Hiroshi Bogéa On line

Crise na Saúde

Lá vem confusão.
Como a bagunça não tem prazo nem sinal de que será um dia debelada, os próprios servidores decidiram assumir atitude em nome da saúde pública.

A 11ª Regional de Proteção Social, com sede em Marabá, pode parar sem tempo determinado nos 21 municípios de sua jurisdição como forma dos funcionários alertarem o governo da vergonhosa situação pré-falimentar na qual se encontra o órgão em conseqüência dos conflitos internos administrativos gerados pelos diretores Eva Abreu e Demerval Silva, refratários a qualquer tipo de relacionamento com a direção geral.

Pertencentes ao PT, os personagens ocupam os cargos de diretores Administrativo e Técnico, que cuidam dos fluxos financeiros e de combate às endemias. Como os dois não aceitam submissão ao diretor geral indicado pelo PMDB, simplesmente nada funciona.

O primeiro diretor, Ademir Viana caiu sob acusação de irregularidades. O segundo, Luiz Sérgio, competente médico responsável pela organização do Hospital Municipal de Marabá, anunciou que entregará o cargo, estressado por não conseguir até agora realizar nenhuma ação na 11ª RPS, totalmente desestabilizada.

Detalhe: Luiz Sérgio, substituto de Ademir Viana, não conseguiu emplacar inda 40 dias como diretor da Regional de Saúde.

Post de 

7 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    5 de dezembro de 2007 - 21:53 - 21:53
    Reply

    Mero,
    somente agora volto ao batente do blog. Estava fora da cidade.

    Realmente, foi rápida a reação do governo aos graves distúrbios no interior da 11a RPS. A decisão foi sensata. Não havia outra saída.
    E bem sei que o Charles Alcântara tentou, seguidas vezes, apaziguar os animos e impor disciplina hierárquica para evitar o corte de cabeças.
    Paciência. O povo é quem não pode ficar levando lambada, entre o mar e o rochedo.
    Abraços.

  2. Mero Espectador

    5 de dezembro de 2007 - 04:48 - 4:48
    Reply

    Hiro,
    A Casa Civil agiu rápido e nessa quarta-feira,dia 05, publica a exoneração de Eva Abreu e a nomeação de Aldenora Igreja, na chefia da Divisão Administrativa.
    Abs,
    Mero.

  3. Mero Espectador

    5 de dezembro de 2007 - 01:52 - 1:52
    Reply

    Realmente houve uma tentativa na divisão de poderes com pessoas do PMDB e PT.Isso é um reflexo da tentativa que foi feita no direção da SESPA entre o secretário Halmélio e o adjunto Paulo de Tarso.Essa é mais uma missão para o “comandante dos Bombeiros” Charles Alcantara.

  4. Anonymous

    4 de dezembro de 2007 - 23:52 - 23:52
    Reply

    Concordo com os comentários acima e acrescento que é desprestigio do representante do PMDB, a quem cabe a indicação naquela regional.

  5. Anonymous

    4 de dezembro de 2007 - 23:10 - 23:10
    Reply

    Demerval é um apedeuta por opção e politiqueiro de profissão. Eva é contumaz em causar confusões, inimizades, transtornos, ineficiência todo tipo de calamidade por onde passa.

    Ai pergunta-se: Ninguem do Governo ta vendo isso?

    Até quando vai durar a barbárie?

    Estes senhores não têm noção dos danos que causam à sociedade?

    A Governadora vai esperar a ocorrência de uma tragédia para vir com seus decretos e afastar estes dois malfeitores?

    ISSO É PT.

  6. Anonymous

    4 de dezembro de 2007 - 21:35 - 21:35
    Reply

    Concordo com o anonimo 5:16 PM, os dois diretores deveria, ser julgados pelos desserviços que estao pretando à saúde pública do Sul do Pará.

  7. Anonymous

    4 de dezembro de 2007 - 20:16 - 20:16
    Reply

    Vamo combinar: que os necessitados de atendimento a saúde façam um piquete na frente da Regional e peçam a cabeça dessas duas pestes Eva e Demerval, velhos conhecidos de confusões onde passam.

    Não é assim que eles agem?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *