Hiroshi Bogéa On line

Juiz esclarece intenção de ofícios

 

Emeio enviado pelo juiz César Lins, da 1a Vara Cível de Marabá, esclarece que o encaminhamento de ofícios às autoridades policiais recomendando maior controle por parte de agentes no exercício da autoridade, dentro de casas noturnas de Marabá, não teve a intenção de expor as instituições, nem caráter generalizado.

Teor da mensagem do juiz:

Venho a público esclarecer que de forma alguma minha intenção foi generalizar as instituições policiais, como me colocou o pessoal da PF. Tenho todo respeito pelas polícias federal, civil e militar. Denunciei condutas isoladas que vêm se manifestando, infectando todo o sistema  repressivo. Assim, peço desculpas se o ofício sobre a carteirada soou generalizado, todavia, em relação aos demais termos, mantenho-os na integra. Aproveito para informar que este juiz não deu qualquer determinação as autoridades, apenas informou uma situação que é retratada  por todos, cabendo a Policia a investigação do fato, coibindo estas condutas. Não se precisa apontar culpados à Polícia e sim fatos, culpados cabe a Justiça dizer quem os são, depois de um processo sob a ampla defesa.

Grato. César Lins

 

Nota do blog: segunda-feira, 18,  publicaremos  post comentando a repercussão da medida do magistrado, bem como avivando memórias esquecidas de algumas  autoridades locais.

Post de 

2 Comentários

  1. Anônimo

    17 de abril de 2011 - 20:46 - 20:46
    Reply

    O senador e ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB-MG) se recusou a fazer o teste do bafômetro e apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida em uma blitz da Lei Seca, na madrugada deste domingo, na Avenida Bartolomeu Mitre, no Leblon, na zona sul do Rio. De acordo com o Governo do Rio, o político mineiro se recusou soprar no aparelho que determina a concentração de bebida alcoólica no organismo, por meio da análise do ar exalado dos pulmões da pessoa. Em seguida, ele apresentou a CNH vencida e o documento foi apreendido. O político mineiro foi multado em R$ 957,70 por recusar o bafômetro e em R$ 191,54 pela habilitação vencida.

  2. Maria

    17 de abril de 2011 - 19:19 - 19:19
    Reply

    Qual é o problema afinal? Esse povo da PF está a trabalho ou se divertindo nas boites, bares e afins? Se estiverem trabalhando acho justo não pagarem, mas se estiverem se divertindo têm que pagar sim, igual ao restos dos mortais, ora ora.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *