O que disse Almir Gabriel

Publicado em 22 de dezembro de 2009

Com insistência, o blog conseguiu apurar o que foi tratado na conversa de Almir Gabriel com os deputados do PPS, Arnaldo Jordy e João Salame.

Amiga do ex-governador pelo PSDB, a fonte decidiu revelar ao pôster alguns detalhes do encontro para o público saber que Almir não abandonou a política – “e que estará firme e forte influenciando a eleição de 2010, no Pará” .

Trocando em miúdos:

Terceira Via
O ex-governador paraense já está trabalhando para encontar uma candidatura capaz de enfrentar Ana Júlia (PT) e Simão Jatene (PSDB).

Com quem conversar

Almir Gabriel deixou a entender aceitar conversar até com Jader Barbalho, desde que este não pleiteie candidatura ao governo do Estado. Incluir o PMDB numa composição em que Jader seja candidato ao Senado, não haverá nenhum problema.

Candidatura de Tião

Gabriel disse nada ter contra a pré-candidatura de Tião Miranda, pelo PTB, mas considera o ex-prefeito de Marabá inexperiente ainda para disputar o governo estadual.

Simpatias

Ficou claramente explícito haver da parte de Almir Gabriel dois nomes que ele apoiaria abertamente para governador, inclusive, transformando-se em soldado à cata de votos para um deles: Anivaldo Vale (PR) e Valéria Pires Franco (DEM).

Conspiração a caminho

Esclarecendo de vez a tal expressão “Vale do Rio Amargo” que ele cunhou na carta divulgada pelo Diário do Pará comunicando seu desligamento do PSDB, Almir Gabriel disse aos dois interlocutores, com todas as letras, segundo a segura fonte, haver um movimento conspiratório contra os interesses do Pará comandados pela Vale S.A e pelo hoje desafeto Simão Jatene.

Futuro partidário

Já quase no final do papo com o ex-governador, Arnaldo Jordy convidou-o a ingressar no PPS.

Neste momento, Almir levantou-se da cadeira e começou a falar alto, alegremente satisfeito:

Eu achava que não seria convidado, eu achava. Agradeço demais o convite, vamos conversar mais.