Regime de Sarapatel

Publicado em 9 de janeiro de 2008

Plena quarta-feira, 9 horas (a tal fase 12:00 Pm), o poster levanta-se ´amarrado´ numa ressaca histórica. A noite foi longa. Nessa situação, somente sarapatel de bode com buchada de boi, na baiúca ambulante do Zezão, como tratamento eficaz.

Mais do que depressa, a barba, o banho, troca rápida de roupa. O dia ficou mais curto, acordando tarde assim. Pedindo por boas novas na Net, o blog espera atualização escassamente feita, nesse período, a demorar-se acabar, de mudança de Ano.

Rápido giro pela cidade e finalmente a baiúca de Zezão acostada próximo à rotatória da Verdes Mares, como sempre, cercado de clientes ávidos por guloseimas gordas e especialmente feita para que estica noturnamente. Ou seja, cerveja.

“De costas pra rua”, o poster toma assento e pede a primeira dose: buchada de boi, com Coca Zero providencialmente comprada na loja de conveniência do posto de gasolina próximo.

Zezão não vende refri. Oferece água bem gelada, de dar dor nos dentes, mas de origem suspeita. Provavelmente retirada de uma das torneiras da casa dele na noite anterior, e, no gelo, infalível para matar a sede de ressaqueiros. Descarto-a, com todo o respeito.

Segunda dose: um prato de sarapatel de bode, pra dar desfecho final à incontida fome de rameiro -, absorvendo sensação de bem estar orgânico. Ilusória, como toda sensação.

São 10:25. Promessa feita pela terceira vez em 2008: amanhã o poster inicia sua dieta radical para perder 8 kg.

Beijos a todos e até mais tarde.