Itupiranga.

O serviço nas eclusas estava suspenso desde 2018, em função de problemas técnicos nos equipamentos necessários para garantir a operação segura do sistema.

As Unidades Básicas de Saúde Fluviais (UBSF) são embarcações que comportam Equipes de Saúde da Família Fluviais (ESFF), providas com a ambiência, mobiliário e equipamentos necessários para atender à população ribeirinha da Amazônia Legal.

A USB Fluvial, além de levar a saúde até os moradores que vivem na beira dos rios, agiliza o atendimento, pois diminui a necessidade de deslocamento até a cidade.

Este blogueiro vai se aprofundar nessa questão, procurando ouvir, a partir de amanhã, pessoas de Itupiranga, inclusive vereadores, para esclarecer melhor a situação da Unidade Básica de Saúde Fluvial.