Senador Flexa exige “mais ação e menos palavra”do governo

Publicado em 13 de abril de 2012

 

 

Senador Flexa Ribeiro (PSDB) acaba de encaminhar nota ao blog esclarecendo sua participação na audiência com o Ministro dos Transportes,  alvo de comentário do poster baseado em informações de pessoas presentes à reunião.

Registre-se, no embalo do assunto, a forma democrática com que o senador procura tratar os veículos de comunicação – sempre disponibilizando-se para oferecer informações relativas ao trabalho que desenvolve em Brasília, atendendo pessoalmente as ligações telefônicas, a qualquer horário quando é acionado.

Nota do senador, a seguir:

————————

 

Prezado Hiroshi,

A postagem trouxe uma versão com tons avermelhados da audiência ocorrida na quarta-feira, 11, no Ministério dos Transportes. É importante que sejam esclarecidos alguns pontos.

No dia 22 de Março estive juntamente com o líder do Governo, Senador Eduardo Braga, com a Ministra Miriam Belchior. Ali, a Ministra do Planejamento garantiu que o impasse sobre as obras de derrocamento do Pedral do Lourenço estava decidido: seriam executadas pelo Governo Federal.

Porém, na reunião com o Ministro dos Transportes, Paulo Passos, um assunto que parecia encerrado, ressurgiu: o Ministro declarou que “A Vale ou o Governo vai fazer as obras”. Ora, como podemos admitir uma postura dessas do Governo Federal? Uma postura dúbia e, no mínimo, contraditória.

Conversei no mesmo dia com o líder do Governo no Senado, Eduardo Braga. Ele também estranhou a afirmação de Passos, pois confirmou a declaração da Ministra, de que “as obras do Pedral do Lourenço serão executadas pelo Governo Federal”. E que iria entrar em contato com a Ministra Belchior para saber o que estava acontecendo.

Na próxima semana, retomarei este assunto para sanar essa dúvida gerada entre a declaração firme da Ministra Belchior e a divagação do Ministro Passos sobre o mesmo tema.

Portanto, não houve qualquer constrangimento. Apenas mostrei minha indignação pela forma como este caso vem sendo empurrado pelo Governo Federal há vários meses. Fiz de forma apartidária e sem outro interesse senão o de defender a região e o Estado pelo qual fui eleito.

O povo do Pará, sinceramente, não merece este tipo de tratamento. Muito menos esta politização de um tema de tamanha importância para o desenvolvimento de toda uma região pelos deputados federais do PT do Pará.

Para mim e para o Estado, quem executará as obras é o que menos importa. Mas, não é mais possível esse jogo de “empurra”.

Precisamos que seja dito, de uma vez por todas, quem executará as obras. Trata-se de um ponto fundamental para que a obra seja efetivamente iniciada. É isso que o povo do Pará espera: mais ação e menos palavras.

Abraços,

Senador Flexa Ribeiro