Hiroshi Bogéa On line

Torrando grana

Na tarde de sábado, o blogger conversou com técnico do TCM preocupado com as contas públicas de muitas prefeituras do Sul do Pará. Irremediavelmente, conta, a maioria não atenderá este ano às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal por conta do escancaramento de gastos verificados a partir de março. Segundo ele, “um ano eleitoral atípico, comprovadamente diferente dos demais”.

A revelação originará duas conseqüências, apenas. Primeira, os gastadores gastarão, sim, sem outros riscos mais graves; segunda: os próximos prefeitos passarão dois anos pagando contas dos outros, com graves conseqüências às comunidades pobres, e promovendo gastos próprios a mais, construindo, outra vez, a conhecida roda-viva de irresponsabilidade.

Ninguém controla essa corja.

Post de 

3 Comentários

  1. Anonymous

    9 de junho de 2008 - 23:57 - 23:57
    Reply

    Se correr o bicho pega se ficar o bicho come.
    Se o TCM atuar de verdade, poucos dos atuais prefeitos escaparão, o que escapar do TCM não passa nas urnas.

    Em média o gasto municipal tá em torno de 30% a mais que os anos anteriores. Nítido descompasso. Fraude.

    O TRE também podia divulgar em quanto cada prefeitura aumentou seus gastos no ano eleitoral. Abuso de poder econômico, com dinheiro público.

  2. Hiroshi Bogéa

    9 de junho de 2008 - 12:50 - 12:50
    Reply

    Essa pergunta eu fiz a ele.
    Resposta: “estão apurando para encaminhar relatórios à corte”.
    Ou seja: nada!

  3. Anonymous

    9 de junho de 2008 - 12:37 - 12:37
    Reply

    E o que o TCM faz contra isso?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *