Crateras e buracos surgem na Transamazônica a cada dia

Publicado em 2 de abril de 2015

 

Observem, primeiramente, a sequência de fotos.

Transam 2

Transam 3

Transam

Transam 4

Transam 5

 

Observaram?

Em primeiro plano, de cima pra baixo, três fotos mostram a “ninhada” de buracos que surge a cada  dia, no trecho Marabá- São Domingos.

Numa demonstração de que não está havendo gestão nos serviços de recuperação da rodovia, a empreiteira CCM permite que trabalhadores abram valas quadradas, sem concluir os serviços, alegando  a constância de chuvas como obstáculo para a aplicação do asfalto.

Há quase uma semana, as valas foram abertas sobre buracos existentes, aumentando o risco de acidentes.

Registre-se, aliás, a péssima qualidade do serviço de tapa-buracos que a CCM passou a realizar na rodovia, certamente porque  a repetição da operação abre-e-fecha   permita à empresa faturar valores acima sobre o contrato que mantém com o Dnit.

O Dnit, por sua vez, deixa o “barato” rolar à vontade, consciente de que a grana sai do esforço de trabalho do contribuinte.

Agora,  na sequência final das imagens, vejam as duas últimas fotos!

Imensa cratera alarga-se à margem da rodovia, à altura do KM 35, próximo do trevo que liga a rodovia à sede de São João, transformando o trecho Marabá-São Domingos mais perigoso do que já é.

O blog já registrou os acidentes ocorridos na rodovia.

A cratera alarga-se e o Dnit – ou a empreiteira responsável ? – espalhou apenas um monte de terra como sinalização do perigo que representa.

A imoralidade prolonga-se sem que apareça qualquer tipo de autoridade (tems isto por aqui?)  para dar um freio de arrumação.

Um dos  trechos mais perigosos entre Marabá  e São Domingos do Araguaia, a Transamazônica