Hiroshi Bogéa On line

Interesse social

Como o problema se arrasta havia mais de vinte anos, com o acúmulo de áreas urbanas invadidas sem a intervenção legal do setor público, propiciando o surgimento de conflitos e violência de variados níveis, a decisão da prefeitura de Marabá de declarar, os terrenos em litígio, área de interesse social , sinaliza algo de positivo no ar.

Dois bairros ocupados por cerca de oito mil pessoas começaram a receber a atenção do governo de Marabá, mediante decretos de interesse público formalizados pelo prefeito Maurino Magalhães.

As medidas conduzem o município a iniciar longa trajetória de regularização fundiária, abrindo perspectiva de se acabar com demandas responsáveis pela favelização da cidade.

Quem percorre os bairros São Miguel da Conquista e Da Paz, focos de constantes choques entre invasores e sesu antigos proprietários, sente a mudança de clima.

A declaração de interesse social acalmou os moradores.

Pontos para Miguelito Gomes, vereador nomeado Superintendente de Desenvolvimento Urbano e que tem atacado de frente o problema.

Post de 

2 Comentários

  1. Anonymous

    14 de outubro de 2010 - 16:22 - 16:22
    Reply

    Caro, Hiroshi, como pessoa próxima ao Miguelito, posso assegurar que ele faz questão é de estar longe desse engodo que é o decreto de interesse social. Se quiser comprovar que falo a verdade, pode ligar para ele. O Miguel não concorda em nada com essa enganação!
    Um abraço!

  2. Ulisses Silva

    14 de outubro de 2010 - 00:23 - 0:23
    Reply

    Os decretos por si só não resolvem em nada a situação da "favelização da cidade"(se bem que ultimamente toda a cidade de Marabá está parecendo uma favela).

    Prova disso é que o decreto sobre a área do bairro São Miguel da Conquista não surtiu efeito nenhum, e já há decisão do Juiz Cesar Lins dando continuidade ao processo de reintegração.

    O que se tem percebido é que o prefeito Maurino tem usado de meios ardis, eu diria, para tentar ludibriar a população – pelo menos tem tentado.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *