Hiroshi Bogéa On line

Sonhos feitos de pó

Jobson, o jogador de Conceição do Araguaia flagrado duas vezes no exame antidoping por uso de cocaína, é mais um jovem do interior deste país a ser castigado duramente pelo peso da transição do ocaso para a fama. Igual a ele, outros garotos vivem a mesma situação: o sonho de ser ídolo esmagado pela saturação psicológica de estar entre dois mundos.

O mundo da miséria e do isolamento no interior de vilas e bocadas, e a descoberta da possibilidade de se tornar ídolo num grande clube de futebol.

É tênue, muito tênue, a linha a separar situações opostas.

De origem pobre vivida nas ribanceiras do rio Araguaia, Jobson quis ser apenas mais um Adriano da vida.

Ou outro ídolo dele famoso.

A exposição desse caso na mídia e as especulações criadas em torno da situação vivenciada pelo jogador, sujeito a ser banido dos esportes, devem ser analisadas com cuidado.

Se já estava vulnerável a ponto de usar cocaina ninguém sabe a quanto tempo, Jobson corre agora o risco de se transformar num marginal, com todos os riscos que isso representa para a sobrevivencia de um garoto que queria apenas ter seu nome gritado pela torcida num dia de domingo ensolarado.

O caso Jobson retrata a necessidade, cada vez mais urgente, dos dirigentes de clubes criarem departamentos específicos para o desenvolvimento do chamado trabalho psicopedagógico, uma novidade no Brasil, mas fundamental para o atleta ser acompanhado logo em que o mesmo passa a ser domínio dos clubes.

O trabalho psicológico deve ser feito de forma gradativa, a fim de que o esportista aprenda a lidar com as pressões à medida que vai crescendo profissionalmente.

Post de 

5 Comentários

  1. Anonymous

    21 de dezembro de 2009 - 20:42 - 20:42
    Reply

    Comentei hj num taxi sobre o Jobson.Punição sim do tamanho do erro (um garoto que deu uns tecos na balada , meu Deus que coisa rara não é?)
    1-2 anos???? não sei mas no mínimo com o clube com o qual ele tinha contrato e o sindicato , entidade (CBF) a qual ele pertencia garantindo um mínimo proporcional ao que ele recebia pra que ele possa arcar com um tratamento psicologico e terapeutico acompanhado e voltar recuperado.
    Banimento???nunca , deixá-los as traças é jogá-lo no fundo do poço e tampá-lo.
    Gostaria muito que meu time tivesse a gratidão e grandeza de apoiar o garoto e fazer um contratinho pra quando ele voltar ficar pelo menos 2 anos no clube.
    Aliás não entendo de leis mas jogar bola não é a profissão dele ??, não existe um direito ao exercício dela????
    Vamos Botafogo recupera o menino e a gente ainda vai ficar feliz com ele como já ficamos.
    Abraços
    Tadeu

  2. Anonymous

    21 de dezembro de 2009 - 18:38 - 18:38
    Reply

    Conversa furada justificar o uso da droga pelo fato do cara ser pobre,humilde,inculto e se deparar de repente c/"fama,mulher,drogas,etecétera)Na verdade é a fraqueza do ser humano que o faz experimentar e mais ainda,ela o nfaz viciar-se e pior ainda,ela,a fraqueza,faz ele não poder se libertar do vício.Observem bem,vicio qualquer que seja,é problema dos fracos,oservem o histórico dos viciados; não tem erro.Inclusive o fato de não aceitarem que são viciados,é um sinal da fraqueza; e não aceitam que são fracos também.Maguila,comeu pão com banana durante dois anos,enquanto seus parceiros de alojamento se viciavam em alcool e canabis. Nunca usou. Porque é um cara forte. E muitos outros são exemplo.

  3. Anonymous

    21 de dezembro de 2009 - 13:39 - 13:39
    Reply

    Pensem na familia do cara,fazem coisas "impossiveis" p/que ele chegue aonde chegou,privam-se até do básico,aí o cara "estoura",vai pintar uma "saída do blefo"(contrato inicial c/o Cruzeiro,especula-se em fifty thousand)mas aí o cara já está no vício do pó,nesse caso tá igual à Diego Armando. Já era,não é amigo do Castro,general da republiqueta de banana e cana de açucar,azar o seu…

  4. Anonymous

    19 de dezembro de 2009 - 22:36 - 22:36
    Reply

    Claro que esse cidadão/atleta deverá ser punido, mas banido para sempre? Isso não, é uma coisa que vai na contramão do social, imagina a cabeça desse jovem e da sua família agora! No meu ver ele não deve ficar afastado do futebol, deve continuar treinando e recebendo todo tipo de ajuda necessária enquanto cumpre uma punição(que seja justa), para que não seja mais um jovem nas tristes estatísticas de nosso país, e o time do Cruzeiro que já tinha anunciado sua contratação tem todas as condições de acompanhá-lo nesse momento, seria de uma grandeza e de exemplo enorme se CBF(com uma punição justa e não baní-lo) e Cruzeiro fizesse isso. Força Jobson!!! Agora que você deve mostrar que também é craque em dar um olé nessa coisa.

  5. telmachristiane

    19 de dezembro de 2009 - 20:10 - 20:10
    Reply

    Achei muito triste o acontecido, até porque acho que agora depois do segundo teste positivo as portas irão se fechar pra ele. Uma pena, fez um campeonato excelente, tinha tudo pra se tornar um ídolo.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *