Hiroshi Bogéa On line

João Salame analisa votação

Reeleito deputado estadual com 22.127 votos, João Salame (PPS) replica considerações do post Vitória com gosto insosso, explicando as razões de sua baixa votação  em Marabá, em relação a que conquistou na eleição de 2006:

Passada a eleição é hora de refletir. Respeitando os seus comentários quero fazer algumas observações iniciais. Como o texto é longo vou dividir em duas partes:

Primeira Parte

01 – Sou um sobrevivente. Um sobrevivente a eleições cada vez mais caras, onde na maioria são eleitos candidatos bancados por poderosas máquinas de fabricar votos ou com grande recall junto ao eleitorado em função do trabalho que realizaram no Executivo ou do desastre de adversários que os sucederam.

02- Sou um sobrevivente ao voto de protesto que juntou um ex-prefeito com grande recall junto ao eleitorado pelo bom trabalho que realizou (Tião Miranda) e uma administração que despertava grandes esperanças e tem frustrado a expectativa popular.

03- A votação do ex-prefeito “desidratou” a todos. A Bernadete perdeu 6.579 votos das eleições de 2006 para a deste ano. A Elza perdeu 4.873. Eu perdi 3.216.

04-E olha que eu fui o mais duramente prejudicado. A candidatura do Tião atingiu diretamente meu eleitorado, posto que temos o mesmo círculo de amizade e durante toda a minha vida política em Marabá pertencemos ao mesmo grupo A candidatura do Ferreirinha também entrou forte no bairro Cidade Nova e junto a amigos comuns. Ter 5.512 votos em Marabá diantes dessas circunstâncias é motivo de orgulho.


05-Vamos agora a análise de estrutura. Todos sabem que dinheiro não é problema para Tião Miranda. Ele tem e tem quem financie suas campanhas. A Bernadete era candidata com o apoio do Incra. A Irismar da Prefeitura. O Ferreirinha da governadora. A Elza sempre teve respaldo em sua família. Você conhece minha situação. Tive o apoio de alguns empresários e valorizo isso, mas você sabe que os empresários de Marabá não colocam a mão no bolso para apostar em projetos. Minha campanha foi modesta. Não era raro o dia em que os carros de som só trabalhavam meio-período por falta de combustível. Não tive as famosas “formiguinhas” e nem as malfadadas bocas de urna.

06-Minha ausência de Marabá durante boa parte da campanha também contribuiu para esse resultado. Muitas lideranças ligadas a mim reclamaram porque dos 60 dias de campanha fiquei apenas 22 em Marabá. O Tião fez caminhadas em praticamente todos os bairros. Eu fiz apenas duas. Mas parecia que eu estava advinhando o tsunami que estava por vir. Meu feeling dizia que tinha de priorizar outros municípios. O resultado é que consegui 16.615 votos fora de Marabá. Se eu tivesse priorizado Marabá talvez tivesse acrescido cerca de 2 a 3 mil votos na minha candidatura. Mas com ceretza teria perdido mais de 5 mil fora. Para garantir a eleição a estratégia foi correta. A disputa não era para prefeito. Era pra deputado e nela me concentrei.
João Salame

————————————
atualização às 14:06

Em 2007, João Salame assumiu a Assembleia Legislativa envolto à ferrenha luta nos tribunais eleitorais para garantir sua diplomação. Pesava contra ele, recomendação do procurador eleitoral, José Augusto Potiguar ,para a rejeição das suas contas de campanha, e a cassação do seu diploma.

Agora, o deputado marabaense reeleito parece ter o mesmo destino: brigar nos tribunais.

Pelo menos é o que garante o primeiro suplente Nélio Aguiar (PMN), que foi candidato a deputado estadual por Santarém.

Post de 

8 Comentários

  1. Anonymous

    21 de janeiro de 2011 - 16:48 - 16:48
    Reply

    Senhor gostaria que publica-se o seguinte comentário , Nos estudandes de Marabá ,com baixo renda das escolas públicas estaduais estamos sendo tirados das escolas que fizemos todo o fundamental e sendo jogados para a incerteza de poder estudar ,muitos não teem diheiro sequer para pagar transporte. na 4ª U.R.E .estão lotando pela internet muitos de nós não temos accesso. Socorro quero estudar Perto de casa .Me houve Dep Salame,Dep Tião.

  2. Barbosa

    3 de novembro de 2010 - 18:32 - 18:32
    Reply

    é né se o salame e certinho etava despreucupado com isso a verdade é certa e que a justiça seja feita e não é imoral e nem desleal lutar pela verdade Nélio Aguiar só estar tentando fazer sua parte e claro a "oposição"joga comentarios que não tem nada a ver com a situação é claro que boca de urna é crime
    a justiça eleitoral é ciente da gravidade do assunto
    e que seja o que Deus quiser

  3. Zé Augusto

    13 de outubro de 2010 - 05:25 - 5:25
    Reply

    Salame certinho? Com a palavra a PF, que tem inquérto aberto.
    Nélio Aguiar vai a luta porque que usa de artimhas, faz da eleição uma luta desleal e imoral. para coibir esses abusos é que existe a justiça eleitoral, ao qual Nélio Aguiar tem todo direito de recorrer.

  4. Anonymous

    11 de outubro de 2010 - 09:40 - 9:40
    Reply

    O João Salame, é um deputado que trabalha direitinho e, com uma visão do Estado do Pará. Não é bairrista, nem poderia ser, o deputado é estadual e, o que fez foi sensato : ampliar sua base eleitoral.
    Quanto ao Tião Miranda, era esperada uma votação recorde, em razão do bom trabalho que fez quando prefeito de Marabá.
    Vale o exemplo a todos quantos queiram postular uma vaga à Assembleia Legislativa.
    O Observador

  5. Edna

    10 de outubro de 2010 - 21:03 - 21:03
    Reply

    João Salame é um político exemplar, jamais entraria nessa disputa de compra de voto realizada por muitos que se dizem honestos. Ele é um parlamentar trasparente e amigo, infelizmente esse é o tipo de político que incomoda muita gente, mas não adianta ele chegou pra ficar e continuará conquistando mais eleitores comprometidos com o valor que tem seu voto. Como ele mesmo diz, é um sobrevivente, a prova disso é que mesmo com os votos perdidos ainda conquistou mais 7 mil votos em relação ao ano de 2006.
    Parabéns João Salame!

  6. Anonymous

    7 de outubro de 2010 - 19:09 - 19:09
    Reply

    Caro blogueiro, desde ontem aguardo a publicação de comentário que fiz discordando das explicações do deputado João salame quanto a baixa votação dele em Marabá. Não fiz nenhuma citação desonrosa a ele nem a familiares, apenas citações de conhecimento geral de fatos ocorridos na cidade. Estranhamente o comentário até agora não foi postado. Corporativismo? Proteção aos COLEGAS DE REDAÇÃO, como gostamde dizer jornalistas? Tempos atras também enviei comentários citando o Ademir Braz e o filho do Mascarenhas, e voce fez o que repete agora: NÃO PUBLICOU NADA.
    Pela forma respeitosa com que me pronunciei no comentário, mereço respeito de sua parte.

  7. Laércio Ribeiro

    6 de outubro de 2010 - 20:03 - 20:03
    Reply

    A atitude do candidato santareno nada mais é do que o esperneio de alguém que não quer reconhecer sua irrevogável derrota nas urnas e, na incapacidade de alcançar número na base do voto quer agora a vaga da Alepa a qualquer custo, na base do tapetão. Dizer que Salame investiu em compra de votos na situação apertada com que ele encarou esta campanha é uma piada. Os sofridos votos que o deputado marabaense conseguiu foi à custa de muito trabalho e dedicação da sua parte, postura que pontuou todo o seu mandato na Assembléia Legislativa. Quem votou nele, podem ter certeza, o fez em reconhecimento à sua atuação parlamentar, inegavelmente, marcada por afinco abnegado.

  8. Dayan Serique

    6 de outubro de 2010 - 12:35 - 12:35
    Reply

    Salame tem seu mandato ameaçado, pois o suplente Nélio Aguiar, já está em Belém, patrocinando ação contra possível compra de votos por Salame.
    Nélio Aguiar, em pronunciamento na Câmara Municipal de Santarém, já adiantou que vai lutar pela vaga.
    Mais detalhes você encontra no blog http://www.faroldotapajos.blogspot.com

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *