Na festa do Centenário, a esperança reacesa

Publicado em 16 de abril de 2013

 

 

 

Foto sem identificação de sua autoria
Foto sem identificação de sua autoria

 

Aniversário

A primeira programação do Centenário de Marabá (ainda serão realizadas outras, até final de 2013) se traduziu num importante incentivo para a elevação da autoestima da população.

Essa constatação está registrada nas redes sociais.

Levantamento feito pela equipe do blog mostra que,  de 30 de março a 10 de abril, período no qual a Secretaria de Cultura  do município promoveu  a programação inicial do Centenário, ocorreram 834  citações, com postagens em perfis  compartilhados e retuitados.

Nesse  total não estão inclusas manifestações postadas nos três perfis que o prefeito João Salame mantém no Facebook.

Das 835 citações  comentando os  shows realizados,  821 foram de elogios ao evento, modo geral.

O restante, 14 posts, com criticas ao prefeito Salame.

Esses números são referentes apenas a perfis acessados pela equipe do blog – sem falar naqueles  neutralizados por  não autorização de amizade – o que pode chegar a mais de 200, conforme estimam os pesquisadores, baseados em toques de “Curti” verificados durante a pesquisa.

O recall estabelecido nas redes sociais demonstra o quanto a programação marcou positivamente o espírito da cidade, degradado nos últimos quatro anos, à mercê de uma  administração eivada de irregularidades e contradições.

hiran-bichara

Ao saudar a população, dia 30 de março, antes da apresentação de Zeca Baleiro, o prefeito de Marabá pediu a todos que brincassem em paz, sem provocar incidentes,”com o coração voltado à reconstrução deste município, tão castigados nos últimos quatro anos”.

A contextualização do discurso de Salame focava esforços para unir  a cidade em torno do Centenário.

“Nós precisamos, com esses shows, propor um engajamento de atitudes, consolidar a esperança no peito de cada marabaense. Se a gente não conseguir isso, realçar o brilho nos olhos de nossos moradores, as  dificuldades serão bem maiores na luta que travamos para a reconstrução do município”, disse Salame,  dias antes, numa reunião com secretários, ao pedir o empenho de todos em apoio ao secretário Cláudio Feitosa, executor de toda a programação.

joaninha

 

Resultado: durante os  sete shows nacionais (Zeca Baleiro, Milla Carvalho, André Valadão, César Menotti e Fabiano, Djavan, Zeca Pagodinho), além de shows com artistas regionais, promovidos em duas praças, no período de onze dias, não se registrou um incidente sequer. As praças receberam, ao todo, quase 80 mil pessoas, na soma de público de todos os shows.

Apesar da multidão,o  povo brincou, cantou, curtiu seus ídolos, num contagiante clima de alegria, sem haver nem mesmo discussão entre os participantes.

JOAO-E-MANOEL

Detalhe: em todas as noites de shows, Salame foi recebido carinhosamente pelo público, numa demonstração de apoio aos esforços desenvolvidos pela prefeitura visando oferecer eventos de qualidade, e com baixíssimo valor final para os cofres da prefeitura.

É sempre bom lembrar:   85% dos custos de toda programação foram abonados por empresários  locais e regionais.

Para se ter ideia da economia que o município realizou, mantendo forte parceria com o setor privado, os investimentos do poder público passaram pouco mais de R$ 100 mil, o mesmo valor empregado na programação de carnaval.

 

militao

Organização e competência

Louve-se, o extraordinário trabalho do secretário Cláudio Feitosa.

Desde quando recebeu a responsabilidade do prefeito, ainda em janeiro, para organizar a programação do Centenário à altura  da grandeza do município, o auxiliar de Salame procurou estreitar boa articulação com as demais secretarias, sugeriu,  à avaliação do  prefeito, qualificada lista de artistas nacionais, além de se preocupar em interagir a programação com os artistas regionais.

Sem a presença das “pratas da casa”, não se justificaria a programação, dizia.

 

Pai e Mãe

Feitosa geriu uma estrutura de dimensão imensurável, ao dedicar-se, também, paralelamente à organização dos shows, ao trabalho de criar peças publicitárias alusivas à campanha do Centenário, e, seguindo orientação do prefeito, valorizar personagens antigos que ajudaram a construir Marabá.

A formação de uma comissão especial para selecionar pessoas antigas, ainda vivas, vivendo no ostracismo, para o recebimento de homenagens do Município, contribuiu também para que não se cometessem injustiças.

Claro, nem todos representantes de famílias antigas puderam ainda ser homenageados, mas a prefeitura pretende realçar esse reconhecimento ainda este ano, àqueles não inclusos na lista inicial.

Cláudio pedia aos integrantes da comissão que vasculhassem o que pudessem, os quatro cantos da cidade, em busca  de marabaenses esquecidos.

seu-edesio

Resultado foi que, ao final de muito trabalho, Feitosa e sua equipe colocaram nas ruas uma das mais belas campanhas de valorização do ser humano,

A prefeitura mostrou que as famílias marabaenses têm um lugar especial na textualização honesta de nossa História.

O prefeito e sua equipe beijaram simbolicamente cada uma das pessoas,  em forma de agradecimento,  publicando banners e outdoors, com frases plasticamente adequadas à vida de luta de cada  personagem -, como “seu” Militão, Sabá do Wilson , Hiran Bichara,  casal Edésio Martins de Souza e Diolinda dos Reis Martins, João Pedro Dias e Manoel Dias (pilotos de barco nos tempos da castanha-do-pará), Maria Silva Cunha, a lavadeira Maria de Lourdes Carneiro Portela, de 98 anos, que lavou roupa para o ex-prefeito José Cursino de Azevedo, Antônia Furtado de Castro (Tuquinha, do Cabelo Seco), o desportista Pedro Paixão, Antônio Pereira Amoury (Cuiú), casal João e Loures Bogéa, Yule Oliveira (filho do saudoso Zinho Oliveira) , entre uma lista de cem personalidades.

pedro-paixao

Em cada peça da campanha, o governo dedicou afeto, carinho,  reconhecimento e gratidão, aos filhos ilustres, ainda vivos,  participantes ativos do processo de construção da cidade.

Pessoas antigas que nunca deixaram seu torrão, dedicando ao trabalho travado, em tempos idos, para que Marabá chegasse ao estágio em que se encontra – muito distante ainda, é verdade,   de uma cidade justa e  efetivamente estruturada para oferecer dignidade aos seus moradores,  mas um lugar onde as oportunidades brotam a cada dia, bastando ao cidadão querer um lugar ao sol.

A festa do Centenário colocou em ignição o motor da esperança, da certeza de que Marabá  será reconstruída nos próximos anos com o calor, a paixão e a honestidade de sua gente.

 

zinho-oliveira

 

———————

Atualização às 14:27 (16 de abril)

 

No  portal da Prefeitura de Marabá, mais peças da campanha do Centenário, homenageando antigos moradores da cidade.