Hiroshi Bogéa On line

De Baião a Abaeté, passando por Mocajuba

Meu amigo Gerson Nogueira, diretor de Redação do Diário do Pará, envia essa preciosidade que só quem conhece o dialeto de beiradão morre de dar gaitadas:


Os grandes sucessos do cinema, ao serem exibidos em Abaetetuba (podia ser Baião…), não davam público. O cinema da cidade estava quase indo à falência. Para salvar os negócios, o proprietário resolveu adaptar seus títulos ao dialeto local.

Literalmente, Bamburrou!!
Aqui vão alguns exemplos:

Velocidade Máxima = Rápido pra Purra!
Duro de Matar = Escruto de Murrer.
Esqueceram de Mim = Me deixaro suzinho, mano.
Coração Valente = Curação presepeiro.
Free Willy = Tambaqui Porrudo.
Tubarão = Mapará que mata.
Tubarão II = Mapará que mata… De nuvo!
Titanic = Naufrágio do Fé em Deus IV.
Epidemia = Mina de Curuba.
Máquina Mortífera = Jegue Matador.
Fantasma = A Visage.
Querida, Encolhi as Crianças = Mulhé, as crianças tão gitiiiinha.
Corra Que a Polícia Vem Aí = Te abicora que os homem tão na Ilharga.
Priscila, a Rainha do Deserto = Bando de bicó alegre.
As Margens da Loucura = Na ilharga da duidera.
Tomates Verdes Fritos = Mandioca escruta e rançosa.
Rio Babilônia = Igarapé pervertido.
Amor Selvagem = Trepada no Maracapucu.
Poço das Vaidades = Olho d’água cheio de pavulage.
Splash, uma Sereia em Minha Vida = Spraxi, minha mulhé é um Curimatá.
A Gaiola das Loucas = Arapuca de fresco.
9 1/2 Semanas de Amor = Um monte de trepadas!

Post de 

4 Comentários

  1. Anonymous

    25 de fevereiro de 2009 - 09:49 - 9:49
    Reply

    Essa é velha, sumano!

  2. Hiroshi Bogéa

    25 de fevereiro de 2009 - 01:03 - 1:03
    Reply

    Gil, estou sabendo da situação dramática da rodovia. Na coluna do Diário e aqui, tratarei da questão.
    Abs

  3. Anonymous

    24 de fevereiro de 2009 - 19:52 - 19:52
    Reply

    Hiroshi,estive viajando semana que passou a Tucuruí e a estrada que nos leva até o municipio está intrafegável.Gostaria de lhe pedir que levantasse a bandeira pela recuperação,já que seu blog é muito lido por nossas autoridades.

    Um abraço!

    Gilberto Rodrigues

  4. Val-André Mutran

    23 de fevereiro de 2009 - 19:35 - 19:35
    Reply

    Gerson é caboclo da melhor qualidade.

    Taí um cara que tenho saudades de meu tempo no Diário.

    Esse apanhado do idioma indígena-portuga-caboclo beiradista, como diria diria, se vivo o mestre Dias Gomes ao alimentar seu personagem Odorico Paraguassú; aliado ao inusitado sotaque afrancesado das sentenças, vai agora mesmo para o front page dos Corredores com louvor.

    P.S.: Estou a ouvir a obra completa de Milton Nascimento.
    Com sérios problemas para editá-la num especial para meu outro blog.
    Aceito sua sugestão para algumas músicas da seleção final.
    P.S.2: Ah!
    Estou te enviando a obra completa do minerador-mor das Gerais para seu deleite.
    Abs e um bom descanço.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *