Hiroshi Bogéa On line

PA-150 quase intrafegável, entre Marabá e Goianésia

Trechos da rodovia Pa-150, entre Marabá e Goianésia, estão em situação de risco e quase intrafegáveis.

Principalmente para veículos de chassis baixos, a deterioração da pavimentação asfáltica está causando batidas em descargas e até motores, quando os veículos cruzam as chamadas “ocorrências de camaleão”, que acontecem no sentido longitudinal da via.

Essas “ocorrências de camaleão” são decorrentes  da carga em excesso principalmente em locais de fresagem.

As fotos produzidas pelo blogueiro mostram trechos com afundamento, desagregação e recalques na pista, causados pela falta de conservação da rodovia.

Como a rodovia Pa-150 não possui balanças para controle do peso das transportadoras de cargas pesadas, acima do que pode suportar a estrada, os pesados investimentos feitos pelo governo do Estado na recuperação e abertura de acostamentos, de nada adiantaram.

E  o problema persistirá, caso a rodovia seja recuperada, outra vez, sem colocação de balanças.

O Pará é um dos raros estados do país a não possuir balanças rodoviária.

E a explicação que se tem para esse descuido com o controle de peso das rodovias paraenses é a pressão política que os grandes grupos empresariais do Estado submetem seus governantes.

Sem balanças na rodovia, de nada adiantará a manutenção da Pa-150 de forma mais efetiva e frequente.

Post de 

3 Comentários

  1. izaltino de barros

    3 de abril de 2017 - 15:29 - 15:29
    Reply

    Esta pa esta intrafegável estive em Belém nesse final de semana e no meu retorno a 6 km da Cidade de Jacundá. Meu veiculo caiu em um destes burracos perdi um pneu e a roda ficarão sem condições de recuperação. No momento em que trocava o pneu. mais dois veículos também tiveram o mesmo prejuízo lamentável que uma rodovia que tem levado tanta riqueza para a capital o sul e sudeste seja tão esquecida. Pelos vários políticos de nossa região mas acho que eles não conhecem as nossas estradas e o valor de uma vida pois minha opinião esta rodovia e uma roleta russa para nos cidadãos.

  2. Antonio Moreira

    3 de abril de 2017 - 15:17 - 15:17
    Reply

    Os caminhões que trafegam na PA 150 são os mesmos que passam pelo trecho da rodovia federal entre Marabá e Morada Nova, este trecho da rodovia federal, está cheio de buraco mas não esta afundando
    igual a PA 150, não é só excesso de peso na PA 150, é também resultado do péssimo serviço que foi feito pelas construtoras, finalizado apenas ha 3 anos.

    • Willy Peixoto

      7 de abril de 2017 - 17:50 - 17:50
      Reply

      Nao se esqueca que o trecho entre morara nova e maraba a historicamente nao tem solucao, ja se passaram inumeras empresas e todo ano é preciso nova intervençao. Além do mais, o mesmo foi restaurado junto com a PA150, no mesmo ano, e depois disso ja sofreu mais duas reformas completas, a PA150 não. O afundamento neste trecho espeficifico pode ser em funcao dos aterros que foram feitos a decadas atras sem nenhum tipo de controle. A obra naquela epoca foi feita de qualquer maneira apenas para dar acesso a hidroeletrica de tucurui, portanto, nao acuse ninguem sem antes se atentar aos fatos, você não é o dono da verdade, muito menos eu. A unica coisa que se pode afirmar no momento é que nessas rodovias passa até 3x o peso que elas foram dinensionaras para suportar. Experimente colocar na laje de um prédio 3x o peso que ela foi projetara.. Não tenha dúvida que o predio vai cair, da mesma forma funcionam as estradas

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *