Hiroshi Bogéa On line

Mais de mil pessoas na Câmara Municipal

 

Não havia espaço para estacionamento de veículo em grande extensão das duas pistas da rodovia Transamazônica, próximo a Câmara Municipal de Marabá.

No interior da Agrópolis, onde fica a sede do Incra, também lotada de carros.

Quem teve disposição para enfrentar distâncias até chegar a Câmara, foi obrigado a colocar o carro na parte superior do bairro Cidade Nova, próximo ao acesso a av. Nagib Mutran. Muito distante.

Quando o poster chegou  para entrar no prédio do legislativo, a onda de gente impediu. Por mais tentasse, não deu.

O jeito foi dar meia volta e retornar para casa.

Cálculo levantado pelo blog, analisando apenas o número de veículos estacionados que nos dedicamos a contar passando de carro pelas  vias, pelo menos oitocentas pessoas, sem considerar o público que se dirigiu ao local pegando carona,  ou outro meio de transporte.

Por baixo, mais de mil pessoas se acotovelavam na CM.

Lá dentro, o publicitário Duda Mendonça apresentava formato da campanha publicitária para o plesbiscito.

————————–

Atualização às 12:00

De Agenor Garcia, da

Assessoria de Comunicação da Comissão Municipal Pró Carajás:

 

Câmara lotada para o lançamento da campanha pelo sim. Surpresa mesmo, foi uma das estratégias levantada por Duda, apresentada em um dos banner’s. Nele, a mensagem para ser levada para tres estados e não dois. Para o Novo Pará, Tapajós e Carajás, com um eixo bem definido: nada de confronto, tudo pela demonstração de que, as emancipações serão benéficas para todos. Para Duda, é mais producente demonstrar para a região norte nordeste do Pará, que a criação dos novos estados, permitirá a abertura de um grande leque de investimentos em regiões atrasadas do Pará pelo simples fato de que o governo atual não consegue atender demandas tão diferentes como as apresentadas por Vizeu, no extremo nordeste e Santa Maria das Barreiras, no extremo sul, por exemplo. Que dirá as demandas de Castelo dos Sonhos, Placas, Jacareacanga, Itaituba e outras comunidades num extremo e de outro Chaves, Afuá, Breves, Porto de Moz, Senador Porfírio, de outro. Hoje somos um continente, quem sabe amanhã, novas unidades federativas com possibilidade de boas administrações. Quem viver, verá.

Post de 

4 Comentários

  1. ocidenes soares leal

    25 de julho de 2011 - 18:03 - 18:03
    Reply

    olha meu amigo gostei da reporter ANA CELIA, nos do sul do para não temos o previlegio mesmo de andar em estradas boas, estudar em escolas boas, saude de qualidadeso os de Belem que tem esse previlegio, essa historia de dizer que belem vai perder com a divisão e conversa mole, A ANA CELIA esta com toda razão Ana daqui a 05 anos voce vai ver a diferença que esta essa região e a região de belem nos so temos que agradecer a quem esta a favor da divisão, olha eu moro em maraba ha 31 anos nunca vi nada de desenvolvimento nessa região. Chamamos os veriadores de belem para passear em nossa região, mas pra vir todos de carros so assim vão ver o abodono dessa região. eles nem conhecem o sul do pará.

  2. Reginaldo Ramos

    22 de julho de 2011 - 13:54 - 13:54
    Reply

    Grande Bogéa

    Sou do Pará que remanescerá menor e melhor.

    Nasci e moro por estas bandas. Sou plenamente favorável ao redesenho geográfico.

    Não tenho dúvidas que os três novos estados ganharão com isso.

    Eu preciso de alguns dados, caso tenhas.

    Gostaria que me fornecesse algum estudo de economista ou financista público que indique qual será o montante de orçamento dos três novos estados, logo em seguida ao redesenho(divisão) , em comparação com o orçamento do Pará, agora.

    Quero isso porque tenho quase certeza que haverá, de imediato, ampliação desse montante, na hipótese de divisão, por diminuição ( redistribuição no repasse da União para os estados) da cota dos demais estados ( sul, sudeste e nordeste).

    Ou seja, os valores públicos per capta dos moradores dos três novos estados aumentará no dia seguinte.

    Não é atoa que a Folha e outros jornais de grande circulação estão antecipando campanha contra a divisão.

    Divulgue meu blog criado com a intenção de convencer meus colegas daqui da região metropolitana de Belém e nordeste do Pará

    http://maiorparamelhor.blogspot.com/

    Um grande abraço, e viva os três novos estados!!!!

  3. Bressan

    22 de julho de 2011 - 12:43 - 12:43
    Reply

    Destacamos com alegria que o Deputado Federal Zé Geraldo do PT é a favor do ordenamento territorial para criação de novos Estados no Pará e na Amazônia. Nesta quinta-feira (21/07/2011), participou em Belém, Santarém e Marabá do lançamento da frente parlamentar em defesa dos Estados do Tapajós e Carajás. Os mandatos da Deputada Estadual Bernadete e deputado Federal Zé Geraldo dedicarão a maior parte de seu tempo de suas agendas no debate pela defesa de novas unidades federativas. No próximo dia 13 de agosto estaremos realizando uma grande plenária regional do PT, em Marabá, com prefeitos, vereadores e deputados. A pauta é o empenho integral na defesa dos novos estados do Carajás e Tapajós. Informamos que a convenção Estadual do PT aprovou uma resolução liberando todos/as petistas para posicionarem-se democratimente, de acordo com suas convições, a favor ou contra. Ressaltamos que estamos empenhados para que a maioria das lideranças do PT assumam a bandeira favorável ao carajás e tapajós. Bressan (Assessor Parlamentar Dep. Zé Geraldo/Dep. Estadual Bernadete).

  4. Anônimo

    22 de julho de 2011 - 10:46 - 10:46
    Reply

    Carajás,

    Câmara lotada para o lançamento da campanha pelo sim. Surpresa mesmo, foi uma das estratégias levantada por Duda, apresentada em um dos banner’s. Nele, a mensagem para ser levada para tres estados e não dois. Para o Novo Pará, Tapajós e Carajás, com um eixo bem definido: nada de confronto, tudo pela demonstração de que, as emancipações serão benéficas para todos. Para Duda, é mais producente demonstrar para a região norte nordeste do Pará, que a criação dos novos estados, permitirá a abertura de um grande leque de investimentos em regiões atrasadas do Pará pelo simples fato de que o governo atual não consegue atender demandas tão diferentes como as apresentadas por Vizeu, no extremo nordeste e Santa Maria das Barreiras, no extremo sul, por exemplo. Que dirá as demandas de Castelo dos Sonhos, Placas, Jacareacanga, Itaituba e outras comunidades num extremo e de outro Chaves, Afuá, Breves, Porto de Moz, Senador Porfírio, de outro. Hoje somos um continente, quem sabe amanhã, novas unidades federativas com possibilidade de boas administrações. Quem viver, verá.
    Abraços,
    Agenor Garcia
    Assessoria de Comunicação da Comissão Municipal Pró Carajás.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *