Hiroshi Bogéa On line

Macarronada política

“A votação em Marabá de “Macarrão”, dia 3, sinalizará quais passos serão percorridos pelo ex-prefeito de Tailândia.”

Parágrafo acima encerra post descrevendo a atuação do deputado eleito Paulo Jasper (PMDB), o “Macarrão”, no município de Marabá, durante a campanha eleitoral.

Pois bem, o moço conseguiu 2.625 votos.

Pelo volume de sua campanha nos quatro cantos do município, “Macarrão” deve ter desembolsado cifrões consideráveis.

Soltou patrulhas mecanizadas de sua propriedade por entre vilas e ruelas dos bairros urbanos, distribuiu aterros para moradores carentes, repetindo, na periferia, o que já se transformou marca registrada dele em Tailândia, município onde a idolatria pessoal lhe permitiu colocar no saco 14.095 votos – 54% dos sufrágios válidos.

Em Marabá, apoderou-se também de invejáveis lideranças comunitárias usando a força do larjã, que ele tão bem sabe como acumular liderando, na região Sudeste, ao que popularmente passaram denominar a “Máfia do Carvão” – um conglomerado de poderosos capitalistas controladores do mercado de carvão vegetal. Em palavras mais claras: verdadeiros atravessadores que fazem riqueza a custas das miseráveis condições de vida dispensadas aos reais produtores, os carvoeiros ´rabos-quente´ (*).

Dependendo da ótica de quem analisa a votação em Marabá do ex-prefeito de Tailândia, encontra duas situações.

A primeira arremete à condição de fracassada, apegando-se ao custo benefício da empreitada – versão disseminada pelos porta-vozes dos candidatos-minhocas, ou os ditos “da terra”, e que fizeram ardorosa campanha contra os “paraquedistas”.

Em contraposição, principalmente entre parceiros de primeira hora da candidatura de “Macarrão”, na cidade, a certeza é de que o rapaz “é uma nova liderança” política de Marabá, montado na representatividade concedida por 2.625 votantes.

Pelo menos foi isso o que disseram Asdrubal Bentes, deputado federal reeleito com mais de 50% dos votos dos marabaenses, e o ex-prefeito Nagib Mutran Neto, ambos do PMDB, durante a “carreata da vitória”, terça-feira, na qual estiveram ao lado de Macarrão sobre um trio elétrico percorrendo ruas da cidade.

Entre eles, forma-se consenso de que Paulo Jaspen pode ser o nome do partido de Jader Barbalho para disputar a prefeitura de Marabá, em condições favoráveis.

A carreata prenuncia a formação de alguma corrente para começar a defender o nome de Macarrão como postulante competitivo à prefeitura.

Paralelamente, os chamados pesos-pesados da política local (caso haja realmente alguma liderança merecedora de tal adjetivado) deverão espalhar vacinas. Uma delas destinada a colar à imagem de Asdrubal e Nagib a pecha de avalistas de uma candidatura estranha aos interesses do municípios.

Além da exibição da torva biografia de Macarrão, nem sempre bem recomendada entre aqueles que o conhecem de antigos carnavais e de sua atuação um tanto nebulosa nos meandros da política tailandense.

Nesse plano, são especialistas, profissionais até, os “pesos-pesados” da seara marabaense.

(*) – Denominação dos pequenos fornos de carvão vegetal. 
Post de 

11 Comentários

  1. Anonymous

    14 de outubro de 2010 - 04:34 - 4:34
    Reply

    Macarronada todo mundo gosta, agora Lula…hummm,tô fora!!!

  2. D&D

    14 de outubro de 2010 - 04:30 - 4:30
    Reply

    Que medo é esse,ou melhor, que interesse é esse? Macarrão ainda não assumiu como deputado, vocês já estão querendo coloca-lo como possivel prefeito de Marabá? Pretenção qual politico não tem?
    Bom, trabalho em Tailândia e em municipios vizinhos ele tem, nunca delimitou fronteiras.Algumas palavras que foram ditas não convem com a realidade,ele não é nem precisa ser um bezerro de ouro
    pois muitos o admiram como ser humano e como um exelente administrador.Ao invés de criticar vamos apoiar, afinal ele agora é um Dep. do Estado do Pará e Marabá pertence ao Pará . Parabéns Tailândia, Marabá ,enfim, parabéns ao estado do Pará agora nós temos um grande DEPUTADO!!!
    Abraços e obrigado a todos pela atenção.

  3. Mural de Marabá

    11 de outubro de 2010 - 21:11 - 21:11
    Reply

    Resumindo a ópera: somos apenas um curral eleitoral.

  4. Sabe Tudo

    11 de outubro de 2010 - 14:47 - 14:47
    Reply

    pra uma ciadade que já foi governada pelos Mutrans e tem Maurino como prefeito o Macarrão não será novidade nenhuma.
    Quem está armando para que o Macarrão seja candidato em Marabá não é o Asdrubal e sim o Wlad que já se estalou em Itupiranga com uma mega emissora de radio a mais potente do sul e sudeste do estado justamente trabalhar sua possivél candidatura ao governo daqui a quatro anos e Macarrão em Marabá faz parte de seu esquema.

  5. Anonymous

    11 de outubro de 2010 - 03:24 - 3:24
    Reply

    Cara que coisa chata esse negocio de um comentar os erros dos outros, isso aqui e internet depois que eu vi o William Bonner errar procuro não corrigir ninguém , se deu pra entender então ta bom ne mas vamos la…..vamos falar de Política, Olha não seria novidade os políticos filhos de Marabá apoiarem o tal Macarrão e outros mas o Asdrúbal fazendo isso fico triste pois votei nele, mas o Nagibinho não seria novidade….ele e só um oportunista lembra da vitoria do Maurino quem estava no carro com ele era o vice o Nagilson ? NÂO!! Era o Nagib e agora o Maurino queimado ele fica la na câmara queimando o cara e dando um de santo que todo mundo sabe que ele não e ne!!! Pronto falei la la la la la la..rsrsrsrsrs.

  6. Quaradouro

    8 de outubro de 2010 - 01:03 - 1:03
    Reply

    O Eleutério Gomes é ótimo! Aventureyro que sequer sabe a língua também não tem assento entre nós.
    Era só o que faltava!
    Daqui a pouco vai ter até estuprador assassino querendo ir pra Academia de Letras…

  7. Anonymous

    7 de outubro de 2010 - 23:51 - 23:51
    Reply

    prezado hiroshe voltando ao tema princioal. desse nobre dep.eleito por tailandia e de passagem MARABA. acho q se nos analisamos bem os principios ele ta mais pra ser reeleito prefeito na sua cidade. maraba dentro do seu diretorio regional pmdb.ha candidatos qualificados,indentificado com nossa cidade e logico com o povo. nao acho que em uma pre- eleicao esse deputado estadual consiga sua candidatura aprovado pelo diretotio regional.jesus nao conseguil agradae todos , imagina esse ai que passa essa visao de querer ser um bezerro de ouro..re

  8. Hiroshi Bogéa

    7 de outubro de 2010 - 15:55 - 15:55
    Reply

    11:39, se estivesse errado, tenha certeza de que faria a correção, com extensos agradecimentos.

    A palavra paraquedista TINHA hífen.

    Você já ouviu falar de noção de composição perdida? Certamente, NUNCA ouviu falar.
    É uma regra empregada em situações ortográficas onde palavras que levavam hífen o perderam com o tempo. Pelo menos quatro palavras nesse grupo se enquadram na tal “noção de composição”: paraquedas, paraquedista, mandachuva e paraquedismo.
    Outras que também estariam consagradas na tal “noção de composição perdida”, no entanto, mantiveram o hífen: guarda-chuva e para-raios. Como se vê, não há consenso nem nas regras ortográficas. Abs

  9. Eleutério

    7 de outubro de 2010 - 15:17 - 15:17
    Reply

    Caro Sebastião, de acordo com as novas regras impostas pelo acordo ortográfico vigente, "paraquedista" não tem mais hífen. E também não deveria ter assesnto nos parlamentos.
    Um abraço.

  10. Francisco Pereira

    7 de outubro de 2010 - 15:10 - 15:10
    Reply

    Tenho acompanhado o nobre blogueiro e suas analises políticas, alguns pensam que é só chegar aqui e fazer barulho e ostentação de grandes cifras que vai levar todos no papo, o número de votos obtidos aqui não compensou o gasto feito, isso demonstra que antes de se ter cifras para financiar a campanha precisa-se dos votos um ou dois podem-se deixar levar mais uma quantidade que possa levar ao cargo de prefeito é muita pretensão.

  11. Anonymous

    7 de outubro de 2010 - 14:39 - 14:39
    Reply

    Hiroshi mesmo respeitando sua sensivel condição de observador politico, não posso deixar de criticá-lo por escrever erradamente a palavra paraquedista. Ou o senhor não sabe que ela tem um hífen? Por favor, blogueiro, corrija-a. Sebastião Rodrigues

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *