Hiroshi Bogéa On line

Revolução na sala de aula

A competente Bel Mesquita (PMDB) sugere uma “revolução na educação” como único caminho para a Amazônia conseguir superar a desvantagem competitiva que a separa de regiões mais desenvolvidas. Alguns dados pinçados da fala de Bel:

1- Com muito esforço, o Pará atingirá a média do PIB nacional de 2004 somente em 2050, um atraso de quatro décadas. “Sem objetivos concretos e ações bem definidas, não conseguiremos promover a arrancada que possibilite à Amazônia compensar o tempo perdido, vencer a longa distância que a separa de outras regiões do Brasil”, disse.

2- A solução é partir para promover a revolução educacional, fazendo a escola chegar ao aluno. No Pará -, impressionante, mas verdadeiro -, ainda faltam escolas para atender à demanda. “As que temos distam quilômetros de algumas comunidades. Nossas crianças atravessam rios e caminham horas para poder estudar em escolas que não têm livros e nem energia elétrica”.

3- Bel Mesquita é favorável às causas ecológicas e de preservação da natureza, mas defende que isso não pode ser feito de maneira que prejudique o homem e em detrimento da sociedade. “A Amazônia não é apenas bioma, floresta, uma grande área verde a cobrir quase metade do mapa do Brasil: é, também, população, gente, milhões de mulheres e de homens que ali querem viver e trabalhar”.

4- Ela acredita que o desenvolvimento da Amazônia é uma questão de vontade e decisão política, e que as riquezas da região não podem ser empecilho para o seu crescimento.
Não pode haver desenvolvimento sem educação, progresso sem cultura e prosperidade sem conhecimento”, ensina.

Post de 

9 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    2 de setembro de 2007 - 20:05 - 20:05
    Reply

    Aqui você terá sempre meu ombro para desabafar, menina..
    Beijos

  2. crisblog

    2 de setembro de 2007 - 18:14 - 18:14
    Reply

    Confetes a parte, por que será que o mal sempre vence o bem?

    Realmente educação se traduz em voto. Estamos próximos das eleições , não é verdade? Educação pra lá, educação pra cá….blá…blá…entra governo sai governo…municipais, federal e estaduais…e é tudo a mesma coisa…os discursos são sempre os mesmos e a prática é outra…desvios pra lá…desvios pra cá…blá,blá…

    O piano já está com a teclada marcada…amarelada…de tantos toques…os mesmos toques…o ritmo é o mesmo…a música é de sempre…só muda depois…sabes, das eleições…que também já são conhecidas…lá…lá…lá…

    Beijos, Hiroshi, perdoe-me !

  3. Val-André Mutran

    2 de setembro de 2007 - 15:52 - 15:52
    Reply

    Com a permissão do editor. Eis o aparte, na íntegra, do Deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA) nesse discurso da colega Bel Mesquita.

    O Sr. Giovanni Queiroz – Deputada Bel, permita-me um aparte? Deputado Manato, que preside esta sessão, a Deputada Bel Mesquita é uma especial colaboradora da Amazônia. Paulista de origem, para lá foi ainda bem jovem, mas jovem do que ainda o é, com espírito guerreiro, bem centrada nas questões da Amazônia,
    para ser Prefeita de Parauapebas, que está na base da Serra dos Carajás, onde existe a maior reserva mineral do mundo. V.Exa. bem retrata as operações que realizou, quando Prefeita, na área educacional, tendo recebido um merecido prêmio, porque intensificou ações, principalmente, no setor educacional. Foi uma excepcional gerente de toda a estrutura que o município, os serviços públicos e a sociedade demandavam naquele momento. É importante lembrar que V.Exa. questiona basicamente a gestão educacional, uma realidade não apenas do Pará, mas também do Brasil. Não é à toa que o Brasil está entre os países com pior qualidade de ensino da América Latina — pior que o ensino desenvolvido no Haiti. Na área de segurança, o Brasil deve ser o pior também. O mesmo ocorre na área de saneamento básico, na qual também não estamos longe de ser os piores da América Latina. O Brasil precisa, portanto, de gente guerreira, que se propõe a fazer deste País o Brasil que os brasileiros merecem. No Brasil tem muita gente acovardada, preguiçosa, incompetente. Não é possível que um País tão rico como este continue vendo o seu povo na miséria, enfrentando guerrilhas nos grandes centros — agora as guerrilhas estão chegando ao interior, não é, Deputada Bel? A Deputada Bel deve voltar à Prefeitura ou pelo menos ser candidata. Nós a queremos Deputada Federal. Portanto, deixem o Prefeito lá e que ela continue nesta Casa com o seu brilhantismo e a experiência que a notabilizaram, contribuindo para o Parlamento brasileiro, com a sensação de que temos de acordar o Brasil para olhar a Amazônia de forma diferente, como já o vê V.Exa., que é nossa parceira na criação do Estado de Carajás e simpática à criação do Estado de Tapajós. Todos sabemos que a revisão geopolítica da Amazônia é necessária para implantarmos políticas públicas capazes de alavancar o desenvolvimento da região, para não sermos apenas a reserva do Brasil. Reserva para quem? Temos de explorá-la de forma responsável, com planejamento estratégico, para que o povo brasileiro usufrua da riqueza extraordinária que a Amazônia representa, mas que apenas poucos conhecem. Só os Estados do Pará e do Amazonas representam 37% do território nacional, sem falar nas riquezas que temos naquela região, mas temos carências que só serão superadas com a criação de novas unidades territoriais, para que tenhamos a presença do Estado naquela região. Parabéns e um grande abraço, Deputada Bel Mesquita! Estarei aqui para ouvir todo o seu pronunciamento.

  4. Anonymous

    2 de setembro de 2007 - 15:30 - 15:30
    Reply

    Hiroshy,

    A ex-prefeita de Parauapebas Bel Mesquita (PMDB-PA) está sendo um boa deputada federal. O que comprova a sua atuação foi o pronuncimaneto da mesma na última quinta-feria (30.08.07), no Grande Expediente e que tinha a duração de 15 (quinze) minutos e a mesma falou por mais de 24 (vinte e quatro minutos, pois foi aparteada por mais de quatro (4) deputados federais, entre eles Alcione Barbalho (PMDB-PA) e Geovanni Queiroz (PDT-PA), que disse na ocasião que a Câmera Federal poderia está perdendo uma grande deputada federal, pois Bel Mesquita, pode ser novamente aa partir de 1º de janeiro de 2009 a nova prefeita de Parauapebas, com a consagração da vitória que se aproxima em outubro de 2008. È só esperar para conferir.

  5. Roberto C. Limeira de Castro

    2 de setembro de 2007 - 02:04 - 2:04
    Reply

    Muito lúcidas, as palavras de parlamentar.
    A frase final resume bem a sua intervenção.
    Faltou apenas dizer, que nenhum desses fatores será implementado a contento, sem a auto-gestão das riquezas pelo próprio povo interessado.
    Com apenas poucas capitais sugando toda a riqueza produzida pelos Amazônidas, devolvendo muito pouco em troca, educação, cultura e conhecimento, que são apenas retro-alimentadores do desenvolvimento econômico, ficarão para sempre como quimeras.

  6. Lindolfo

    1 de setembro de 2007 - 23:32 - 23:32
    Reply

    Hiroshi,

    O governo da Bel foi excelente na educação, fez escola, taí o Darci-PT que não me deixa mentir…Aprendeu direitinho.

    O povo é que sofre! Tudo como d’antes, na casa de abrantes

  7. Anonymous

    1 de setembro de 2007 - 20:24 - 20:24
    Reply

    Grande professora Bel.
    Então tá.

  8. Anonymous

    1 de setembro de 2007 - 18:28 - 18:28
    Reply

    Faltou um item indispensável: retirar Darci da Cadeira.

  9. Anonymous

    1 de setembro de 2007 - 16:10 - 16:10
    Reply

    A Bel investiu muito em Educaçào durante o período em que ela ficou à frente da prefeitura de Parauapebas. Ele tem adoração pela área da capacitação e extensão do conhecimento.
    Não é supresa lr isso que foi publicado sobre ela.
    Regina do Carmo – Pebas

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *