Hiroshi Bogéa On line

Desagradando multidões

Foi decepcionante o resultado da reunião da cúpula de segurança publica com políticos e sociedade organizada de Marabá, solicitada às pressas pelo deputado estadual João Salame(PPS) diante do descontrole da violência na região. Pelo menos para olhos e sentidos do público externo, as autoridades do setor demonstram estar levando com a barriga essa grave situação, verdadeiramente a exigir recursos pesados do Estado.
Senão vejamos, ao que se pode deduzir das “medidas” noticiadas pelo jornal Opinião:

1- O delegado-geral Raimundo Benassuly repetiu a velha desculpa de que o Estado não tem policiais em numero adequado para atender aos municípios do Sul e Sudeste;

2- Exemplificou, inclusive: a Superintendência Civil de Marabá, que agrega 21 municípios, carece em torno de 450 novos policiais, mas só tem disponível 150;

3- A Polícia Militar, através do 4º BPM, atua com 450 homens numa área a exigir apressadamente pelo menos mil policiais militares;

4- O Sudeste, segundo palavras de Benassuly, deverá receber “reforço policial quando os novos agentes concluírem o período na Academia de Policia”, lá pra final de setembro. A autoridade não disse quantas pessoas serão efetivadas;

5-
De imediato, relatou o deputado João Salame, “algumas medidas serão tomadas”. Quais medidas? O parlamentar, conforme o jornal, não as revelou, “tendo em vista que não surtiria efeito caso chegassem ao conhecimento público.”

Será que vão inventar a roda? Ou mais uma vez tudo se resumirá às blitzen de ruas movimentadas das cidades com a certeza de que as quadrilhas organizadas antecipadamente saberão locais e horários das ações paliativas?

Não existe segredo no combate ao banditismo. O segredo é dar prioridade à questão encarando-a como política de governo, botar dinheiro nos órgãos de segurança pública, contratar efetivo policial. Capacitar. Expandir pelo interior os núcleos de Inteligência. Equipar cada delegacia. Pagar salários compatíveis com a natureza da profissão.

Post de 

6 Comentários

  1. Anonymous

    20 de agosto de 2007 - 00:16 - 0:16
    Reply

    concordo integral e inteiramente nenhuma saída de emergência nenhum plano para o populacho as cadeias estão cheias de presos e o crima continua acontecendo o que está errado? a política maior ou só a de segurança? a política do asfalto-praça e nada de apoio à população carente nenhum programa social – aliás, vistes que no convênio com a Vale só deu escola e asfalto o esquema antigo do prefeito?
    se não se tem pessoal o que fazer para maximizar o potencial existente? será se a questão se reduz a carros e mais policiais não há boas idéias no Brasil?
    De fato, a Verinha está completamente apagada, ela é boa mesmo somente para denunciar agressões ao direitos humanos, quando a pedra vira telhado de vidro, dá nisso: quebra!!!!
    anônimo chato e amigo
    rsrsrsrsrsrsrsrsrsr

  2. Anonymous

    19 de agosto de 2007 - 23:06 - 23:06
    Reply

    …Da Silva disse…

    Na campanha, o PT disse e redisse que resolvia o problema da segurança pública ( e outros, também) como um passe de mágica. Vejo a propaganda no ar, numa repetição da velha fórmula iniciada ainda no governo Hélio Gueiros, como se tudo estivesse as mil maravilhas. O “estrela azul” , adquirido ainda no governo passado é a principal estrela do comercial.
    Na verdade,agora, não temos apenas sensação de insegurança, mas insegurança pura mesmo. E da braba. Em Belém, no interior, em qualquer lugar que se ande.
    As viaturas são as mesmas, os helicópteros, também. É verdade que os comandos mudaram:mas só de cara. Quanto aos procedimento, vão de mal a pior.

  3. Anonymous

    19 de agosto de 2007 - 23:05 - 23:05
    Reply

    O descaso com o sudeste independe de partido politico,pois na época do tucanato era bem pior.
    A grande solucao para isto é a emancipacao politica da regiao.
    CARAJAS NELES.

    Djalma Guerra

  4. Val-André Mutran

    19 de agosto de 2007 - 22:24 - 22:24
    Reply

    Caro amigo Hiroshi Bogea.

    Parabenizo-te mais uma vez pela relevante informação.

    O fato estimulou-me a uma série de reflexões.

    Como é possível, depois da ditadura do promotor público Santino, esse tema ainda não ter sido, efetivamente, encarado como prioridade de Estado.

    O Deputado Giovani Queiroz despachou um Ofício à luz do início do mandato à Secretária de Segurança Pública, cobrando atenção para o tema.

    Estou autorizado pelo Deputado, a enviar a troca dessa correspondência, para que você possa repercutir em seu Blog e em sua Coluna no jornal Diário do Pará, se assim achares conveniente.

    As indagações levadas ao conhecimento da Secretária e com cópia enviada à Governadora, ao Comando da PM e ao Delegado-Geral da Polícia Civil, são atuais, e pontual tem sido o trato levado à prática pela Cúpula da Segurança Estadual, o que lamentamos profundamente.

    Não há nada no PAC Federal e Estadual sobre essa questão.

    Sob o ponto de vista político, seria temerária a divulgação desses documentos, porém, ao colocarmos na balança dos fatos, a necessidade da exposição pública dessa triste realidade que permeia a política de Segurança Pública do Estado, Queiroz autorizou-me a divulgá-la.

    A boa vontade da nossa Governadora Ana Júlia Carepa é louvável. Acreditamos que sua boa intenção é permeada pelo alto grau de espírito público, humano e republicano que lhe marcam, acompanhada que está do alto grau de compromisso com o povo a qual lidera e prometeu mudanças.

    A Secretária de Segurança Pública do Pará está mais lenta que jabuti.

    Estamos às ordens para enviar-lhe a troca de ofícios.

  5. Anonymous

    19 de agosto de 2007 - 19:55 - 19:55
    Reply

    Esse é o HIROSHI que nós conhecemos. Já estava na hora de escrever algo mais duro a respeito da administrção do PT. Só elogios, elogios como vem fazendo, o teu blog ia cair em descrédito. Nós confiamos em voce caro repórter.

  6. Anonymous

    19 de agosto de 2007 - 16:56 - 16:56
    Reply

    Esse governo é um desastre. Falta dinheiro até para a manutenção as viaturas policiais, mas grana para as seguidas reuniões e seminários, essa não falta. No final de semana, Marabá recebu mais uma vez a tal equipe do PTP. Fala sério!
    Reinaldo Cutrin

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *