Hiroshi Bogéa On line

Torcida demoníaca

Influente empresário do Sudeste comemorava a tomada da Estrada de Ferro Carajás pelo MST. “Só assim, atingindo os interesses da ‘poderosa’, o governo vai olhar com responsabilidade as grandes demandas regionais”, dizia. E torcia pela radicalização ainda mais da interdição da ferrovia:

– Pegava bem agora se pelo menos uns dez vagões da locomotiva fossem incendiados. Que imagem bela, do alto, as chamas denunciando para o mundo que aqui é a casa da miséria e da embromação.

Post de 

4 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    10 de novembro de 2007 - 22:52 - 22:52
    Reply

    Val, você é realmente o Grande Val que conheço. Rs

  2. Val-André Mutran

    10 de novembro de 2007 - 15:13 - 15:13
    Reply

    Doentes! A imagem imaginada é de prisão imediata de todo o grupo.

    Eita terra sem pulso.

  3. Hiroshi Bogéa

    10 de novembro de 2007 - 03:26 - 3:26
    Reply

    8:02 PM,fica o seu oportuno registro.
    Volta de novo, meu!
    Abraço

  4. Anonymous

    9 de novembro de 2007 - 23:02 - 23:02
    Reply

    Hiroshi
    Tudo bem que possa parecer um abuso uma empresa tão rica, ao lado de tanta pobreza. Porém, estas duas questões não estão diretamente relacionadas. Ou seja, não é a riqueza da Vale a causa da nossa pobreza! Pelo contrário, o município com um dos melhores IDH da região é justamente Parauapebas. Não se quer defender o “império da Vale”, é necessário cobrar respeito ao meio ambiente e retorno em investimentos sociais com resultados concretos, e ñ apenas marketing. Mas associar as duas questões é uma falsa relação, que esconde nossos problemas e nossas limitações em promover um desenvolvimento mais sustentável e includente!!! Sei que vc tem consciência disso, mas vale a lembrança a alguns setores de nossa sociedade (empresários, políticos e movimentos sociais, por exemplo).
    Abs

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *