Hiroshi Bogéa On line

Preocupações preventivas

Free lancer do blog informa que a Companhia Vale do Rio Doce agregou mais cem vagões no trem cargueiro e também aumentou o volume de minério transportado pela Ferrovia Carajás. Com aumento da demanda, a preocupação da mineradora é com as pontes ao longo da estrada,
consideradas fatores limitantes no aumento da capacidade de transporte.
Na década de 80, as pontes foram construídas para suportar peso bem menor de carga transportada. A própria ponte rodoferroviária construída sobre o Tocantins é exemplo disso.
A informação é de que em dez dias deverão começar os trabalhos de avaliação das pontes por engenheiros da Vale. Não teria sido mais prudente a companhia avaliar aquelas estruturas antes de aumentar sua capacidade de transporte?

Post de 

5 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    30 de agosto de 2007 - 12:36 - 12:36
    Reply

    Anonimo (a) 8:51, minha honraria em tê-lo (a) aqui. Sem sua presença, o blog não existiria com a paixão com que é cuidado.
    Abraços.

  2. Anonymous

    30 de agosto de 2007 - 11:51 - 11:51
    Reply

    Caro Hiroshi, concordo com o anônimo acima qdo este diz q o anonimo defensor da CVRD deve ser um dos assessores da empresa. Acredito até q conheço a verdadeira identidade desse anônimo; melhor,dessa anônima!q por acaso tem contrato com a referida empresa. Devo confessar caro amigo q me divirto muito a cada visita ao seu blogger e ainda, adoro seus momentos de nostalgia poética. Bjos

  3. Anonymous

    29 de agosto de 2007 - 23:09 - 23:09
    Reply

    Entendo a paixão do anônimo acima pela CVRD. Deve ser um de seus inúmeros assessores ou assessoras . Mas, o fato é que a Vale erra sim e muito. Quando se ocupa de parte das terras indígenas e ao liberar algumas migalhas acha que faz trabalho social quando isso não é mais do que a obrigação dessa mineradora que tem lucros fabulosos e pouco faz pela região que responde por 40% de sua exploração mineral. A vale erra quando atrasa os benefícios e diz que o dinheiro já está na conta. A Vale erra quando usa de seus arapongas para controlar movimentos sociais e cada passo das comunidades indígenas e até a imprensa . Com o trem cargueiro não é diferente. Sendo a empresa que apregoa ser, deveria ter verificado a capacidade antes de colocar a carga nos trilhos.

  4. Anonymous

    29 de agosto de 2007 - 18:05 - 18:05
    Reply

    Uma empresa do porte da Vale do Rio Doce, senhor blogueiro, jamais cometeria abusos de não zelar pela seu próprio patrimônio. A Estrada de Ferro é vi aterial do organismo da mineradora.

  5. Anonymous

    29 de agosto de 2007 - 17:40 - 17:40
    Reply

    A CVRD já iniciou esse trabalho de vistoria das pontes da Estrada de Ferro. Aonde forem detectados problemas, e;e iniciará obras imediatamente.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *