Hiroshi Bogéa On line

MST invade reserva natural

Do jeito pintado não tem siderúrgica capaz de concluir seus projetos de reflorestamento.
Área de 4.000 hectares da Cosipar, na chamada região do Centrão, a 20 km de Marabá, acaba de ser invadida por um subgrupo de guerrilha do MST. O blogger viu com os olhos que um dia a terra, sem dono, há de comer. Viu de perto e ficou revoltado.

Um belo canteiro de árvores plantadas para atender a produção de carvão vegetal da usina de ferro gusa mais antiga do Pará, começará a ser jogada ao chão ao som de motosserras e da raivosa proteção dos leões-de-chácara do Movimento dos Sem-Terra.

Os coordenadores da invasão da Fazenda Peruano escalaram um comboio precursor de mal encarados jagunços e bandoleiros para fazer o batismo de fogo da área tomada de assalto.
Dá pena, muita pena, ver tantos anos de plantio e esforços jogados ao leu. Sem folhas de papel para registrar o crime.

Detalhe: não invadiram tão-somente a área de 600 alqueires de eucalipto da Pioneira. Os criminosos adentraram também a RPPN (Reserva Particular de Patrimônio Natural) da Cosipar, não deixando folha sobre folha.
A RPPN, para quem não sabe, é uma reserva doada por particulares ao governo federal com objetivo de ampliar as áreas preservadas no país.
Quando o MST deixa.

Post de 

4 Comentários

  1. Anonymous

    24 de dezembro de 2007 - 15:13 - 15:13
    Reply

    Absurdo as posturas raivosas impostas pelo MSTnos últimos tempo, não se contentam em fazer qualquer tipo de diálogo se não for o da dita PAUTA imposta por eles. Sou petista e não concordo com estas posturas.

  2. Hiroshi Bogéa

    23 de dezembro de 2007 - 19:49 - 19:49
    Reply

    O certo é que a Cosipar está numa encruzilhada. Se não houver no meio disso aí alguem que apareça com missão conciliadora, a emprsea fecha, sim.

    Abs

  3. Anonymous

    22 de dezembro de 2007 - 23:45 - 23:45
    Reply

    hiroshi, parece coisa concatenada: a cosipar levando pau e o pessoal invadindo suas terras…isto é, seus plantios, como se para dizer que não dá prá ter carvão vegetal tão cedo e assim continuar como estám – ou jogar a culpa no estado que não controla seus asseclas – ou será que decidiram de vez destruir a empresa, porrada em cima e embaixo?

  4. um amigo

    22 de dezembro de 2007 - 22:31 - 22:31
    Reply

    Essa é a turma do PT.

    O presidente e a governadora apoiam.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *