Obra Kolping pode ser fechada por falta de apoio

Publicado em 26 de abril de 2012

 

 

Totalmente distanciada  das verdadeiras demandas que afligem a população, a Câmara Municipal de Marabá é incapaz de sensibilizar-se diante de situações que desestruturam milhares de pais de famílias esperançosos de  um dia verem seus filhos completando cursos profissionalizantes capazes de os qualificarem a bons empregos.

A Câmara Municipal de Marabá é incapaz de segurar  bandeiras verdadeiramente identificadas com as carências de populações desassistidas, como aliar-se à Obra Kolping do Brasíl no sentido de pressionar os governos a firmarem convênios capazes de manter vivos os cursos oferecidos naquela instituição.

A Obra Kolping passa por sérias dificuldades, correndo o risco de riscar de seu calendário de formação profissional dezenas de cursos.

Este mês, a energeia elétrica da sede da Obra Kolping está ameaçada de corte, por falta de pagamento, enquanto a folha salarial de março de seus colaboradores ainda não foi quitada.

Preocupado com o quadro turvo que se apresenta, Andréia Rodrigues de Souza Moura, Coordenadora Geral  da instituição, enviou carta aos vereadores de Marabá, chamando-os à responsabilidade, já que o Executivo não cumpre com seu papel de indutor das parcerias realmente vocacionadas à formação educacional do povo de Marabá.

Teor do documento foi enviado ao blog, esta tarde, por uma vereadora que se mostra preocupada com o futuro da Obra Kolping, entidade que  qualifica mais de quatro mil jovens, anualmente.

Além de ser uma narrativa dramática da vida da entidade, texto  é um desabafo ardoroso de uma pessoa que se dedica de coração, há vários anos, à formação profissional de jovens da região, sempre defendendo as cores e a seriedade da instituição fundada por padres italianos.

Leiam o que diz a coordenadora da Kolping.

 

Senhores Vereadores:

A Obra Kolping do Brasil é conhecida nesta cidade como escola profissionalizante que mais insere jovens no mercado de trabalho, através de seus programas de jovens aprendizes e qualificação profissional. Nos últimos 2 anos este Centro profissionalizou com o Programa da VALE/ALPA mais de 5 mil pessoas e quase 3 mil dos Programas de Capacitação de jovens aprendizes e qualificação profissional de jovens com recursos próprios.

A Obra Kolping nestes 22 anos de atuação tem cumprido sua missão como Instituição filantrópica sem fins lucrativos.
Este ano, temos quase 900 jovens nos dois programas, de capacitação de jovens aprendiz e qualificação profissional de jovens. Mas até o momento não conseguimos nenhum convênio para a sustentação deste Centro. Será que o estado e a prefeitura não estão vendo está situação! Ora! É preciso saber que esta responsabilidade também cabe ao município e ao estado.  Isso chama-se, dever e compromisso  social.

A nossa cidade é referência mundial de violência principalmente com a juventude. O sonho dos nossos educadores é também o sonho desta gente; que nossa cidade seja de referência; um polo de trabalho e de mudanças; de força viva de transformação onde os jovens possam ter acesso a educação e aprendizagem profissional, para que amanhã suas famílias possam   olhar para o universo  e sentir  o gosto para a vida, para os filhos que crescem, para o crescimento da cidade e  para os empreendimentos de forma honesta e solidária.

Basta! Tanta miséria e sofrimento espalhada no rosto de tantas famílias que perderam seus filhos pela violência e por não ter oportunidades educacionais.
Não queremos uma cidade que seja um polo de violência e marginalização. Portanto Srs. Políticos é a hora de fazer parcerias e honrar compromissos.

Hoje são quase 900 jovens e estamos levando este fardo só, sem nenhum convênio financeiro, será que é possível uma parceria!

Agora, são 10 horas da manhã, temos até 12:00 para pagar a energia e quitar a folha de pagamento do mês passado e não temos um real, será que esta angustia não terá fim!

Este é um clamor da família Kolping CPPA – MARABÁ.

O nosso ginásio està a disposição para que as empresas interessadas possam locar.

Contamos com o apoio deste legislativo.

Atenciosamente,

Andréia Rodrigues de Souza Moura
Coordenadora Geral – CPPA