Hiroshi Bogéa On line

Músico atormenta moradores há mais de vinte anos ensaiando banda até alta madrugada

 

O problema é antigo.

A falta de autoridade das autoridades, mais ainda.

Há mais de vinte anos, os moradores da Folha 27, na Nova Marabá, enfrentam o tormento de ter que suportar  ensaios de uma banda do músico Felismar Rodrigues, pessoa muito conhecida do público  marabaense, e que não demonstra o menor pudor diante do desconforto alheio.

E não tem Secretaria de Meio Ambiente. E não tem polícia; e não aparece viva alma investida em cargo público capaz de dar um basta no crime ambiental praticado pelo moço.

Abaixo-assinado enviado ao blog por quinze famílias residentes no entorno da casa do músico relatam o drama vivido pela população da quadra.

Repórter do blog, depois de receber o documento com assinaturas dos moradores, esteve no local conversando com a população.

Conforme dito acima, o  problema perdura por inacreditáveis 20 anos.

Nesse período, os moradores já recorreram a todos os órgãos competentes possíveis,  ligaram inúmeras vezes para Semma, disque denúncia, disque emergência, e além das ligações já foram pessoalmente formalizar a denúncia na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, mas nunca receberam, sequer, promessas de solução para o caso.

“A situação é bem complicada, pois a banda não tem horário disciplinado, ensaiando até de madrugada, e piora ainda mais quando se aproxima eventos como aniversário da cidade e carnaval, onde os ensaios passam a ser diários”, conta um dos moradores.

O espaço em que a banda ensaia é uma garagem, e fica ao fundo da casa de Felismar – como mostra a foto abaixo.

Barulho 27

Em umas das vezes que os moradores procuraram o músico,  ele garantiu que resolveria a questão, já que estaria construindo um espaço adequado para os ensaios.

“Esse local realmente estava sendo construído, no entanto, a obra está parada há aproximadamente três anos”, revela outro morador, ao lado de sua esposa.

“O músico tem vários instrumentos, e equipamentos como caixa de som, que ele chega a alugar, o que resulta em outro problema, pois quando os equipamentos são alugados o caminhão que faz o transporte chega entre  4h  e  5h  da manhã, fazendo muito barulho”, revela a senhora.

Além do barulho dos ensaios e do caminhão, os moradores relatam ainda o incomodo causado pelos cinco cães de Felismar, que começam a latir e uivar às 7h ,  acordando a todos.

Verdadeiro pandemônio,  a quadra onde o músico reside – sem que ele demonstre o mínimo de sensibilidade para atenuar os desconfortos que causa aos seus vizinhos.

“A gente não está fazendo uma denúncia, a gente está pedindo socorro. Ele   ensaia dentro do meu quarto, que fica colado à parede do imóvel dele. Não queremos que ele pare, queremos apenas que ele encontre um lugar adequado para os ensaios. Ainda tem os cachorros que latem e incomodam muito. Aqui em casa tentamos acalmá-los chacoalhando alguns grãos de feijão dentro de uma garrafa pet”, conta outra entrevistada, clamando por ajuda do poder público.

“Se a gente mora numa cidade que tem seus agentes públicos eleitos pela população, e não podemos contar com sua presença na hora das dificuldades, como acreditar em cidadania, em respeito aos direitos, se as autoridades não fazem valer o poder  de colocar ordem na casa?”, indaga um senhor de meia idade, residente em frente a casa do músico

“Já fizemos um abaixo assinado uma vez e tiramos outro que incomodava também, mas ele (Felismar) não tem como, ele não mora de aluguel. Se o barulho incomoda do outro lado da rua, imagina quem mora ao lado”,  conta outro morador.

“Não dá para trabalhar em casa, não tem como se concentrar, eles não têm dia e nem horário. A repetição incomoda muito, se fosse pelo menos outras músicas, um repertório variado. Pelo tempo que tem já era para ter um lugar adequado, não é profissional, se fosse já teria uma sala acústica. Me disseram que ele tem um conhecido na Semma, talvez é por isso que eles nunca resolvem nada”, fulmina um rapaz três casas após o imóvel do músico.

“É um vizinho complicado não adianta nem reclamar, se acha o dono da razão. O barulho incomoda muito, é chato. Agora que está chegando o carnaval é que vamos sofrer, se ele tivesse um lugar onde ensaiasse e não saísse o som, ninguém se importava”,  sugere outra moradora, referindo-se ao recurso de isolamento acústico usado por todo músico que ensaia em áreas residenciais.

Repórter percorreu a quadra onde mora Felismar, ouvindo todos os residentes, com o pedido de anonimato.

“Esse rapaz é cheio de razão, às vezes demonstra até certa postura de ameaças, e nós não queremos confusão com ninguém, apenas paz em nossos lares, o que não temos aqui, há mais de duas décadas”, explica um comerciante residente próximo ao local.

 

Casa do músico: na parte superior,  espaço que seria destinado a  ensaios: construção parada.
Casa do músico: na parte superior, espaço que seria destinado a ensaios: construção parada.

 

A partir deste post, o blog estará ouvindo, semanalmente, os moradores da Folha 27 , no entorno da Quadra  15 ,  onde encontra-se o prédio do músico.  (Quadra  15 Lote 6)

Caso o problema não seja resolvido definitivamente, o próprio blog entrará com uma denúncia no Ministério Público, além de  cobrar, a cada início de semana, com posts contundentes, ação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

O que não pode – não pode mesmo! -, é a população  (idosos, senhores de meia idade, jovens, crianças e bebês) ficar sofrendo o desconforto de não  tem uma vida de qualidade em face da  insensibilidade de um cidadão que, marabaense da gema, deveria dar exemplo, evitando esse tipo de situação. 

Post de 

15 Comentários

  1. Ione

    14 de janeiro de 2014 - 20:20 - 20:20
    Reply

    Realmente é uma pena e uma enorme falta de respeito ver esse tipo de cometários a respeito de uma pessoa idonea como Sr. Felismar, Certamente são pessoas muito recalcadas e desocupadas que nutrem muita inveja. Mas o bem com certeza vai prevalecer.Força Sr. Felismar e pode contar com a gente.

  2. anomimo

    11 de janeiro de 2014 - 11:06 - 11:06
    Reply

    É fácil sentar a bunda na cadeira é falar mal da Semma, mas não sabe que lá tem um departamento com seis fiscais é uma viatura quase caindo os pedaços para: fiscalizarem enumeras atividades que foram licenciadas e seus responsáveis não respeitaram as normas ambientais; fazer fiscalização da piracema onde se encontram um bando de pescadores incompreensíveis,é esta bendita poluição sonora que é um inferno. Eles só são fiscais, não policiais! Saibam que este é o pior cargo que existe nesta prefeitura, ninguém diz que eles são ameaçados e xingados de todas as formas que se pensam.

  3. Paulinho Velha Marabá

    10 de janeiro de 2014 - 14:19 - 14:19
    Reply

    Hiroshi, fico triste ao ler uma matéria como essa, em se tratando de uma figura folclorica da noite marabaense, que tantas alegrias dá a todos que dividem os espaços de nossas casa noturna. Ví, na foto na parte superior da humilde residencia desse coboclo simples do cabelo sêco, bairro de consagrados artistas, local que ele pretende tranformar em um modesto stúdio. Força, Felismar, que Deus te ajude a construir tem sonho.

    • 13 de janeiro de 2014 - 12:11 - 12:11
      Reply

      Paulinho Velha Marabá, legal seu comentário, porém, vale lembrar que o Felismar também nos remete à um passado não muito longínquos, quando, com seu violão(eterno companheiro), nos proporcionava momentos belos, acompanhando nas manhãs de domingo as celebrações matinais na Igreja de São Felix. Desejo a ele muita força, e que nosso querido Padroeiro lhe abençoe.

      • Hiroshi Bogéa

        13 de janeiro de 2014 - 12:48 - 12:48
        Reply

        Jô e Paulinho da Velha Marabá, muito bem lembrado, o passado do Felismar, como pessoa de bem, ligado a música e filho de pioneiros. Mas isso, com toda certeza, não lhe dá salvo conduto para aporrinhar a vida de quem mora no quarteirão da casa dele. O correto é ele preparar um local adequado para seus ensaios, sem causar poluição sonora nem desconforto a ninguém. O resto é perfumaria.

  4. mdclimeira

    9 de janeiro de 2014 - 19:34 - 19:34
    Reply

    O prefeito num ta nem ai pra esse problema de poluição não gente o povo da santa rosa que diga, La na beira do rio, desde quando começou o mandato dele que é a mesma coisa, barulho, barulho e a prefeitura nada faz. Ei prefeito acorda e bota teu povo pra trabalhar

  5. Antonio Carlos Pereira Santos

    9 de janeiro de 2014 - 19:19 - 19:19
    Reply

    Sr. Hiroshi, realmente a SEMMA parece inoperante. Durante as madrugadas e principalmente fins de semana(sábado/domingo) há uma legião de “abusados” que circulam pela Marabá Pioneira, com som automotivo nas alturas, às vezes até acordando vários moradores. A SEMMA responsável pelo caso não tem plantão noturno e a PM com as viaturas e policiais que circulam e veêm e ouvem a barulheira se mostram insensíveis ao fato, parecendo que não é com eles também. Tamos ferrados. Em 09.01.14, Mba.-PA.

  6. anoninmo

    9 de janeiro de 2014 - 18:59 - 18:59
    Reply

    É porque não tem um doidao como eu para acabar com essa mulecage. A se eu morasse perto da casa desse musico já tinha levado muita porrada. Comigo é no cacete, não tem negocio de chamar policia nem secretario de prefeitura qee so querem saber de ganhar o dinheiro e a gente que se foda

    • anonimo

      9 de janeiro de 2014 - 20:18 - 20:18
      Reply

      Vou ti trazer aqui na Vila São José, aqui é um inferno dia de sexta/ sabado e domingo … Aqui o cão chupa manga e ainda rir da cara dos cidadãos de bens!

  7. comflechafere

    9 de janeiro de 2014 - 17:45 - 17:45
    Reply

    Esse felimar é muito bossal pensa que é artista de globo. Tem dia que ele passa pela gente e fecha a cara, parece que so vive zangado e devendo deus e o mundo.

  8. raimundo ribeiro

    9 de janeiro de 2014 - 17:39 - 17:39
    Reply

    Porque o povo da 27 nao chama a policia, esperar por essa prefeitura e esse secretario, nao resolve. o diabo é saber se a policia tb tem coragem de ir la acabar com o barulho

    • Maria

      9 de janeiro de 2014 - 20:15 - 20:15
      Reply

      A polícia joga para a Semma e lá nunca atende e quando atende tá sem viatura.

  9. Rococ[o

    9 de janeiro de 2014 - 17:37 - 17:37
    Reply

    O prefeito de Maraba deveria se ligar mais nesse poblema de poluição sonora na cidade. Ele nao sabe que tem um secretário de Meio Ambiente que nao move uma palha para resolver os barulhos. e ainda fica dando entrevista dizendo que para penalizar algum infrator é perciso medir o decibeis em fragrante. Isso é desculpa de quem nao quer agir, chegar para acabar com o problema. EI JOAO SALAME mostra quem manda nesse governo, hommem. A coisa ta feia. Esse negocio ai da Fiolha 27 isso é uma vergonha um musico antigo da cidade ficar perturbando o povo ate quase de manha. Vergonha

  10. Anonimo

    9 de janeiro de 2014 - 16:47 - 16:47
    Reply

    Ja falei varias vezes eu vou repetir, essa SEMMA FALIDA e PM PROPINA não funciona nessa cidade, se eu fosse prefeito ja tinha exonerado esse secretario de meio ambiente… Nada contra a pessoa, mas contra o trabalho que é péssimo… Nos quatros cantos da cidade estamos vivendo essa situação e ninguém faz nada … Alô prefeitão vamos colacar a GM junto com a SEMMA pre ver se melhora… Vamos agir jovem, pois a coisa ta feia! Abs

  11. Leila

    9 de janeiro de 2014 - 14:59 - 14:59
    Reply

    Obrigada pela reportagem com um exclaressimento total ,parabéns pelo profissionalismo meus aplausos e de minha familia serão reverençiados de pé a voçês.OBRIGADA

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *