Dono da Doxa fala sobre números da pesquisa

Publicado em 7 de junho de 2012

 

 

De pura maldade, ou com intuito de atender interesses de grupos políticos não satisfeitos com os números da pesquisa da Doxa Comunicação, encomendada pelo blog, comentarista  anônimo tentou  desqualificar  a seriedade da pesquisa insinuando que a direção do instituto teria contratado pessoas ligadas ao deputado João Salame (PPS) para realizar as entrevistas.

Como a intenção do poster, registrando a pesquisa,  é apenas contribuir para o eleitorado de Marabá  compreender  o comportamento  político-eleitoral e suas tendências para a eleição de outubro, a insinuação maldosa do comentarista nos obrigou a buscar esclarecimentos do próprio diretor do Doxa Comunicação, Dornélio Silva – sempre na certeza de que ele jamais colocaria em risco a credibilidade de suas pesquisas, atestadas ao longo dos anos por quem acompanha o dia a dia político do Estado.

Os esclarecimentos de Dornélio estão abaixo, num resumo do bate-papo que tive com ele, pelo telefone.

 

————–

Dornélio, o blog foi citado por comentarista anônimo de que a pesquisa encomendada ao seu instituto teria  sido trabalhada em campo por pessoas de Marabá ligadas ao deputado João Salame, um dos interessados em qualquer pesquisa divulgada,  já que ele é um dos Pré-candidatos a prefeito. Como eu tenho que primar pela credibilidade de tudo o que o blog divulga, muito mais ainda pela qualidade da primeira pesquisa encomendada por nós, preciso de um esclarecimento seu a respeito dessa polêmica. Você usou entrevistadores de Marabá para realizar a pesquisa?

Hiroshi, trabalho fazendo pesquisa em Marabá desde a época de Haroldo Bezerra. E como Marabá é uma cidade de porte médio, sempre mesclei entrevistadores da equipe de Belém com uma equipe que já tenho neste município que atende não só Marabá, mas outros da região. Sempre valorizei os profissionais locais, especialmente os jovens que são competentes e que estão em busca de trabalho. A cada pesquisa, eles são treinados, os questionários são checados em campo por supervisores que acompanham todo o trabalho de campo. E nunca me deram problema porque esses jovens primam pela seriedade do trabalho que empreendem. Já são mais de 20 anos que faço pesquisa em Marabá. Posso te afirmar que conheço um pouco da dinâmica da política deste município.

 

Dornélio, eu fui questionado, na tarde desta quarta-feira, por um dos pré-candidatos a prefeito que teve seu nome incluído nos questionários da Doxa, afirmando não reconhecer a exatidão dos dados apresentados pela sua pesquisa, inclusive citando ter em mãos uma  pesquisa feita por outro instituto de Belém que lhe dá situação bem mais confortável, em relação ao segundo lugar.  Pelos dados apresentados, as duas pesquisas apresentam  distorções aberrantes.

Hiroshi, como disse anteriormente, tenho uma série histórica de pesquisas realizadas em Marabá, inclusive deste ano, realizada em abril; tenho outra de novembro do ano passado que já mostravam tendência de subida do João e estabilização de Tião Miranda no topo dos seus 47%, 48%, isto é, oscilando nesse patamar. Maurino vinha tendo queda substancial, agora o prefeito deu uma reagida, chegando ao nível de 13%. Quanto a pesquisa deste outro instituto, ele tem que rever a metodologia que está sendo utilizada na coleta de dados. Ele precisa refazer a pesquisa, é uma atitude profissional e checar seus próprios números. O Tião conhece muito bem o meu trabalho porque trabalhamos juntos na campanha do Haroldo Bezerra, ele acompanhava passo a passo o desenvolvimento do campo. E como, á época, tinha-se poucos recursos tive que vir pra Marabá com mais uma pessoa do instituto e contratei pesquisadores daqui. E fizemos o trabalho, acompanhando a cada momento o comportamento eleitoral marabaense. A última pesquisa, fizemos numa sexta-feira, antevéspera da eleição. O que apontamos na pesquisa foi o resultado vitorioso de Haroldo Bezerra.

 

Eu sei que a Doxa é quem faz pesquisas para o prefeito Maurino Magalhães, desde antes da eleição na qual ele foi eleito.  A avaliação positiva do prefeito começou a perder consistência desde quando?

Sempre analiso do ponto de vista da opinião pública através das pesquisas qualitativas e quantitativas; estas no primeiro ano de governo já indicavam que o Maurino não soube formar um governo novo, diferente, um governo de mudanças como esperava a população. A medida que ele manteve vários secretários de governo da antiga administração, a partir de então deixou de ser um governo da mudança. A população percebeu isso de imediato. Ele mexeu, mas já era tarde demais.

 

Em sua avaliação, lhe causaram surpresa os números encontrados na pesquisa,  onde o deputado Joao Salame aparece mais bem avaliado do que o prefeito Maurino?

 Não, não me causaram surpresas porque venho fazendo pesquisa dentro dessa nova conjuntura política já a algum tempo. Tenho acompanhado, através de pesquisas, o desenvolvimento do governo Maurino para o qual fiz várias pesquisas. Não me causa surpresa porque já vinha detectando essa tendência de crescimento de Salame. Pesquisas anteriores, ele obtinha 15%, outras 18%, outras, ainda, 24% e depois do plebiscito em que ele mostrou a cara, se posicionou muito bem, criou maior notoriedade, era normal (digo normal mesmo) que esse crescimento não parasse.

 

A que se deve o crescimento do nome do deputado  João Salame, conforme atestam os números de suas pesquisas?

Posso lhe garantir que estava havendo uma polarização entre Maurino (o prefeito) e Tião (ex-prefeito), havia uma comparação direta de perfis administrativos e perfis pessoais. Como Maurino não estava atendendo às expectativas a que se propôs na campanha, ou mesmo quando ficou aqueles 5 meses governando Marabá na ausência de Tião que estava cassado (que lhe credenciou a ser o futuro prefeito de Marabá), a população recorria diretamente aos feitos do anterior (Tião). Esta população não “enxergava” outra possibilidade de perfil administrativo. Agora, após o plebiscito, Salame se credenciou a ser a alternativa a esses dois modelos implantados em Marabá. É algo que está sendo construído como alternativa, e a população está começando a manifestar esse voto de confiança. Os números estão ai para mostrar.

 

————-

 

Nota do Blog:   Dornélio Silva tem mais de 20 anos atuando na área de pesquisa de opinião.  Possui graduação em Letras Licenciatura pela Universidade Federal do Pará (1997). Mestrando em Ciência Política – PPGCP/UFPA. Especialista em Marketing (UNAMA). Atualmente é diretor da agência Doxa Comunicação Integrada, trabalhando em planejamento de marketing, analista de pesquisa quantitativa e qualitativa. Professor visitante nas áreas de pesquisa de marketing, endomarketing e planejamento de campanhas publicitárias.