Polícia fecha casa de jogos na Cidade Nova

Publicado em 12 de janeiro de 2013

 

 

603006_192905204188508_945309943_n

 

Operação comandada pelo Superintendente de Polícia Civil do Sudeste, Alberto Teixeira, estourou uma casa de jogos  que funcionava na Cidade Nova, denominada  Associação Carajás de Poker  Texas Holdem (foto).

Ação ocorreu na madrugada deste sábado, 12.

Há meses a polícia vem investigando a movimentação em torno da casa de jogos, com apoio do Ministério Público e do juiz César Lins.

Na avaliação das autoridades de Marabá, a casa Texas Hold´em  não passa de um centro de jogatina. “Só que o proprietário usa a denominação de casa de pôquer  para dissimular as ilegalidades que praticam no seu interior, inclusive com participação maciça de jovens da sociedade”, revela Alberto Teixeira.

Durante o fechamento da casa, a PC recolheu dezenas de equipamentos,  maletas com fichas, mesas, baralhos e quantidade expressiva de bebidas alcoólicas.

Poucas horas depois de apresentados à delegacia, o proprietário da casa, Jorlan da Silva Rodrigues, autodenominado presidente da ACPTH, e mais três pessoas, foram liberados pela delegada de plantão, Simone Felinto, que justificou sua decisão alegando não existir prática de crime na casa fechada.

Além de liberar Jorlan  da Silva Rodrigues, Simone determinou, também, a devolução de todo material apreendido.

Decisão da delegada causou mal estar dentro da Polícia Civil, e junto às autoridades judiciais.

Há rumores de que o superintendente de PC, Alberto Teixeira, teria representado Simone junto a Corregedoria de Polícia.

Ouvido agora há pouco pelo blog, o juiz Cesar Lins diz que “Judiciário, Ministério Público e a Polícia Civil estamos seguros de que a tal casa de pôquer não passa, na verdade, de um centro de jogatina e jogos de azar, atraindo jovens à sua prática, e tudo faremos para que a mesma não volte a funcionar”.

Jorlan  divulgou nota no perfil de seu facebook dando a sua versão do corrido, e garantindo aos frequentadores da casa que esta semana estará obtendo o alvará de funcionamento da casa.

Tentamos falar com a delegada Simone, mas seu celular não foi atendido.

A seguir, nota divulgado por Jorlan Rodrigues, que também é o responsável pelo site  Eigalera, dedicado aos baladeiros da cidade,

———————–

Jorlan Eigalera

há 8 horas

Presados Associados da ACPTH;

Hoje, por volta das 2h30 da manhã, uma MEGA OPERAÇÃO, liderada pelo Superintendente de Polícia de Marabá – Dr. Alberto Teixeira – composto pelas policias Militar, DMTU, DETRAN, Guarda Municipal e Exercito, deram uma batida na seda da Associação Carajás de Poker Texas Holdem. 
No ocorrido, sem mais perguntas, o Dr. Alberto determinou que todo material de POKER, taiz como MESAS, BARALHOS E MALETAS COM FICHAS, e mais as bebidas alcoólicas, taiz como Whiskys, Vodca e Refrigerantes fossem apreendidos e encaminhados à Delegacia de Policia da Folha 30.
Também foi encaminhado à delegacia, o Presidente da ACPTH, Sr. Jorlan da Silva Rodrigues, afim de prestar depoimento, mais 3 testemunhas.
Chegando, a Delegada de plantão constatou que o que estava sendo realizado no clube era somente o JOGO DE POKER, que já é legalizado no Brasil. 
Sendo assim, TODOS os objetos apreendidos foram devolvidos.

Todavia, como o clube/sede da ACPTH ainda não possui o Alvará de funcionamento da Prefeitura, o mesmo ficará fechado por toda essa semana, para que essa falha seja completamente sanada, e retorna em breve.

Juntamente com seus Advogados, a ACPTH está tomando todas as providências pertinentes à suas licenças afim de que este fato não volte a se repetir.

Sem mais, subscrevo.