Hiroshi Bogéa On line

Funcionário da Alpa invade terreno da Igreja

 

 

Ocupando função engenheiro do Grupo Prontidão Operacional da Alpa, Roberto José Fonseca é dono do Condomínio  Green Village, construído às margens do rio Itacaiúnas, fazendo limites com  a “Chácara do Bispo”, como é chamado o terreno do Centro Pastoral Diocesano Sagrado Coração de Jesus – na Agrópolis (Cidade Nova).

Com uma ganância feroz, o moço usou de  má fé ao documentar uma área daquela propriedade em sue nome, mesmo sabendo que a Igreja tem posse de direito do imóvel, há mais de 40 anos.

Para consumar sua intenção dolosa,  Roberto Fonseca contratou equipe de pedreiros para ocupar literalmente cerca de 1.520 m2 na construção  de um muro na parte interna do terreno da igreja (foto)  que já possui um grande muro separando  o condomínio daquele imóvel do Centro Pastoral.

 

O mais absurdo do ato foi a forma como o  “empresário”  procedeu  o ingresso dos  operários àquela  propriedade: abriu  um buraco  no muro de um galpão que ele construiu nas imediações  do terreno, já que nao teria permissão para abrir-lhes caminho pela porta da frente da Chácara.

A ordem era para edificar  o muro em menos de 24 horas, apressadamente, antes que a polícia ali adentrasse.

A invasão dolosa foi percebida na mesma hora pelos servidores da igreja, que denunciaram a construção irregular.

Francisco Conceição Araujo (foto), residente há quinze anos no terreno da igreja criando galinhas, conta que acordou, no amanhecer da sexta-feira, 9, percebendo que o imóvel estava ocupado por dezenas de operários. Dirigiu-se a um deles perguntando o que estava ocorrendo.”O Dr. Roberto (Fonseca) mandou que a gente construísse esse muro”, disse um dos pedreiros.

Ao indagar ainda ao mesmo operário se o “empresário” havia conversado antes com os padres, obteve a seguinte resposta: – Não, ele quer fazer uma surpresa pra eles, então se é surpresa não tem porque ele falar antes”.

A surpresa, então, era a invasão da área, não há outra dedução.

Francisco Araújo não tem dúvidas de que Roberto Fonseca estaria aproveitando da amizade que fez ao longo dos anos com o bispo da Diocese, José Foralosso, e do fragilizado estado de saúde do religioso atualmente, para avançar sobre o imóvel.

Israel Miranda, topógrafo da empresa Miranda Topografia, estava nesta manhã de sábado, 10, efetuando trabalhos topográficos na área invadida.

Ele falou ao blog:

 

– Eu fui chamado na sexta-feira, 9, pelo padre Ademir  (Gramelik ) para dar uma checada e fazer o levantamento topográfico da Chácara do Bispo. Anteriormente, quatro anos atrás, eu também prestei esse serviço para a outra parte, no caso, o Sr. Roberto Fonseca. E nós fizemos a locação de postes e do loteamento em si. Falando com ele hoje (Roberto Fonseca) de manhã, me disse que a parte do muro antigo, feito há mais tempo, era simplesmente para definir a área do condomínio, mas que na realidade o terreno todo dele vem até a parte desse outro muro que ele está pleiteando. Como sou conhecedor bem antigo dessa área,há muitos anos, desde 1969, do meu ponto de vista eu entendo que o limite do condomínio morre onde está o muro antigo, onde existe este hoje.E com o levantamento que a Cúria pediu que a gente realiazasse, juntando esses dados com o título de aforamento que a Igreja possui, eu acredito que tudo vai se encaixar a favor da Chácara do Bispo.

 

Informação que se tem no local é de que Roberto Fonseca quer usar a área documentada de má fé para abrir uma rua até um galpão que ele construiu, ao lado do condomínio, para instalar uma serralheria.

O condomínio e a chácara do bispo, ficariam separadas pela poluição e o barulho de uma serralheria.

Na área que Roberto quer usar como rua (foto),  existem castanheiras e diversas árvores frutíferas,constituindo-se numa das raras reservas ecológicas da Cidade Nova.

Anos atrás, esse mesmo Roberto Fonseca foi quem conseguiu, com a astúcia que lhe é peculiar,  autorização para derrubar a mata ciliar próximo ao rio Itacaiúnas onde conseguiu edificar o Condomínio Green Village.

Comunicado agora há pouco da tentativa de invasão da Chácara do Bispo, o presidente do Conselho  Municipal de Meio Ambiente, Jorge Bichara, garantiu que segunda-feira, 12, reunirá os conselheiros para tomar uma decisão.

O mesmo está fazendo o secretário municipal de Meio Ambiente, José Scherer, que condenou a invasão da área da Diocese, argumentando que Fonseca “usou de má fé ao documentar uma área que há mais de 40 anos pertence à Igreja Católica.

O Ministério Público de Marabá deverá intimar Roberto Fonseca a prestar esclarecimentos.

Por mais que o advogado  do dono do condomínio, Gustavo Garcia,  já tenha vindo a público declarar que seu constituinte  tem documento do terreno invadido, esse instrumento legal foi obtido através da má, já  que a Igreja é detentora da área há quase meio século.

A questão ganhará proporções indesejáveis, porque já cresce a indignação da sociedade diante do  fato.

Edição deste sábado do jornal Opinião já delimitou sua participação no escândalo, ao divulgar o fato.

Na segunda-feira, televisões e emissoras de rádio repercutirão o fato, além de outras autoridades.

O Centro Pastoral Diocesano (foto)  é responsável pela formação de muitos jovens em suas dependências, encontros de casais e a qualificação de cidadãos através da evangelização desenvolvida lá dentro. Agredir de tal forma os dedicados servidores da Chácara do Bispo, é agredir toda uma cidade.

A presidência da Alpa, através de seu presidente José Carlos, tem dever moral de se manifestar a respeito desse caso de litigância de má fá. Afinal, Roberto Fonseca usa o unifome da empresa nos contatos diários com a sociedade.

 

Construção de má fé: na pressa, nem as raízes das árvores foram extraídas

 

Á esquerda, muro da diocese separando do condomínio. Dentro do terreno da igreja, outro muro em construção.

 

Depois do muro da Igreja, o condomínio

————————————–

Atualização às 10:17 (12 Dezembro)

 

Invasor não possui documentos

Reunidos  agora de manhã, bispo José Foralosso e demais padres da Prealiza de Marabá, ancorados por três advogados e mais as presenças de outros convidados amigos da Igreja Católica, ouviram de um representante da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) aquilo que já desconfiava: Roberto Fonseca não possui nenhuma documentação que comprove a titularidade da área invadida.

Roberto Fonseca é, literalmente,  um invasor, com intenção de proceder a grilagem de 1.500m2 de terreno do Centro Pastoral Diocesano Sagrado Coração de Jesus.

A SDU se manifestou oficialmente declarando não existir nenhum título definitivo emitido em nome do bacurau.

O caso, agora, requer a presença da polícia.

Polícia nele!

————————————-

Atualização às 10:52 (12 Dezembro)

Quem é Roberto Fonseca?

Essa pergunta é feita desde o dia em que o blog denunciou a invasão do terreno da Igreja Católica.

No final de semana, comentarista anônimo ofereceu informações mais detalhadas sobre o referido “empresário” do setor imobiliário de Marabá.

A seguir, o que diz o visitantes anônimo:

 

Caro Hiroshi, este cidadão chegou em Maraba pelas mãos da Sinobras. Vendo as oportunidades existentes, ele se juntou com mais funcionários da Sinobras, entre eles o sr.Carlos (conhecido por Carlinho) e o sr.Milton – estes dois últimos até hoje na Sinobras. Essas três pessoas criaram a empresa MRC construtora e incorporadora (MRC são iniciais de Milton, Roberto e Carlos) sendo esta empresa que fundou o condomínio Green Village. No decorrer do tempo, vendo que o Sr.Roberto estava fazendo coisas errada e muito ganancioso para atingir seus resultados, e por não concordar da forma como o Sr. Roberto conduzia as coisas, os senhores Carlos e Milton saíram da sociedade permanecendo na empresa o Sr. Roberto e a Sua esposa Adriana. Vale a pena a Receita federal dar uma olhada nesta empresa. O Sr. Roberto tem que prestar muita conta a sociedade de Marabá e aos órgãos de fiscalização. Por exemplo, investigar o fechamento de nascente de água próxima aqueles buritizeiros, lá onde ele construiu o Condomínio Green Village, às margens do rio Itacaiúnas, onde a mesma nascente, por determinação da Natureza, resistiu enquanto pode a ponto de mexer com todo o aterro elevado no local. Depois ele escavou novamente e jogou seixo para que ela continuasse a jorrar e iria fazer análise da água para ver se a mesma poderia ser usada como água potável. Será que o Sr. Roberto fez esta analise? Será solicitou autorização dos órgãos competente para utilizar a mesma ? Ou será que após analise, sendo a mesma não potável o mesmo voltou a matar esta nascente de água? E agora depois de todas estas falcatruas que o mesmo já cometeu neste condomínio, não cumprindo nada em tempo do que foi acordado com os condôminos o mesmo, vem agora, com a conveniência do poder publico municipal, querer surrupiar uma área de mais 1,500m2. Registra-se que a área invadida pelo Sr. Roberto serviria para o mesmo fazer uma estrada para dar acesso a duas torres de apartamento que serão erguidas dentro da área do condomínio mas sendo de sua propriedade particular e não do condomínio. Para fazer este acesso aos prédios teria que sacrificar árvores nativas a exemplo de castanheiras com mais de 50 anos. Vale lembrar que os condôminos, bem como o condomínio em si, não tem nada a ver com esta invasão -, inclusive todos os que tiveram conhecimento já se posicionaram contrarios a atitude do sr Roberto.

Post de 

103 Comentários

  1. Gaabriella Antunnes

    6 de fevereiro de 2012 - 00:08 - 0:08
    Reply

    Não é justo que uma pessoa qualquer se sinta no direito de tomar um território ondem milhares de graças e louvores foram concedidas ao Senhor!
    Muitos jovens (Segueme, Escalada) e casais do ECC sabem por experiencia propria que ali é um lugar santo onde o espírito santo toma conta dos nossos corações.
    Ninguém jamais vai conseguir tirar o lugar onde Jesus realiza suas obras!
    Que a Paz esteja com esse homem, para que ele não tente fazer isso outra vez!
    Além de ser uma falta de respeito aos Católicos, infringir as leis é crime e ele deve ser punido! Espero que nos proximos retiros etc, essa história já tenha sido esclarecida para que em paz possamos celebrar Jesus Cristo.

  2. Cristiane

    29 de dezembro de 2011 - 14:46 - 14:46
    Reply

    A minha opinião é que se mostre documentos, se a igreja católica tem um documento que comprove que pagou pela área e não simplesmente invadiu ótimo, se não tudo isso é precipitado, é a justiça quem decide. Não é porque a igreja está no terreno há 40 anos que pertence a ela, acho que já saimos do feudalismo. Mesmo a igreja prestando um serviço para a comunidade ela tem que ter adquirido a propriedade, com qualquer ONG é assim.

  3. Txt

    14 de dezembro de 2011 - 20:47 - 20:47
    Reply

    Caros Hiroshi e Anônimo dezembro 14th, 2011 at 14:58. Em momento nenhum eu defendi a conduta dele. Segue transcrição do que disse:

    “…caso se comprove roubo ou qualquer outra conduta inadequada dele como cidadão, cabe a justiça condena-lo…”

    Na minha opinião ele deveria abrir mão desta área mesmo sendo dele, pois não prejudica em nada seu negócio e é útil para uma obra que beneficia muitas pessoas.

    Quanto a questão da igreja não ter os documentos, simplesmente me ative ao que foi noticiado nos jornais. Se tem, me desculpem, mas noticiaram diferente. Mas quando falei da questão dos documentos foi só para enfatizar a necessidade de se apurar os fatos na justiça. Não para justificar o ato dele.

    • Hiroshi Bogéa

      14 de dezembro de 2011 - 20:49 - 20:49
      Reply

      Txt, está explicado, sem problema. É assim que se faz, tirando dúvidas. Você é sempre bem vindo no blog. Abraços. Outra coisa: amanhã publicarei a documentação do terreno

  4. MANO B

    14 de dezembro de 2011 - 16:31 - 16:31
    Reply

    esse txt ai pa mim é quaiuba igualzim o outro.pq aki é assim,mexeu com a chacara a tesoura coomeeeeuuuuuuu!!!!!!

  5. Anônimo

    14 de dezembro de 2011 - 14:58 - 14:58
    Reply

    Txt, mesmo que a igreja não tivesse documento, aquela área já é ocupada por ela a quase meio século, como que uma pessoa acaba de chegar na cidade e se acha no direito de se apoderar na marra.
    Eu me admiro é de você, seja quem for, defender uma atitude dessas.

  6. Txt

    14 de dezembro de 2011 - 13:39 - 13:39
    Reply

    Para um caso destes deve-se atuar a lei, a justiça. Não cabe a Vale apurar este caso e muito menos tomar qualquer atitude precipitada. caso se comprove roubo ou qualquer outra conduta inadequada dele como cidadão, cabe a justiça condena-lo. E neste caso, tenho certeza que a Vale não será conivente também.
    Mas ate agora ele apresenta um documento e a igreja nenhum.

    • Hiroshi Bogéa

      14 de dezembro de 2011 - 13:47 - 13:47
      Reply

      Txt, é mentira tua. A Igreja tem documento, sim. O dele é recente, sabe-se lá como o moço conseguiu. A propósito, ainda hoje contarei o resto dessa história aqui no blog. As consequências da ambição descabida de certas pessoas.

  7. Hiroshi Bogéa

    14 de dezembro de 2011 - 13:32 - 13:32
    Reply

    Noé, tu já havias mandado comentário com o mesmo teor e foi publicado. Recusei este.

  8. Galeto Assado

    14 de dezembro de 2011 - 11:38 - 11:38
    Reply

    Oia oia veja bem, pa ganha um chaozim de terra num é assim nao….pq vc tem que saber, se a chácara do bispo já tem uma historia de 40 anos, como é que um reumiscleis desse aparece na calada da noite fazendo muro no territorio alheio??? pode tirar seu murinho de lá e nao insista, porq vc seu Roberto Fonseca pegou foi na graxa…..

  9. Josiel Cardoso

    13 de dezembro de 2011 - 23:55 - 23:55
    Reply

    Isso é uma vergonha descabida pois esse cara não tem necessidade de invadir ou ocupar algo que não seja dele, se ele quer mais porque não gasta um pouco de sua fortuna, o Sr. Roberto não sabe qual grande é a importância desse espaço para nossa juventude, se ele realmente tem consciência que ele procure um meio de sanar essa situação seja ela como for, só peço a Deus que ilumine e ajude-o a refletir sobre esse feito pois ele não precisa, tanto eu quanto a juventude católica precisa….

  10. Marabazin

    13 de dezembro de 2011 - 22:06 - 22:06
    Reply

    Hiroshi,

    Quem com ferro fere com ferro será ferido…….. Os padres da chamada igreja progressista pregam a ‘reforma agrária na marra’, então o resultado é esse usar a terra deles em beneficio dos ‘próximos’.

  11. Pedro Paulo

    13 de dezembro de 2011 - 21:28 - 21:28
    Reply

    Este é o motivo da aprovação do NÃO no plebiscito recente. A população mesmo sabendo do descaso do nível central com a região, votou pelo NÃO cansada do desrespeito continuado dos políticos e da imprensa marrom ao cidadão de bem. Os atores são os mesmos, o cenários varia, mas a cultura é a mesma há décadas. Escolhem um cidadão de bem, é só os que tem coragem de criticá-los ferozmente. Escolhida a vítima direcionam todo o seu veneno de maneira a destroçá-lo, desconjuntá-lo, deprimí-lo. São insensatos nos adjetivos, nas interpretações, nas condenações sem juizo. Ainda bem que votei no NÃO. Caso contrário, estas mesmas pessoas com estas mentalidades seriam os formadores de opinião de um novo estado, seriam os políticos ruins para se transformarem em deputados, senadores… Não conheço este senhor Roberto Fonseca, no entanto pelo formato da maldade tradicional tenho a certeza que seja mais uma vítima deste pessoal insano. Ainda bem que suas vítimas são apenas as pessoas de bem.

  12. Cristiane Cardoso

    13 de dezembro de 2011 - 21:09 - 21:09
    Reply

    “Atire a primeira pedra aquele que não tiver pecados”. É incrivel a capacidade do ser humano em depreciar uma pessoa. VALE: o que a Vale tem a ver com isso? A VALE não é a “boazinha” do pedaço, leva nosso minério todos dias, e ninguém fala nada! CHÁCARA: Por quanto os padres compraram a chácara?? Eles chegaram e se apossaram? Muito provalmente, assim como várias terras país afora. Eis a questão: “Atire a primeira pedra…”

  13. MANO B

    13 de dezembro de 2011 - 18:15 - 18:15
    Reply

    100 palavras pa um comedia desse!!! Acho q ele nunca fez segue-me ecc ou participou de qualquer evento nesta casa santa!!!!!! com certeza nao!!!!!
    Eu so lamento pra ele,gastou o dinheiro com material e mao-de-obra,quis dar um de gaiatao! Pra mim é pitisfloi,rariflow é quaiuba é quaiuba.Pega prisao perpétua e depois 15 anos na solitaria!
    Mas falando serio gente,lastimavel essa açao aí!

  14. Seguimista

    13 de dezembro de 2011 - 17:49 - 17:49
    Reply

    O que este empresário está fazendo é um absurdo.Não podemos chama-lo de cidadão pois, devemos classificá-lo como um homem egoísta,mal educado, que acha que o dinheiro vem em primeiro lugar e não Jesus Cristo. eu tenho fé que Jesus irá nos guiar nessa caminhada e tudo irá resolver,pois Deus está do lado dos teus filhos é não daqueles que agem como Judas.

  15. Milena

    13 de dezembro de 2011 - 13:27 - 13:27
    Reply

    Isso éh um Verdadeiro absurdo o que esse funcionário esta fazendo ele deve ser punido por tudo de errado que ele esta comentendo sem falar no caso na nascente dentro da aréa do condomínio que ele construiu. como pode uma pessoa ter tanta ganancia desse jeito pra chegar até esse ponto de fechar uma nascente e invadir um terreno que há muito tempo é de Nossa Igreja???????
    Este Homem é um Inrresponsável e sem Carater, pois uma pessoa de carater nunca faria uma coisa desse tipo…..
    Sou totalmente contra esse Absurdo….
    E deixo aqui minha idignação e espero que a Justiça Tome alguma providência o mais rápido Possível…..
    Pois este Lugar éh um Lugar de Evangelização….

  16. Claudenor Peixoto

    13 de dezembro de 2011 - 12:59 - 12:59
    Reply

    “Mato que não tem Leão viado deita e rola”. Gostaria de começar parafraseando este ditado popular, a que ponto nós chegamos?. Esse senhor com certeza vestiu-se ou incorporou o que é comum se ver em nossa cidade, pessoas que acham que o simples fato de ter uma condição financeira a mais já sai aqui ali fazendo o que bem quer com pessoas, objetos, propriedades, vidas no trânsito e assim vão indo. Acho que a sociedade Marabaense tem regredido quando algumas pessoas se julgam melhores que outras, com mais direito que seu próximo: a isso damos o nome de soberba. E isto é o que mais a gente ver acontecer. Nós todos nós precisamos repudiar esse tipo de atitudes que é a lei do quanto vale? Eu sou o tal sr fulano de tal… vim de tal lugar… sou dono da tal empresa…Quanto você quer… dá um jeitinho, um jeitinho Brasileiro. Esse sujeito tem feito escola em Marabá ele é errado mais a culpa em quem o adestrou. Porque pessoas como esse sujeito não se ensina se adestra. E isso vale para todos aqueles que acham que o ser humano, que a vida e o próximo estão em segundo ou terceiro plano em nossa Cidade.

  17. Verde

    13 de dezembro de 2011 - 12:08 - 12:08
    Reply

    Caro Hiroshi

    Creio que o comentário descrito acima, esta um pouco confuso, mas creio que se pretende somar esforços no sentido de ir contra uma pessoa que ilegalmente esta ursupando de um patrimonio, que ja foi descrido por varias pessoas e eu acredito, num bem que beneficia várias pessoas. Isto independente da opção religiosa do detentor da área.
    Agora dai misturar plebiscito com este fato, so poderiamos analisar sob o foco da ausencia do Estado e a inoperancia da Administração Municipal, se aqui em Marabá o Estado e ausente, imagine lá em Jacareacanga?
    Agradeço a atenção.

  18. Dhacori

    13 de dezembro de 2011 - 12:05 - 12:05
    Reply

    Estou só retificando ao que me referi ao sr, Hiroshi em algumas coisas, especialmente na frase: Seu próprio capricho em se apossar do que não é seu. Na verdade me refiro ao sr. Roberto Fonseca que está em destaque por sua infeliz idéia.

  19. Dhacori

    13 de dezembro de 2011 - 01:13 - 1:13
    Reply

    Estou assistindo esse filme na platéia, mas não de braços cruzados e nem de boca fechada, lógico, a favor da Igreja. Acredito que isso tudo seja um meio que Deus quer mostrar, a todos, o que seria uma divisão de um Estado. Quem de fato seriam os beneficiados? será que eram realmente os pobres de bens materiais? ou os pobres de bens espirituais? a quem, os sem terras, os indios, os da baixadas, os lavradores e todos os pobres iriam recorrer quando não tivessem de onde tirar um valor x para adquirir um lote de terra, ou qualquer outro benefício Tenhamos a santa paciencia! e olhemos para a realidade presente. O senhor Hiroshi apenas está mostrando como seria um futuro para os todos os mandantes e os mandados…, Pelo menos a Igreja está sendo agraciada pela consciencia de pessoas com possibilidades de resolver tais problemas, e se fossem famílias desamparadas que muitas vezes nem falar sabem diante de certas situações?. Vamos nos unir, lutar pelo que é nosso , mas sem OFENDER , sabemos que a ofensa não dá em em nada e é ante-cristã, Não estou contra o sr. Hiroshi, acredito que já está se sentindo pressionado por demais PELO SEU PRÓPRIO CAPRICHO EM SE APOSSAR DO QUE NÃO É SEU. O que não estou é a favor de sua atitude grave, que torna algumas pessoas indignadas e que não é um método de cristão. Quero só fazer-lhe um pedido: Caia na real. Sem que seja preciso decisões que lhe causem mais aborrecimentos. Quanto aos meus irmãos da Igreja: Não exagerem em suas palavras exasperadas e excessivas, a ponto de ofenderem demasiadamente a dignidade do outro. E pensem melhor principamente voce que acha que dividir o Estado será a solução para tudo. Lembremos que a chuva sempre vem do alto e quem lucra é sempre quem manda mais, A chave da descoberta para uma conscientização está exatamente na porta que é esse acontecimento que está mexendo com nossa igreja de Marabá, depois de ler este comentário, reflitamos melhor.O certo mesmo é ter a resolução e não congestionamento do fato acontecido. Uma defeza e não uma condenção de quem quer que seja. Sr Hiroshi acredito que já esperava por essa resposta Não? então prepare-se mais que a repercursão poderá ser maior. Lamento pela humanidade ser assim! Boa madrugada. ( Se alguém quizer fazer questionamentos contrários sobre esta colocação tem toda a liberdade, porém não entendeu nada).

  20. Sartre

    13 de dezembro de 2011 - 00:53 - 0:53
    Reply

    Sr. Léo Martins, há uma grande diferença entre a Igreja Católica Apostólica Romana e algum movimento que se usa desse artifício, portanto, não confunda as bolas. E a justiça já está em cima do cidadão ele vai pagar por cada formiga lá matade e cada raiz arrancada, seu lindo dinheiro, do qual não se sabe a procedência, recrutado por multas, será investido na cidade de Marabá.

  21. Camila Motta

    12 de dezembro de 2011 - 22:38 - 22:38
    Reply

    Poxa.! Absurdo isso. Nunca tive oportunidade de conhecer está Chácara, mais sempre tive certeza que eu íria conhecer, certeza essa que me faz acreditar que vamos ganhar esta batalha.Vamos orar, pedir muito a Deus para que a justiça seja feita. Pois um lugar como este abênçoado por Jesus não podemos deixar ninguém nos tirar.

  22. Fabio Rodrigues

    12 de dezembro de 2011 - 22:19 - 22:19
    Reply

    Agora é não. Não e não, fale para seus amigos, parentes e vizinhos, é não e não. Não vão dividir, não e não, nao vão dividir a chácara do bispo

  23. anônimo

    12 de dezembro de 2011 - 21:32 - 21:32
    Reply

    Terra, em Marabá, é um problema sério! Disso, todos temos conhecimento. Aqui,além de muitas irregularidades, há muita terra que não cumpre sua função social. No entanto, a Chácara do Bispo, há mais de 40 anos, vem cumprindo sua função social, contribuindo com a formação de lideranças religiosas, sociais, das famílias, dos jovens, das crianças, além de ser um espaço que prima pela preservação ambiental.
    Dizer que a Igreja apoia e incentiva a invasão de terras para justificar este ato de má fé do sr. Roberto é usar também de má fé, é não distinguir entre o que significa defender o direito de morar a quem não o tem e a truculência de uma pessoa em tentar tomar para si, a serviço de seus interesses pessoais, uma área que é usada em favor de muitos.

    • Crissy

      16 de março de 2017 - 02:02 - 2:02
      Reply

      No meio disto tudo, quem anda enervada sou eu e mais outros tantos milhões de portugueses que não vêem maneira desta gente dar o lugar a outros para que outros possam ter oportunidade de tornar este país produtivo e não uma mera conta de subtrair dinheiro a quem trabalha e vive de ordenados ve.ssnhooogrNo Domingo, eu digo-lhes como é…

  24. Daniela

    12 de dezembro de 2011 - 21:06 - 21:06
    Reply

    É realmente uma injustiça o q estão fazendo..
    tive a oportunidade de participar de um retiro na chácara do Bispo . e foi uma experiencia incrivel, maravilhosa.. Entao, pelo interesse espiritual e sentimental devemos lutar e orar por essa causa!

  25. Hiroshi Bogéa

    12 de dezembro de 2011 - 20:36 - 20:36
    Reply

    Kaique, nada de chamar, aqui, alguém de ladrão, sem provas. A expressão pode gerar ação contra o poster. Sem essa. Compreendo siua revolta e de toda a cidade – basta ver a repercussão do fato. Vamos com calma, garoto. Abs

  26. anonimo

    12 de dezembro de 2011 - 20:29 - 20:29
    Reply

    Pergunta: O que a Alpa tem a ver com isto

  27. Anônimo

    12 de dezembro de 2011 - 20:11 - 20:11
    Reply

    E o que as pessoas não sabem é que o referido senhor é evangélico.

    Imagina se fosse ateu??!!!

  28. João Dias

    12 de dezembro de 2011 - 16:51 - 16:51
    Reply

    Caro Iroshi,

    Tão logo acessei su blog e deparei com a notícia, assim me reporte:

    Padre Ademir, isso NÃO é má-fé, é INVASÃO mesmo, de propriedade particular. Com uma diferença: essa INVASÃO é de um indivíduo com fins lucrativos, especulativos; bem diferente de invasões coletivas, de sem-tetos, quando a propriedade NÃO cumpre a função social. Portanto, a sociedade e a justiça tem que responder prontamente a esse tipo de INVASÃO, semelhante ao que ocorreu com o Colégio Sta. Terezinha, patrimônio da memória e orgulho da sociedade marabaense.

    Qualquer que seja o título que esse cidadão possa apresentar para justificar a INVASÃO, não condiz com os meios e procedimentos por ele adotado.

    Fico satisfeito com a postura da Igreja que, através do seu colegiado e assessorada por advogados, há de fazer valer o seu legítimo direito de propriedade perante o Judiciário, resgatando a memória e o orgulho da socidade marabaense.

  29. anonimo

    12 de dezembro de 2011 - 16:45 - 16:45
    Reply

    A justiça deve ser sempre nosso lema e luta. Que pena que a justiça deste cidadão é so conseguir cada vez mais dinheiro. Ele é um coitado, deve ser viciado em querer prejudicar, enganar. Ele se diz tão religioso que acredita em Deus, porém é só falcidade ele usa o nome de Deus para explorar tirar, invadir e realizar as suas próprias vontades, desejos. Cuidado seu Roberto que voce vai pro inferno, ou melhor está construindo seu inferno. Você não deve mais estar em paz consigo mesmo, parece quem manda na sua vida é o dinheiro é o capeta.Ve se cria juizo, e seja mais humano.

  30. Gylson souza

    12 de dezembro de 2011 - 16:42 - 16:42
    Reply

    É lastimavel tudo o que está acontecendo, a ambição desse homem. O que foi que deu na sua cabeça meu amigo? você ta mexendo com Deus, com coisas que naum são de vosso interesse, você ainda vai prestar contas do que você esta fazendo, E vai ser com Deus, nosso juiz supremo.

  31. Pe Eduardo junior

    12 de dezembro de 2011 - 16:34 - 16:34
    Reply

    É lamentavel essa situação, não sou da diocese de marabá mas ja estive nesse lindo local, mais é muito triste ver essa situação o sofrimento e o estado do senhor excelentissimo bispo da diocese de marabá.
    Caros irmãos nós sairemos dessa, tudo vai ficar bem, a justiça de Deus descera sobre esse homem de má fé, que ele fique sabendo que bem aventurados aqueles que falam e praticam a verdade pois serão felizes, o Senhor naum deixará que nada de mal aconteça.
    Deus abençoe

  32. Verde

    12 de dezembro de 2011 - 15:49 - 15:49
    Reply

    Caro Hiroshi

    Gostaria de usar o teu espaço para solicitar as pessoas que postaram comentarios, verificassem o email da vale e com isto enviarmos mensagens com relação a postura desta pessoa.

    Agradeço a atenção.

  33. Marcia lima

    12 de dezembro de 2011 - 15:41 - 15:41
    Reply

    Fiquei Revoltada quando soube desse absurdo, a invasão da chacara do bispo. moro a 30anos em Marabá, e quando cheguei essa aerea ja era da Igreja,è uma pena que exista pessoas que não tem respeito pelo que é dos outros.larga mão do que não é seu. o povo Marabaense não é bobo n]ao e não vão nunca aceitar um bsurdo desse. A chacara é do povo de Deus, e o povo de Deus não aceita injustiça.

  34. Mariana

    12 de dezembro de 2011 - 15:34 - 15:34
    Reply

    É uma vergonha que um funcionário da ALPA, que presta serviço para a VALE, que são duas instituições privadas conservadoras mantenha em seu quadro de funcionários um cara como esse. Pergunto, o que a ALPA fala dessa situação. É vergonhoso que esse cara INVADA uma propriedade privada. José Roberto a ALPA não está pagando bem o suficiente para você comprar um pedaço de terra?

  35. Anita

    12 de dezembro de 2011 - 15:20 - 15:20
    Reply

    Estou acompanhando de longe este despacho deste episódio pois a distancia não me permite estar próximo para arregaçar as mangas e por o muro abaixo.Sejam firmes e corajosos(Padres,Bispo,Administradores da Diocese) em defender o que é do povo Católico.Precisando movimentar o povo das comunidades chame-nos estaremos lá em luta.Forasteiro se trata como forasteiro.De onde veio para lá deve voltar… A Chácara do Bispo tem valor sentimental e sagrado que dinheiro não paga e da qual o povo católico não quer vender.Entendeu Sr.Roberto!

  36. Léo Martins

    12 de dezembro de 2011 - 14:51 - 14:51
    Reply

    Esse povo da igreja é danado pra mandar invadir as propriedades dos outros, agora é a vez deles, é assim mesmo, um dia da caça e outro do caçador.

  37. Emidya França

    12 de dezembro de 2011 - 14:40 - 14:40
    Reply

    É lamentável ver uma pessoa da elite marabaense fazer uma covardia dessas, pois este mesmo cidadão, pode muito bem comprar um terreno e montar um condomínio em outro lugar sem agredir a natureza e muito menos a igreja católica, nós católicos não iremos deixar isto acontecer, a chácara, que diga-se de passagem a muito tempo ja está nas mãos da igreja católica, não diminuirá de tamanho! e continuaremos a fazer nossos retiros e encontros, pois foi de lá que muitos pregadores e até padres ja sairam, pois encontraram o verdadeiro amor de Deus naquele lugar.

  38. George Hamilton Maranhão Alves

    12 de dezembro de 2011 - 14:32 - 14:32
    Reply

    Esse Roberto Fonseca é um daqueles de fora que só chega pra atrapalhar. Manda ele invadir um terreno meu pra ver o que que acontece!

  39. Erika Rossini

    12 de dezembro de 2011 - 14:21 - 14:21
    Reply

    Isso é uma grande injustiça que esse empresario quer fazer.
    Por Favor primeiro vá atras de conhecer a historia que a Chacara tem e quantos jovem evangelizados ja foram ali…
    Foram varios jovem que dali sairam pessoas melhores, jovem que hoje podia esta em qualquer outro caminho mais não, estao em uma vida voltada pra Deus…
    Eu como Jovem Seguimista não posso deixar isso acontecer…
    Isso não é vontade de Deus…

  40. Erika Rossini

    12 de dezembro de 2011 - 14:18 - 14:18
    Reply

    Isso é uma grande injustiça que esse empresario quer fazer.
    Por Favor primeiro vá atras de conhecer a historia que a Chacara tem e quantos jovem evangelizados ja foram ali…
    Foram varios jovem que dali sairam pessoas melhores, jovem que hoje podia esta em qualquer outro caminho mais não, estao em uma vida voltada pra Deus…
    Eu como Jovem Seguimista n

  41. Mário

    12 de dezembro de 2011 - 12:19 - 12:19
    Reply

    Desde o inicio quando esse condominio iniciou sua construção, foi usado com segundas intenções para com o terreno da Chacara do Bispo e o Sagrado, Senhor Jesus , Juiz de tudo e todos é justo e fiel tem esta causa em suas mãos, visto que este terreno que é ocupado pela chacará o qual estão querendo desapropriar, foi e sempre será um terreno Santo o qual é totalmente usado para que todos os Filhos e Filhas que busca ter um encontro pessoal com Jesus Cristo, assim como eu e muitos tivemos o primeiro encontro com Jesus . Portanto o que é de Deus é e sempre será Totalmente de Deus e não dos “Homens”.

  42. RAI MUNDO

    12 de dezembro de 2011 - 12:17 - 12:17
    Reply

    (TIO DO SEGUIME)Deus nao vai deixar isso acontecer meus irmaos em cristo porque ele Deus todo poderoso vai acabar com essa ou aquela atitude mar de pessoas desse tipo de atitude nois como comunidada nao estamos sartifeito com isso.

  43. Thayane C. de Faria

    12 de dezembro de 2011 - 12:15 - 12:15
    Reply

    Usando as palavras já ditas, e muito bem colocadas “AGREDIR DE TAL FORMA OS DEDICADOS SERVIDORES DA CHÁCARA DO BISPO, É AGREDIR TODA UMA CIDADE”
    Quantas pessoas já passaram por lá e tiveram suas vidas transformadas em algum desses encontros espirituais que lá acontecem?
    É inadmissível uma pessoa sem consideração nenhuma querer findar projetos que fazem também a várias pessoas que compõem a sociedade marabaense.
    Nós CATÓLICOS, e cidadãos de forma geral, queremos justiça!

  44. ronaldo yara

    12 de dezembro de 2011 - 11:22 - 11:22
    Reply

    Caro amigo “anonimo” que postou em 11/12 às 20:14, agardeço sua boa contribuição pela causa, porém informo que nosso pronunciamento na tribuna da câmara só pode ser feito nos dias de sessão; sendo que a primeira após o incidente só ocorrerá nesta terça feira (13/12), à partir das 09:30 hrs. por favor acompanhe para que possa contribuir um pouco mais, avaliando se meu posicionamento diante do fato será contundente e satisfatório. abraço.

  45. eduarda seguimista

    12 de dezembro de 2011 - 11:01 - 11:01
    Reply

    sagrado coraçao, e um meio de evanvelização ninguem tira ele de nós..
    Deus escreve certo por linhas tortas..
    vamos prova que o amor e maior.

  46. Naiara Alves

    12 de dezembro de 2011 - 10:55 - 10:55
    Reply

    É um absurdo o que este homem está tentando fazer, agindo de má fé, ainda diz ser evangélico, a ganancia dele é muito maior perante as coisas de Deus!! Não teve o menor respeito ao invadir um espaço onde acontece encontros lindos com Deus!! Fiz o 7º segue me da paroquia Nossa Senhora de Nazaré – e é com muita tristeza que vejo essa ação perversa deste homem. a justiça cuidará disso!! Todos nós estamos juntos contra essa invasão!!

  47. Reykovsk

    12 de dezembro de 2011 - 10:52 - 10:52
    Reply

    Não podemos deichar esse (empresário) sair dessa ileso!
    é uma pouca vergonha o que ele tentara fazer! aquela chácara é uma chácara abençoada! Pois ali Jovens e adultos tiveram uma experiencia maravilhosa com Deus!
    Deus está conosco e tudo sera solucionado.

    abraços

  48. Armando Soares

    12 de dezembro de 2011 - 10:46 - 10:46
    Reply

    Sou Coordenador da RCC, onde muitas de nossas formações e seminários realizamos na Chácara. É lamentável esta atitude, nos deixa triste, até onde o homem vai em busca do benefício próprio, levando vantagem e prejudicando o próximo? Esperamos que não só a comunidade Católica, mas que as autoridades tomem as providências necessárias.

  49. Carmina Nogueira

    12 de dezembro de 2011 - 10:04 - 10:04
    Reply

    Um absurdo a atitude deste cidadão.
    É preciso fazer com que ele seja devidamente esclarecido sobre onde ele esta pisando e pague pelos seus atos,pois esta interrompendo as obras de DEUS,sou seguemista de coração,enquanto tem um pra fazer as obras de DEUS,tem outros pra destruir… mas esse tal ai nao vai conseguir nada JESUS é maior.

  50. Anônimo

    12 de dezembro de 2011 - 10:03 - 10:03
    Reply

    Ele só fez isso porque aqui em Marabá é useiro e vezeiro invadir terra alheia. Pratica comum aos abastados que usam pessoas humildes para incentivar uma invasão e depois comprar terreno barato.

« Comentários mais antigos

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *