Professora Edilza desabafa

Publicado em 10 de dezembro de 2010

Professora Edilza Fontes, em seu blog, revela que “conhece bem”  Dionísio Gonçalves – o antigo “professor Dionísio” dos movimentos reivindicatórios de professores, agora preso pela Polícia Federal.

A blogueira afirma, em um post dedicado ao detento, considerá-lo de  “péssima qualidade”.

A ilustre educadora pode ter seus motivos para fazer esse juízo de valor do moço encrencado.

Afinal, usando o prestígo de Edilza junto ao governo do Estado, logo no início do mandato de Ana Júlia, Dionísio mostrou as garras em Marabá  anunciando que bancaria a indicação da diretora da 4a URE, além da substitução de diretores de escolas em dezenas de municípios do Sul do Pará, como realmente conseguiu, deixando no chinelo políticos antigos do PT na região.

A nomeação da professora Irene Ribeiro para a 4a URE foi atribuída às articulações de Dionísio junto a então influente Diretora da Escola de Governo, Edilza Fontes.

O forte apadrinhamento de Edilza permitiu a Dionísio estabelecer tormentosa escala de confronto com a direção da DS de Marabá, tanto que a filiação dele agregado à tendência foi uma verdadeira guerra, envolvendo Fontes e o ex-Chefe da Casa Civil,  Charles Alcântara, abonador da ficha de filiação do rapaizola.

À época, a DS e o Partido dos Trabalhadores assinaram documento desmentindo nota que este poster publicara na coluna que escrevia no Diário do Pará, negando a filiação de Dionísio à legenda. Dia seguinte, Charles Alcantara desembarcou na cidade e bancou a filiação do moço.

Por diversas vezes, Dionísio Gonçalves foi visto percorrendo  o Sul do Pará ao lado da professora Edilza, articulando contatos políticos. Essa estreita ligação de ambos permitiu às línguas ferinas soltarem suas maldades acerca  da progressiva amizade.

Claro, às maldades de terceiros,  justíssimo  é desconsiderá-las, preservando respeito às afinidades pessoais de quem quer seja.

Lendo agora em seu blog o desabafo da respeitada educadora, instigou a curiosidade deste poster, saber o que realmente deve ter ocorrido para que Edilza Fontes atribua, agora, a Dionísio o conceito de “péssima qualidade” .

Para memorizar, alguns links abaixo de parte do que foi publicado aqui no blog, a respeito de Dionísio.

Havia muito tempo,  isto sim, o poster carrega  avaliação de péssima qualidade do que ele representava para Marabá  e, especificamente, para o setor educacional.

1- Dionísio derrotando a deputada Bernadete ten Caten na disputa pela direção da subsede do Sintep de Marabá;

2- Dionísio desmontando  a espinha dorsal do Partido dos Trabalhadores de Marabá. Aqui também.

3- Dionísio arquitetando candidaturas a prefeito de Marabá ou a deputado estadual;

4- Dionísio, primeiro-ministro no Sul do Pará;

5- Dionísio instalando crise atrás de crise, dentro do PT;

6-  Um freio de arrumação por parte do TCU dá um chega pra lá;

7- Dionísio vence a cana de braço com o PT, bancado por Edilza Fontes.

8- Dionísio desaparece de Marabá, assim de repente, e vira empresário além-mar.

————————

atualização às 10:35 (11/12)

A nomeação de Irene Ribeiro para a 4a Unidade Regional de Educação resultou de articulações da DS de Marabá, ainda sob de influência do ex-vereador Ademir Martins. Professor Dionísio, com apoio político de Ezilda Fontes, passou grande parte do tempo em que Irene esteve à frente da URE tentando destituí-la do cargo.

Não foi preciso.

Meses à frente, a própria Irene pediu demissão  alegando problemas de saúde.

Foi aí que entrou o candidato de Dionísio Gonçalves, conhecido como “JP”, para ocupar o lugar de Irene.

O diretor da 4a URE, “JP”,  indicado por Gonçalves, continua no cargo até hoje.